Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

QUANDO RITA PAVONE ESTEVE NO BRASIL

Por Altamir Pinheiro

Que maravilha eram nossos bailes de garagem ou  em salão paroquial, como também nos “ASSUSTADOS” ou nas casas de fazendas  das amigas,  nos anos 70, ouvindo os “BULACHÕES” em radiola portátil de braço quando a gente fazia uma cota para comprar  6  pilhas Eveready  e estar com essa menina irreverente, sardenta e pequena cantando músicas maravilhas e interpretando uma canção que tinha como compositor Sergio Endrigo, intitulada DATEMI UN MARTELLO, música esta, que tinha como introdução em ritmo de YEYEYÊ: Ah, ah, ah, rá... Thiu riu, thiu rá... Ah, ah, ah, rá... Thiu riu, thiu rá... Se italiano fosse, diria: “AMO QUESTA CANZONE. RITA È MERAVIGLIOSA!!!”. Sendo brasileiro fico a me perguntar: Por que não multiplicaram os finais dos anos 60 e toda à década de 70 por mais alguns séculos?!?!?! 
Difícil acreditar que RITA PAVONE,  hoje,  esteja com  mais de 70 anos, quando nos deparamos com aquele teipe, da TV RECORD, nos idos de 1964 quando Rita esteve pela primeira vez no Brasil, ainda muito giovani (com apenas 22 anos), sublime e meravigliosa. No que se refere ao cantor e compositor Sergio Endrigo, morreu em 2005,  de câncer, aos 72 anos de idade em Roma. ENDRIGO ficou conhecido no Brasil nos anos 60, por ser o autor de CANZONE PER TE, com a qual o brasileiro Roberto Carlos ganhou o Festival de San Remo, em 1968: "La festa è appena cominciata / È già finita..."

Deixando um pouco a nostalgia de lado, vamos no ater a carreira de Rita Pavone como atriz, principalmente nos faroestes. Pois bem!!! Como afirma o crítico de cinema Miguel Cerqueija, “RITA É UMA DAS MAIS ENCANTADORAS ARTISTAS DO TEMPO PRESENTE. ELA É SEM DÚVIDA UMA PESSOA ABENÇOADA”.  No cinema, mesmo sem ter aparecido em tantos filmes como Elvis Presley, Rita Pavone ocupa um público-alvo importante no cinema, bem superior à maioria dos artistas da canção internacional. Então com 18 anos, um tico de gente, magra e miúda (1,50m), Rita Pavone interpreta magistralmente o garoto Gian Burrasca em suas aventuras / desventuras familiares e estudantis. Hoje a série é “cult”, tendo sido reprisada pelas televisões,  e recentemente saiu em DVD. Em 1967 Pavone estrela “Little Rita nel West” e “La feldmarescialla”, fitas co-estreladas por TERENCE HILL. Em “RITA NO OESTE” – faroeste cômico divulgado nos cinemas brasileiros e também em VHS. Há muitas outras participações de Rita no cinema; em sua maioria porém são inclusões de suas gravações nas trilhas sonoras. Que aliás, de muito bom gosto. Uma das razões da pouca participação dela na cinematografia é que Rita praticamente trocou o cinema pelo teatro.
No  Faroeste Spaghetti, o bangue bangue à italiana, seu filme de destaque é Os Pistoleiros do Oeste(1967). Quanto à sua carreira que já vai com mais de 50 anos de estrada, durante todo esse tempo, Rita Pavone esteve quatro vezes no Brasil. Suas turnês foram nos anos de 1964, 1965, 1970 e a última foi há precisamente 30 anos, em 1987. Nesse ínterim, como curiosidade, no ano de 1968, ela esteve no Brasil, só que desta vez fora em VIAGEM DE NÚPCIAS. No dia 5 de abril de 68, Rita Pavone e Teddy Reno (SEU EMPRESÁRIO) chegam ao Rio de Janeiro, em viagem de lua-de-mel(Rio e São Paulo), e hospedaram-se no Copacabana Palace Hotel. O casal foi ao Pão de Açucar, à praia de Copacabana, os dois tomaram banho de mar e depois viajaram para Nova Friburgo. Aí, naquele friozinho gostoso Foi só love, muito love... Há pouco mais de 10 meses a coroa enxuta, Rita Pavoni postou em sua página no Facebook, que ela e Teddy Reno comemoram em Londres os 50 anos de casamento no religioso. Eles se casaram em Lugano(Suíça).
Por fim, Têm certas coisas hoje em dia que dá vontade de falar DATEMI UN MARTELLO (DÊ-ME UM MARTELO). Naquele tempo, os artistas mostravam os seus talentos e as suas vozes e não como hoje que mostram as suas tatuagens, piercings, exibicionismo repugnante como as coxas e a bunda de fora ou mostrando o “TAIO” do xico rachado com a calcinha enfiada,  ou tem que fazer publicidade a sua vida privada, como forma de compensar a sua falta de talento ou então participar de filmes tipo FUSCÃO PRETO... Tô mentindo XUXA MENEGHEL?!?!?!

3 comentários:

  1. tou ligado nos seu artigos muito bons

    ResponderExcluir
  2. Um milhão de verdade

    ResponderExcluir
  3. ANÔNIMOS: FIQUEI MUITO SATISFEITO COM SUAS DECLARAÇÕES...

    ResponderExcluir