ALEPE

ALEPE
ALEPE

sexta-feira, 27 de julho de 2018

CARTA AO AO PROMOTOR DOMINGOS SÁVIO PEREIRA



Dr. Domingos Sávio, o senhor é um homem de bom senso e de coragem. 

Não demonstra desejo de aparecer ou tampouco simpatias político-partidárias, como outros integrantes do MP,  que viraram estrelas no Sudeste do Brasil.

O senhor promotor, ao que me parece, tem senso de justiça,  sentimento humanitário e não concorda com qualquer tipo de preconceito ou discriminação.

Assim, de forma até surpreendente, enfrentou o posicionamento do prefeito, do bispo e do governador.

Terminou vencendo a contenda numa instância superior e a peça censurada, no Festival da Liberdade, terminou voltando à programação do Festival de Inverno.

O que se tem escrito de sandices sobre o assunto não cabe nem no Google, que parecia infinito, mas Garanhuns prova que não é.

Sabiamente, o escritor Wagner Marques cunhou a seguinte frase, hoje, na sua página do Facebook:

“Já que Cristo não ousou julgar ninguém, de tão atrevidos, alguns seguidores seus resolveram tomar pra si essa lacuna no comportamento do filho de Deus”.

Perfeito.

Cristo se juntava aos pobres, chegou junto dos leprosos e os curou, discordou da ordem estabelecida (mesmo no campo religioso), expulsou comerciantes gananciosos do templo e pregou que não se deve julgar ninguém.

Defendeu até uma prostituta e quando quiseram apedrejá-la desafiou a massa não pensante: “Atire a primeira pedra aquele que nunca pecou!”.

Defenderia também um gay, uma lésbica, um travesti? 

Acredito que sim, Dr. Domingos,  pois quem numa vida de 33 anos pregou o amor acima de tudo não iria tomar atitudes intolerantes, alimentar ódios e atitudes doentias, homofóbicas ou racistas.

O espetáculo vai ser exibido por decisão da Justiça – dentro da programação do Festival de Inverno – e vai quem quer, ninguém é obrigado.

Quem considera blasfêmia fica em casa vendo novela da Globo, um filme na TV por assinatura ou na Netflix. 

Esquece. 

A peça não vai derrubar Izaías, Paulo Câmara ou Temer, muito menos tornar Jesus ou Deus menor, já que eles são um só e, como está na bíblia, são onipresentes e oniscientes.

Mais grave do que uma leitura ousada do evangelho, é a fome voltando aos lares brasileiros, é a violência crescente, como a que vitimou Marielle e tantos outros, conhecidos ou anônimos.

Você que acredita num Deus tão poderoso, certamente não acha que um espetáculo de teatro para 200 pessoas vai abalar a vontade do Supremo Arquiteto do Universo ou mesmo a força do cristianismo, com mais de dois mil anos.

Chega de escrever sem pensar, repetir o que outros estão dizendo, sem procurar se informar, sem desenvolver o senso crítico necessário para se posicionar como ser racional, livre das paixões que embotam a mente.

O Brasil está um atraso sim. Garanhuns é conservadora, sempre foi.

Mas não podemos nos nivelar ao Afeganistão e ao Talibã,  que tentou matar Malala aos 15 anos, pelo crime de querer estudar.

Gente, aqui não é a Suíça Pernambucana?

Então vamos ser mais primeiro mundo e menos o quinto.

Vamos ser mais classe A e menos classe Z, como diria o Caetano Veloso.

Botar a cabeça para pensar e saber que o mundo amanhã continuará o mesmo. 

Deus continuará Deus, mesmo que explodam bombas, uma cantora chame palavrões (até padre chama palavrão, estão lembrados?) em praça pública e no teatro um transexual ouse ser Jesus por uma noite.

Bom senso. Nada mais que isso.

Parabéns Dr. Domingos.

Conheço o Sr. o suficiente para saber que não está posando para a plateia, não está atrás de votos ou de holofotes. Apenas discordou de atitudes oportunistas e preconceituosas, usando de suas prerrogativas para dar um basta à homofobia e a qualquer forma de discriminação.

Demais, o Pai perdoará tanta asneira. Afinal de contas hoje, como ontem, eles não sabem o que fazem nem o que dizem.

Dr. Domingos o senhor nos representa. Não só Renata Carvalho e todos os diferentes que sofrem a não aceitação por uma sociedade burra e hipócrita, mas também a mim, que sou pai e avô e que acredito que as qualidades humanas não podem ser metidas pelo cor, pelo dinheiro ou  pelo gosto sexual e sim pelo caráter e pelas atitudes. Se são generosas ou mesquinhas, se carregam a semente do amor ou do ódio.

Forte abraço deste admirador. Jornalista José Roberto de Almeida.

7 comentários:

  1. Salve salve, gigante jornalista Roberto Almeida! Que texto maravilhoso. Viva todas as formas de liberdades, abaixo toda forma de opressão e intolerância!

    ResponderExcluir
  2. Nunca ouvir tanta heresia, você acredita mesmo no que relatou ?
    Kkkkkkkk deve ser piada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô EdcleisonBabaca, procura um pouco de coerência nos teus comentários... Vê se encontra coerência aí mesmo na feira de Garanhuns! - Porque, no meio dos humildes feirantes, existe muita coerência! - Bem mais do que na mente dos "doutores" ignorantes! - SÓ!


      Excluir
    2. Viva a democracia, ela a democracia que da voz e vez a todos, até mesmo aos energúmenos funcionais, aos pelego da vida, a esquerda que como caviar e arota mortadela, viva a democracia que contempla ate mesmo aos vermes ignorantes políticos, sem esquecer é claro dos ze manes da vida.

      Viva Roberto Almeida que mesmo de opinião contrária a minha, nunca me censurou nesse espaço , ele é de uma minoria da esquerda que não parte para a baixaria, você tem o meu respeito.

      Excluir
  3. Boa Piada kkkk... Merece está na grade do FIG 2018, ainda da tempo de conseguir ser inserido! Kkkk

    ResponderExcluir
  4. Eu quero ver o que esse promotor vai fazer com relação aos homossexuais que vieram participar do FIG, receberam verbas públicas e insultaram a platéia, com xingamentos de baixo calão!

    Vai ficar por isso mesmo senhor promotor? Receber dinheiro público para vilipendiar a fé alheia e ainda acusar os participantes dos camarotes de usar verbas públicas para tomar uisque, além de manda-los enfiarem as vaias no c...? Aposto que esse promotor vai novamente ficar calado quando deveria agir, para daqui um tempo virar uma Arara, quando deveria ficar quieto!

    ResponderExcluir