ALEPE

ALEPE
ALEPE

domingo, 24 de setembro de 2017

A TRAJETÓRIA DE EXPEDITO NOGUEIRA

Por Altamir Pinheiro

Encravado na parte leste da região do Agreste Meridional de Pernambuco, o município de CALÇADO, mais conhecido como a TERRA  DA LAVOURA, por ser um grande produtor de feijão,  atualmente  é governado pelo talentoso e bem sucedido  empresário e ex-gerente de banco, Francisco Expedito da Paz Nogueira. 

No campo do estilo pessoal, o atual prefeito é um ser humano substancialmente   tratável, bastante eloquente, além de ser dotado de uma lucidez de causar inveja  a determinadas  pessoas por mais inteligentes que essas sejam.  Estreante ou calouro na administração pública, NOGUEIRA, como é conhecido, vem surpreendendo o mundo político interiorano pelo seu estilo ou modelo  de gestão implantado naquela prefeitura, logo após sua posse como prefeito eleito de Calçado.

Filho do  senhor Gercino Nogueira, aposentado como fiscal de renda, uma  figura agradabilíssima por ser  um cidadão muito bem humorado e que goza de grande simpatia perante à sociedade garanhuense. Logo cedo, o filho de seu Gercino, NOGUEIRA,  enveredou pelo  caminho financeiro sendo funcionário concursado do Banco Nacional do Norte (BANORTE), onde hoje está edificada a Caixa Econômica Federal de Garanhuns, chegando ao posto de gerente geral da agência, sendo que logo após tornou-se empresário no ramo de lubrificantes e combustíveis, donde, saiu-se ou fora muito bem sucedido, pois não é à toa que seus familiares prosseguiram nesse mesmo comércio de postos de combustíveis e lubrificantes.   

Na verdade, não existe fórmula pronta para se tornar um bom gestor (principalmente gestor público), mas dois pontos são imprescindíveis para uma gestão adequada: paixão por aquilo que se faz e capacidade de superação, ou seja suportar e adaptar-se a situações adversas, sobretudo quando o dinheiro é curto e medido e ainda por cima o compromisso de se prestar contas aos tribunais específicos. Reza a cartilha da boa gestão que, um administrador municipal que se preza tem como função gerenciar as ações sem se desligar de delegar tarefas operacionais as suas respectivas secretarias. Agora, - que parece ou demonstra ser o caso de NOGUEIRA em Calçado -, o prefeito não pode esquecer que ele está no comando, e que é possível e aceitável delegar as funções, mas não é adequado entregar todo o processo nas mãos da equipe, por mais competente e confiável que ela seja. Portanto, o prefeito esteja sempre na frente, crie métodos que possibilite a visibilidade de todos os projetos em andamento e procurando ter como pano de fundo, não abrir mão e zelar pela  boa e velha cobrança aos seus subordinados.

Na região do Agreste Meridional estão surgindo duas boas e belas surpresas no campo da administração pública. Estamos nos referindo aos prefeitos de Caetés e Calçado, Armando e Nogueira respectivamente. Percebe-se claramente que os dois possuem algumas ferramentas hábeis e adequadas para lidar com inúmeros desafios que, pra variar, convivem com a famosa falta de recursos. Aliás, diga-se de passagem que na maioria das vezes o grande obstáculo das prefeituras de nossa região, além da falta de verbas é justamente a crônica falta de qualificação dos funcionários municipais. 

Acarretando com isso  um exemplo claro do despreparo das prefeituras na hora de executar ou acompanhar projetos e programas em níveis federais. Até porque, estatisticamente falando, dos projetos apresentados por prefeituras ao governo federal muitos são rejeitados único e exclusivamente por falta de qualidade técnica.

É sabido que,  dentre as habilidades para exercer um cargo tão espinhoso, sem dinheiro, como ser prefeito, são essenciais que o gestor se adapte ao cargo que exerce apesar das dificuldades financeiras e nunca abrir mão da força e superação, como também  se cercar de pessoas confiáveis e competentes no que fazem; extrair o melhor de cada secretário; ponderar as melhores alternativas para com sua equipe de trabalho. 


Tudo isso são habilidades essenciais para que o executivo tenha sucesso na empreitada a que se submeteu ou abraçou. Pois,  precisa avaliar quão benéfico será o impacto das mudanças para que apareçam os devidos resultados. Parece que esses dois administradores públicos(Armando e Nogueira)     botaram essas ferramentas de trabalho em prática e vêm se dando muito bem. Que assim seja e que sirva de exemplo para outros gestores da região!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário