Garanhuns

Garanhuns
Fique em dia com Garanhuns

GOVERNO DE PERNAMBUCO

GOVERNO DE PERNAMBUCO
Presença do Governo no Agreste Meridional

domingo, 16 de julho de 2017

NOMES DO FESTIVAL - MARINA LIMA E FAFÁ DE BELÉM

Marina Lima, natural do Rio de Janeiro, é cantora, compositora e toca violão com maestria.

Ela se tornou um nome importante na música popular brasileira na década de 80, quando gravou hits que foram cantados de norte a sul do país. Algumas dessas músicas eram da autoria da própria artista.

Canções como Fullgás, Uma Noite e Meia, Pra Começar, Eu Te Amo Você, transformaram Marina, com sua voz de gata, numa verdadeira estrela do pop nacional.

Apesar da fama, do reconhecimento do seu valor como compositora e intérprete, a cantora passou por fases difíceis nos últimos anos, tendo passado por uma depressão profunda e tido problemas nas cordas vocais.

Tudo indica, porém, que Marina Lima superou tudo isso e nos últimos anos tem realizado shows, gravado DVDs e CDs, se mostrando bem resolvida como mulher e como cantora.

O último disco que gravou, “No Osso”, de 2015, é o registro ao vivo de uma turnê feita pelo país.

Marina vai se apresentar no Festival de Inverno de Garanhuns fechando a programação do palco pop, no Parque Euclides Dourado.



FAFÁ DE BELÉM – Pertencente a uma família de classe média alta da capital do Pará, Maria de Fátima de Figueiredo começou a se interessar pela música bem jovem e adolescente fez apresentações em alguns lugares de sua cidade, escondida dos pais.

Em 1973, Fafá conheceu o músico pernambucano Roberto Santana, do Quinteto Violado, que a estimulou a investir na carreira musical. A partir daí ela tomou gosto e fez shows em Belém, Salvador e no Rio de Janeiro.

Um marco na trajetória da cantora paraense foi o lançamento, em 1975, do disco “Tamba-Tajá”, primeiro LP de sua carreira, com um repertório bem eclético e a revelação de uma voz macia, agradável, uma artista capaz de grandes interpretações.

Nesse disco Fafá interpreta desde Luiz Gonzaga, o consagrado “Rei do Baião”, até o escritor, ator e compositor Mário Lago, com uma regravação marcante de “Fracasso”, que tinha sido sucesso na voz de Núbia Lafaytte.

Na voz de Fafá de Belém, então com menos de 20 anos de idade, “Fracasso” ganhou um tom mais suave e representou um grande momento na carreira da artista paraense.

Depois ela viria a ser um nome nacional, tocada nas rádios, requisitada para programas de televisão, emplacando grandes sucessos em todo o país, como a música “Vermelho”, ainda hoje executada, inclusive nas campanhas eleitorais.
Fafá, inclusive, teve uma participação ativa na campanha das “Diretas Já”, em 1984, quando se destacou com uma versão bem própria do Hino Nacional Brasileiro.

A cantora gravou baladas românticas, divulgou os ritmos da região Norte do país, fez duetos com cantores conhecidos, como Roberto Carlos e atualmente, com pouco mais de 60 anos, ainda é um nome forte no universo da música popular brasileira.


Na 27ª edição do Festival de Inverno Fafá de Belém canta no Palco Mestre Dominguinhos, na quarta-feira, dia 26.

Nenhum comentário:

Postar um comentário