Natal de Garanhuns

Natal de Garanhuns
A Magia do Natal

Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

GEOVANI DENUNCIA GOLPE ELEITORAL NA AMUPE

A AMUPE, Associação Municipalista de Pernambuco, comandada por Luciano Torres e José Patriota tomou decisões que na prática impedem o livre processo democrático de escolha dos seus dirigentes. Além da alteração nos seus estatutos numa manobra clara para beneficiar o prefeito de Afogados da Ingazeira, estabeleceram parâmetros que na prática inviabilizaram o debate e apresentação de uma chapa de oposição formada pelos prefeitos de Itaquitinga, Dr Geovani (PMN) , e de Itamaracá, Tato (PSB), com a adesão de vários prefeitos de outras regiões.

Ainda se registre que o edital para as eleições não foi enviado aos municípios em tempo hábil, aniquilando desta forma a disputa eleitoral.

“Lamentamos profundamente que a AMUPE não tenha tido a sensibilidade de respeitar o processo democrático e com atitudes que mais parecem cartas marcadas, resolveram levar a falsa unanimidade entre os Prefeitos pernambucanos que não se sentem representados pela entidade. Diversos Prefeito s já haviam declarado apoio a esse novo projeto, o que certamente assustou a direção atual”, disse o prefeito de Itaquitinga.


"Deixo aqui o meu protesto e a certeza de que a democracia perde uma grande oportunidade. Mas nós prefeitos que não concordamos com essas práticas sorrateiras, saberemos como trabalhar para o fortalecimento do municipalismo”, completou Dr Geovani.

4 comentários:

  1. AMUPE NÃO TEM NADA A VER COM GOVERNO, NÃO PASSA DE UM CONLUIO DE CORONÉIS PARA PLANEJAR AS MALANDRAGENS QUE IRÃO APRONTAR NAS PREFEITURAS SEM O CONHECIMENTO DO POVO.

    ESSE TIPO DE ORGANIZAÇÃO DEVERIA SER PROIBIDA!!

    ResponderExcluir
  2. Absurdo como esse atual Presidente da AMUPE conduz a entidade, ditador que que não resolve nada e não consegue nenhum tipo de benefício para os municípios. Agora quer se perpetuar na presidência.

    ResponderExcluir
  3. NOTA DE ESCLARECIMENTO

    A ASSOCIAÇÃO MUNICIPALISTA DE PERNAMBUCO – AMUPE, por intermédio da COMISSÃO ELEITORAL, que coordena o Processo de eleições da entidade, Vem perante este blog esclarecer os fatos em relação à notícia divulgada neste blog com o título: AMUPE MUDA AS REGRAS E IMPEDE DISPUTA PELA PRESIDÊNCIA”
    De logo, cumpre destacar que a atual diretoria da AMUPE sempre se pautou pela transparência e ética, em defesa dos municípios pernambucanos, sempre buscando o diálogo e a unidade.
    Também faz-se mister registrar que a AMUPE publicou no seu sitio www.amupe.org, bem como afixou em seu quadro de avisos o Edital desde o dia 20 de janeiro, convocando as eleições para o dia 21 de fevereiro de 2017 e é imperioso destacar que nenhum dos gestores que ora fazem tais críticas, procurou qualquer informação ou esclarecimentos, seja à diretoria da AMUPE, seja a qualquer dos membros desta Comissão Eleitoral.
    Conforme termos do Estatuto, transcrito no Edital, o prazo de registro de chapas se encerraria 10 (dez) dias antes das eleições, portanto, se encerrou no último dia 11 de fevereiro e, por ser sábado, prorrogou-se o prazo para o primeiro dia útil, como seja a segunda-feira, dia 13 de fevereiro. Portanto, NÃO HOUVE QUALQUER MUDANÇA DE REGRA, como quer fazer crer os senhores Giovanni Oliveira – prefeito de Itaquitinga e Mosar de Melo (Tato) - prefeito de Itamaracá.
    Neste prazo, tão somente a chapa encabeçada por JOSÉ COIMBRA PATRIOTA deu entrada no requerimento de registro da chapa.
    Esta Comissão Eleitoral, portanto, não entende e restou surpreendida com a notícia divulgada, em especial porque os reclamantes curiosamente fazem a crítica, ao mesmo tempo em que anexam os termos do Edital, fato incontestável do conhecimento das regras claras e inequívocas divulgadas pela AMUPE.
    A Comissão Eleitoral enfatiza que não houve “jogo de cartas marcadas”, nem qualquer desrespeito ao processo democrático. Os protestos, inclusive, fazem parte da democracia.
    Entretanto, esta Comissão repudia essas posturas adotadas que, ao invés de exercer o espírito democrático do diálogo, prefere se manifestar na surdina, numa afronta não somente a diretoria da entidade e a esta Comissão, mas a todos os demais municípios filiados, que representam a grande maioria.

    p/Comissão Eleitoral
    Marivaldo Andrade
    Presidente

    ResponderExcluir
  4. NOTA DE ESCLARECIMENTO

    A ASSOCIAÇÃO MUNICIPALISTA DE PERNAMBUCO – AMUPE, por intermédio da COMISSÃO ELEITORAL, que coordena o Processo de eleições da entidade, Vem perante este blog esclarecer os fatos em relação à notícia divulgada neste blog com o título: AMUPE MUDA AS REGRAS E IMPEDE DISPUTA PELA PRESIDÊNCIA”
    De logo, cumpre destacar que a atual diretoria da AMUPE sempre se pautou pela transparência e ética, em defesa dos municípios pernambucanos, sempre buscando o diálogo e a unidade.
    Também faz-se mister registrar que a AMUPE publicou no seu sitio www.amupe.org, bem como afixou em seu quadro de avisos o Edital desde o dia 20 de janeiro, convocando as eleições para o dia 21 de fevereiro de 2017 e é imperioso destacar que nenhum dos gestores que ora fazem tais críticas, procurou qualquer informação ou esclarecimentos, seja à diretoria da AMUPE, seja a qualquer dos membros desta Comissão Eleitoral.
    Conforme termos do Estatuto, transcrito no Edital, o prazo de registro de chapas se encerraria 10 (dez) dias antes das eleições, portanto, se encerrou no último dia 11 de fevereiro e, por ser sábado, prorrogou-se o prazo para o primeiro dia útil, como seja a segunda-feira, dia 13 de fevereiro. Portanto, NÃO HOUVE QUALQUER MUDANÇA DE REGRA, como quer fazer crer os senhores Giovanni Oliveira – prefeito de Itaquitinga e Mosar de Melo (Tato) - prefeito de Itamaracá.
    Neste prazo, tão somente a chapa encabeçada por JOSÉ COIMBRA PATRIOTA deu entrada no requerimento de registro da chapa.
    Esta Comissão Eleitoral, portanto, não entende e restou surpreendida com a notícia divulgada, em especial porque os reclamantes curiosamente fazem a crítica, ao mesmo tempo em que anexam os termos do Edital, fato incontestável do conhecimento das regras claras e inequívocas divulgadas pela AMUPE.
    A Comissão Eleitoral enfatiza que não houve “jogo de cartas marcadas”, nem qualquer desrespeito ao processo democrático. Os protestos, inclusive, fazem parte da democracia.
    Entretanto, esta Comissão repudia essas posturas adotadas que, ao invés de exercer o espírito democrático do diálogo, prefere se manifestar na surdina, numa afronta não somente a diretoria da entidade e a esta Comissão, mas a todos os demais municípios filiados, que representam a grande maioria.

    p/Comissão Eleitoral
    Marivaldo Andrade
    Presidente

    ResponderExcluir