quarta-feira, 19 de setembro de 2018

QUEIJEIROS E PEQUENOS PRODUTORES DO INTERIOR SE DIZEM PERSEGUIDOS PELO GOVERNO DE PERNAMBUCO


Por Junior Almeida

Depois da operação desta terça-feira (18) onde policiais civis e funcionários da Adagro - Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco - apreenderam 14 toneladas de queijo no Mercado de Afogados, em Recife, e depois incineraram, os chamados queijeiros, que são as pessoas que compram o produto no interior para revender na capital, prometem lutar contra os que eles classificam como arbitrariedade por parte do Estado.

Os revendedores de queijo, num total de 487, querem ser recebidos pelo secretário de agricultura de Pernambuco, Wellington Batista, e também pelo diretor da Adagro, Paulo Roberto de Andrade Lima, para entregar uma pauta de reivindicações composta de nove itens, que são:

1-Prazo para que os produtores de queijo artesanal de Pernambuco se adéqüem as normas exigidas na lei.
       2-Prazo esse de dois anos.
3-Programas que viabilizem empréstimos para estruturar a fabricação de queijo.
4-Fiscalização de acordo com o porte do produtor.
5-Que os produtores sejam fiscalizados só depois do período de adequação às normas.
6-Capacitações periódicas para produtores de queijos artesanais.
7-Que os queijos produzidos antes do período de adequações às normas sejam de responsabilidade de cada produtor, até com cadastro pelo CPF.
8-Que seja divulgado os ítenss da pauta.
9-Que a comissão seja atendida pelo governador ou seu representante e também pelo diretor da Adagro.

Segundo Marcelo Tubarão, que integra uma comissão que representa os municípios de Capoeiras, Venturosa, Pedra, Pesqueira, Belo Jardim e Buíque, cada queijeiro compra o produto de 15 a 20 famílias, gerando com isso aproximadamente 80 empregos, que vai, segundo Marcelo, desde o tirador de leite, o dono da propriedade rural, até os funcionários dos comércios que giram em torno do fabrico do queijo, como armazéns de ração, farmácias veterinárias, dentre outros.

Os queijeiros se dizem receosos em comprar nos próximos dias dos pequenos produtores, pois, segundo eles, correm o risco de perder a mercadoria como aconteceu ontem em Recife. Os profissionais acham que o comércio todo vai sofrer com o que eles chamam de perseguição aos queijeiros e pequenos produtores.

Amanhã tem a feira de Cachoeirinha e na sexta-feira a de Capoeiras, e ninguém está querendo comprar por puro medo. Quem fabricou seu queijo, vai vender a quem? Como fica quem tem a pagar e a receber suas contas? Disse Marcelo Tubarão, em nome da associação.

O representante dos queijeiros disse ainda que eles, juntamente com alguns produtores, pretendem ir até Recife amanhã (20) para tentar resolver a situação da classe. Marcelo disse também que acredita que o governador Paulo Câmara seja sensível às reivindicações dos queijeiros, pois, segundo o comerciante, o político sabe que  muitas pessoas dependem do ramo do queijo e também do dinheiro que eles injetam na economia do interior  do Estado.

Não acredito que o governador vá colocar de novo o Estado contra os trabalhadores como fez ontem, pois ele deve querer o povo ao seu favor agora em outubro. Finalizou Tubarão.

Lembrando que na operação da terça-feira, segundo o delegado que comandou a apreensão dos produtos, Antônio Guerra, alguns queijeiros foram denunciados à Justiça pelos crimes contra marcas e patentes, concorrência desleal, contra a ordem tributária, consumidor e saúde pública.

*Foto da internet meramente ilustrativa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário