Garanhuns

Garanhuns
Fique em dia com Garanhuns

GOVERNO DE PERNAMBUCO

GOVERNO DE PERNAMBUCO
Presença do Governo no Agreste Meridional

domingo, 11 de junho de 2017

OS CAFEEIROS DA REGIÃO

Por Junior Almeida

Teoricamente o Governo deveria cuidar do seu povo como uma mãe cuida de um filho. Deveria se preocupar com o bem estar e segurança de sua população, mas, determinadas decisões tomadas por esses governos, sejam municipal, estadual, ou federal, parecem mais com coisa de inimigo, do que propriamente negócio de pai pra filho.

Com a quebra da bolsa de Nova York em 1929, os Estados Unidos, então maior comprador de café do Brasil, quase que parou de negociar o produto com nosso país, fazendo com que os fazendeiros brasileiros também entrassem em sérias dificuldades financeiras.

O presidente Getúlio Vargas, como um bom pai, resolveu ajudar os seus filhos quase quebrados, comprando-lhes toda produção de café. Até aí tudo bem, é como devem agir os Governos, ajudando seu povo quando esses necessitar. Só que não demorou muito e o que era para ser uma boa atitude, se transformou numa das maiores aberrações da história da cafeicultura do Brasil.

Acontece que Getúlio Vargas comprou dos produtores brasileiros, 78 milhões de sacas de café, o que daria para abastecer TODO o MUNDO durante 3 anos. E o que ele fez de absurdo? Será que deu de graça o café que tinha comprado? Nada disso. Não doou o café nem para seus filhos brasileiros nem para os irmãos de outras nações. O Governo brasileiro, do presidente Getúlio Vargas, simplesmente queimou toda a produção comprada. Isso mesmo. Coisa de doido. Só maluco mesmo para tocar fogo em dinheiro.

Mas não só Getúlio que fez suas besteiras. Em 1961, pouco antes de o presidente Jânio Quadros renunciar ao seu mandato, foram feitos alguns estudos que visavam erradicar 2 BILHÕES de pés de cafés por todo Brasil, com a desculpa torpe de valorizar o preço do produto no mercado internacional. A ideia era diminuir a quantidade de produto ofertado para que esse alcançasse um melhor preço, na lei de “oferta e procura”. O programa foi posto em prática pelo substituto de Jânio, presidente João Goulart, sendo que o Banco do Brasil indenizou os produtores por cada pé de café arrancado.

Na região do Agreste Meridional de Pernambuco, um grande produtor de café foi e continua sendo o antigo distrito de Garanhuns, Brejão de Santa Cruz, atualmente município de Brejão. Naquela localidade chegou por aqueles anos alguns homens da fiscalização que obrigavam os plantadores de café a se desfazerem de suas roças, isso quando os valores das indenizações pagas pelo banco público já tinham diminuído consideravelmente, o que trazia vultosos prejuízos para quem se desfizesse de suas plantas. Um absurdo. Logo o café, que só começa a produzir depois da planta adulta, o que só acontece depois de 5 anos, dando em média 2,5 quilos de café por ano.

Como matuto se faz de morto pra comer o coveiro, e de besta não tem nada, um fazendeiro daquela localidade ao saber dos estragos nas terras dos vizinhos e conhecidos, resolveu se prevenir contra os “homens da lei”. Com a ajuda de uns compadres e amigos, manobrou para que os fiscais só fossem para a sua fazenda só na parte da tarde. Como plano “B” ainda mandou preparar um farta mesa para receber os fiscais e soldados que os acompanhava. Lá pela 3 da tarde os agentes do Governo chegaram à propriedade, querendo logo ver o serviço.

O fazendeiro matreiro, com a falsidade de Judas, só que por uma boa causa, recebeu os fiscais com um sorriso de orelha á orelha, e foi logo dizendo:

Na minha casa, só se trabalha de bucho cheio!

Os homens que vinham de vários lugares onde foram hostilizados entreolharam-se. Estavam sem entender a recepção, e chegaram a cochichar para saber o que realmente acontecia. Estava jogada a isca, e o fazendeiro sabia disso. Antes de dizerem qualquer coisa, os fiscais foram conduzidos para dentro da casa sede da fazenda. Como tinham trabalhado durante todo o dia e estavam com fome, os homens do governo não resistiram a ver a mesa posta com grande banquete.

Durante a refeição, todas as hostilidades foram desfeitas, e os homens conversando animadamente com o fazendeiro, como se fossem amigos de longa data. O matuto, mais falso de que uma cédula de três reais, disse aos seus convidados:

Homens tão distintos, de um governo que tanto admiro,
merecem ser bem tratados onde quer que vão. E outra:
não podem ta pegando no pesado como se fossem
qualquer um. Têm que deixar o serviço grosseiro para
matutos como eu e o povo daqui.

Os fiscais tendo seus egos inflados, enquanto comiam, apenas concordavam com as palavras do anfitrião.

Isso mesmo, “seu” fulano. Chegou a dizer um deles.

Quando os homens terminaram de comer e beber já estava escuro, e o fazendeiro disse a eles que tinha lhes poupado o trabalho, se adiantando na destruição da lavoura. Perto do terreiro da casa, um amontoado de arbustos que fora arrancado estava pronto para serem incinerados. Os fiscais ficaram sem jeito de destruir a plantação do homem, depois de tão fina recepção, mas como era o seu serviço, se limitaram a pedir pra ver as plantas. Para “poupar” os fiscais de caminhar uns 20 metros, o fazendeiro mandou um empregado buscar um dos pés de café na pilha. Correndo o rapaz foi apanhar e entregou a um dos fiscais um pé de café arrancado da plantação. Satisfeito, o funcionário do Governo Federal, ordenou que tocassem fogo nas plantas, ordem prontamente atendida pelo funcionário da fazenda.

Depois que os homens foram embora da fazenda, no outro dia vizinhos foram ver o estrago nas terras daquele que era o maior um dos maiores produtores de café de Brejão, e só assim descobriram que os pés de café que os fiscais tinham queimado, eram na verdade pés de jurubeba, misturados com alguns galhos de café que tinham sido podados. O fazendeiro durante alguns anos ficou sendo o único produtor de café daquela região, graças a sua engenhosidade e o pequeno investimento de um almoço.

3 comentários:

  1. ECONOMIA SOCIALISTA NUNCA DEU, NEM NUNCA DARÁ CERTO!

    SE ALGUÉM PRODUZ COISAS DE FORMA ERRADA, MERECE QUEBRAR MESMO, QUANDO O GOVERNO SALVA EMPRESAS QUE DEVERIAM QUEBRAR ELE ESTÁ SIMPLESMENTE MULTIPLICANDO O PROBLEMA QUE IRÁ EXPLODIR DE FORMA MUITO MAIS DEVASTADORA LÁ NA FRENTE!

    O MAIOR EXEMPLO É O SETOR DE CONSTRUÇÃO CIVIL NO BRASIL, ONDE EMPRESAS SUPERFATURAVAM OBRAS DE PÉSSIMA QUALIDADE E PARA SE MANTEREM ASSIM RECEBIAM DINHEIRO DO GOVERNO. QUANDO O DINHEIRO DO GOVERNO ACABOU O ESQUEMA IMPLODIU E ESTÁ LEVANDO TODO MUNDO PRA CADEIA! SE A ODEBRETCH TIVESSE FALIDO HA 10 ANOS ATRÁS E OUTRAS EMPRESAS MENORES E MAIS EFICIENTES TIVESSEM TOMADO O LUGAR DELA TUDO, ESTARIA FUNCIONANDO PERFEITAMENTE ATÉ HOJE!

    VAMOS SUPOR QUE O GOVERNO REALMENTE DISTRIBUÍSSE TODO ESSE CAFÉ QUE DARIA PARA SUSTENTAR O MUNDO INTEIRO DE CAFÉ POR TRÊS ANOS?

    QUEM MAIS IRIA COMPRA CAFÉ? COISA DE DOIDO É? GENTE QUE NÃO SABE QUE ECONOMIA É MOVIDA POR ESCASSEZ NÃO SABE DISSO NÉ MESMO? SOCIALISTAS PENSAM QUE DINHEIRO NASCE EM ARVORES, POR ISSO QUE INSISTENTEMENTE QUEBRA TODAS AS ECONOMIAS ONDE SE INSTALAM!

    QUANDO O GOVERNO PRIVILEGIA EMPRESAS DANDO AJUDA GOVERNAMENTAL, NA VERDADE ELE ESTÁ INTERFERINDO NO PREÇO REAL DAS COISAS, POIS UMA COISA CUSTA "X" PARA SER PRODUZIDA, AÍ O GOVERNO DÁ DINHEIRO PÚBLICO PARA O PRODUTOR, COM ISSO O GOVERNO ESTÁ INTERFERINDO NO PREÇO REAL DAQUELE PRODUTO! E REGRINHA BÁSICA DE ECONOMIA É! [SE VOCÊ INTERFERE NO PREÇO, MAIS SEDO OU MAIS TARDE O PREÇO VAI FODER VOCÊ! E INTERFERIR NO PREÇO DAS COISAS É POLÍTICA ESQUERDISTA, SOCIALISTA, POPULISTA DESDE SEMPRE! INCLUSIVE ESSA MANIA DE MEXER NOS PREÇOS É UM DOS MOTIVOS PELO QUAL FICOU PROVADO QUE A ECONOMIA SOCIALISTA NÃO FUNCIONA.

    ResponderExcluir
  2. Uma história tão bem contada que no final eu tive que rir de verdade mesmo.Valeu,Júnior Almeida.Naveguei no tempo e me lembrei de meu pai que contava estas e outras histórias de vida.

    0 meu pai,que viveu 81 anos,tinha mais de 10 quadros de palmas e se preparava para as secas que viriam.

    Em 1932 ele tinha 12 anos de idade.Em 1945 quando a seca terminou ele tinha 25 anos.Em 1939 há 87 anos atrás o Coronel José Alves teve uma ideia brilhante em construir uma grande barragem que abastece Igapó e sítios adjacentes.

    Hoje proclamamos ao prefeito Marquidoves Vieira Marques ao lado do prefeito Marcelo Ricardo de Vasconcelos Lima de Quebrangulo proprietário de uma das maiores propriedades do Distrito Igapó para juntos construírem uma grande barragem na propriedade dele que armazenará mais de 20 hectares de diâmetro de terras com uns 5 km de comprimento cujas nascentes d!agua potável virão da maior Reserva Biológica de Pedra Talhada encravada em solo Pernambucano e Alagoano.

    Em qualquer fundo de quintal se plantando dá palmas a vontade e por que os plantios delas foram dizimados feitos os cafezais?

    Júnior Almeida, parabéns por trazeres assuntos importantes e pertinentes ao desenvolvimento municipal, estadual e federal.

    Passamos o maior sufoco do mundo com essa que foi desde 1932 a maior seca do Nordeste quando o Rio Pajeú pela primeira vez depois de longos períodos de seca voltou a sangrar e transbordar.

    Repito mais uma,Lula e Dilma representam hoje a paisagem nordestina com a TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO.Quem vive no campo vivendo do agronegócio sabe o que é perder dezenas e centenas de animais por falta de ÁGUA.

    Tantas águas vieram em junho e julho de 2010 e agora retornaram em abril e maio de 2017 e vão embora fazendo falta daqui a 2 e 3 anos.

    Prefeitos e governadores de todo o Agreste Meridional,Pernambuco,do Nordeste e do Brasil parem e pensem um pouco: "se não fosse Garanhuns com as suas três barragens e suas águas minerais com os seus poços artesianos nós teríamos passado o maior sufoco do mundo em matéria de falta de água".

    Quem teve suas cisternas e passou 1 ano para receber um carro com água sabe o que é uma seca.E quem perdeu dezenas de bovinos sabem o que é uma seca.

    ResponderExcluir
  3. Que linda histórinha de corrupção!

    ResponderExcluir