sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

SILVIO COSTA APONTA INCOERÊNCIA DO PSB ESTADUAL

Após visita do governador Paulo Câmara (PSB) ao ex-presidente Lula e a cúpula do PT, em São Paulo, nesta quinta-feira (15), o líder da Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco, Silvio Costa Filho (PRB), apontou incoerência no discurso do PSB estadual. Segundo ele, em muitas entrevistas, o governador, o prefeito do Recife; Geraldo Julio, além de vários deputados federais e estaduais da legenda, afirmaram que Pernambuco não estava bem porque o PT tinha quebrado o país. Que os petistas no governo federal eram os responsáveis pela paralisia e pelas quedas nos investimentos no Estado.

"Observei nos últimos três anos que a retórica do PSB em Pernambuco era terceirizar os problemas da crise nacional ao PT, que foi o PT responsável pelos problemas fiscais, que quebrou o país e que não retomou os investimentos. Por ironia do destino, agora, as mesmas lideranças que criticavam o PT, agora estão fazendo de tudo para ter o apoio do Partido dos Trabalhadores, por conta do ex-presidente Lula, em Pernambuco. Então, acho que é uma incoerência que a gente está vendo. É preciso que a sociedade pernambucana observe esse movimento", afirmou Silvio.

Para ele, o gesto de aproximação entre aliados do ex-presidente Lula (PT) e força políticas ligadas ao governador Paulo Câmara (PSB), sela a junção como inacreditável. “Quando você pensa que já viu de tudo, você cada vez se surpreende mais. É inacreditável ver, em Pernambuco, um palanque com Jarbas Vasconcelos e o presidente Lula. Os próprios deputados federais do PSB votaram pelo impeachment da presidente Dilma e agora, numa operação ‘Salva-Paulo Câmara’, achando que o presidente Lula vai salvar o governador do Estado, que vai transferir o voto para salvar o governador, tentam montar essa operação com PT, PSB e Jarbas”, finalizou.

A expectativa é que o deputado leve o tema para ser discutido na Assembleia Legislativa de Pernambuco e fóruns de discussão.

Um comentário:

  1. Qual a coerência do Deputado Estadual Silvio Costa Filho quando apoia o Senador Armando Monteiro juntamente com o seu pai Sílvio Costa Pai e ao mesmo tempo são contra o governador,nas recebem de braços abertos o Senador do PSB Fernando Bezerra Coelho no palanque como se fosse normal?

    Qual ou quais as coerências políticas existentes hoje quando os candidatos a Deputados Estadual e Federal numa cidade apoia o PTB e o Prefeito é do PSB,Em outros os Prefeitos são do PMDB,DEM,PSD,PP,REDE e do próprio PT?

    Desde 1970 que 12 eleições municipais foram realizadas e 7 eleições estaduais e federal foram realizadas e os nossos Deputados Federais e Senadores não aprovaram as REFORMAS POLÍTICAS propondo as COERÊNCIAS POLÍTICAS DE TODAS ELAS.

    Cadê a fidelidade partidária,voto distrital puro,verticalização das eleições,voto vinculado,fim das coligações partidárias,etc?

    0s três senadores que mais debateram estas e outras propostas e projetos de leis foram Marco Antônio de Oliveira Maciel,Jarbas de Andrade Vasconcelos e Pedro Simon do Rio Grande do Sul e toda a bancada do PT em Brasília com as exceções em todos os partidos que formaram um grupo de 293 Deputados Federais que queriam mudar,mas 220 Deputados Federais nunca quiseram mudar formando o grupo das PAUTAS BOMBAS dentro do Congresso nacional que detonaram a Dilma Roussef e hoje estão apoiando um governo federal que estar vendo o Brasil e tirando direitos dos trabalhadores brasileiro.

    A única reforma política que houve que mexeu com todos os partidos foi o Supremo Tribunal Federal acatar uma abaixo-assinado com 1.400.000 assinaturas propondo o fim das doações empresariais aos partidos e aos políticos e que foi aprovada por 8 x 3 contra o voto e a torcida do Dr.juiz Gilmar Mendes que taxou em 15 de setembro de 2015 o Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil de ser um PETISTA por defender tais mudanças.

    Certamente hoje não estaríamos vendo o PMDB sendo governo e oposição ao mesmo tempo, não teríamos visto a traição do presidente contra a sua presidente e jamais estaríamos vendo os nossos deputados federais e senadores no toma lá dá cá tanto condenado por todos os partidos e políticos do Brasil e os trabalhadores não estariam prestes a perder o restinho dos seus direitos.

    Dois fatos empurraram o governador Paulo Câmara e o Deputado Federal Jarbas Vasconcelos para o palanque do PT Nacional: a expulsão do Jarbas e Raul Henry do PMDB pelo Presidente do Partido Romero Juca e a traição do Fernando Bezerra Coelho contra o governador que arrastou o FBC quando ele tinha apenas 8% dos votos faltando apenas 30 dias para as eleições de 2014.

    A política é pai contra o filho,primos contra os primos,irmãos contra os irmãos,tios contras os sobrinhos.Ninguém é amigo de ninguém.0 ex-governador Eduardo Campos se estivesse entre nós teria presenciado as traições quando tudo fez para muitos e no final eles traíram o palanque dele.

    ResponderExcluir