Governo Municipal

Governo Municipal
Juntos por uma Grande Cidade

Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

sábado, 3 de junho de 2017

CHUVAS ENCHEM BARRAGENS DO AGRESTE

Barragem do Cajueiro
Barragem do Mundaú

Os três mananciais que atendem as cidades de Garanhuns, Angelim e São João, no Agreste Meridional, tiveram boa recuperação dos níveis de acumulação com as chuvas que caíram na região, na última semana. A maior beneficiada foi a Barragem de Inhumas, que estava em colapso. Com capacidade de armazenar 6,9 milhões de metros cúbicos de água, a barragem aumentou 62% do seu volume e registra 67% de reservação de água. A Barragem do Cajueiro - o maior reservatório do sistema - tem condições de armazenar até 14,5 milhões de metros cúbicos de água - passou de 43% para 55% de sua capacidade total, enquanto que Mundaú recebeu um incremento de 38,23% no seu nível e apresenta agora 88,4% de acumulação.

Embora os níveis dos mananciais tenham melhorado, o calendário de abastecimento de água em Garanhuns permanece. "Precisamos ser cautelosos, porque ainda iremos enfrentar o período de estiagem, e as previsões de chuvas para 2017 é que serão abaixo da média histórica. Se, até o final de junho, as barragens alcançarem 100% de acumulação, podemos pensar em retirar a cidade do rodízio no mês de julho", explica Igor Galindo, gerente de Unidade de Negócios da Compesa. De toda forma, segundo o gerente, a população de Garanhuns já deve sentir uma mudança no abastecimento, pois a melhora dos níveis das barragens possibilita aumentar em 25% a vazão para a distribuição de água. Isso significa que nos três dias de abastecimento previstos no calendário para cada área, o cliente receberá um volume maior de água no período.

Outra boa notícia é que o Sistema de Abastecimento de Garanhuns já está operando com as três barragens novamente. No último sábado (27), o sistema foi paralisado em função das fortes chuvas que danificaram equipamentos das unidades operacionais do Cajueiro e Inhumas. Cajueiro e Mundaú - que atua de forma integrada aos demais - já voltaram a funcionar com 100% da capacidade, enquanto que Inhumas está operando com apenas um conjunto de motorbomba. A Compesa ainda trabalha para recuperar um motor e duas bombas para que o funcionamento desta unidade seja normalizado. Além de Garanhuns, o sistema atende Angelim, São João e o distrito de São Pedro.

Em outros municípios da região as barragens também pegaram bom volume d´água e os moradores de cidades como Águas Belas e Terezinha estão tranquilos por um bom tempo, com relação ao abastecimento. 

Em Terezinha a situação era de colapso total no abastecimento das residências, mas a situação mudou totalmente após as chuvas.
Barragem da Massaranduba - Terezinha

Um comentário:

  1. Hoje eu escrevi vários artigos sobre diversos assuntos e um deles foi sobre as chuvas que caíram no Agreste Meridional,no sertão e em todo o Nordeste do Brasil.

    Até 04 de abril havia uma grande preocupação dos moradores de Garanhuns quanto a escassez d!agua na maior barragem de Garanhuns a do Cajueiro construída na gestão do ex-prefeito Luiz Carlos de Oliveira com o ex-governador Eduardo Campos.

    Ai se não fosse essa barragem,Correntes teria passado por momentos difíceis mais uma vez conforme vem acontecendo com Palmares,Barreiros,Santana do Mundau e Quebrangulo em Alagoas.

    Deus é o todo poderoso que manda água para todos e de graça! A mamãe natureza tarda ,mas não falta.

    Quero aqui faz uma elogio esplêndido ao Coronel José Alves pai do Dr.Anternor Alves Pedrosa e pai do Tabelião Dimas Souto Pedrosa por ter construído uma grande barragem em Igapó -Lagoa do Ouro em 1939.Nenhum prefeito de Lagoa do Ouro após 55 anos teve a ousadia do Coronel.

    ResponderExcluir