Natal de Garanhuns

Natal de Garanhuns
A Magia do Natal

Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

domingo, 29 de janeiro de 2017

BATATA ACHA QUE BISPO COMETEU GAFE EM CAPOEIRAS

O ex-deputado federal Carlos Batata (DEM) acha que o bispo da Diocese de Garanhuns, Dom Paulo Jackson, cometeu uma “gafe” quando do sepultamento do Monsenhor Geraldo, no dia 13 de janeiro passado. Apesar de ter tido seu nome citado pelo líder religioso, na ocasião, o político do democratas considera desrespeitosa com a memória do pároco capoeirense o fato de ter sido cedida a palavra a prefeita Neide Reino (PSB) para falar em nome do povo do município, “quando se sabe que o sacerdote não mantinha boas relações com o grupo que está no poder.

Segundo o ex-prefeito, são muitas as pessoas do município que discordaram da atitude do bispo, “permitindo que se fizesse política no enterro de um homem que era venerado pela população como líder religioso”.

Ele disse que não tocou nessa questão antes por ser um assunto delicado, preferindo guardar silêncio até hoje como maneira de preservar a memória de padre Geraldo, que esteve à frente da paróquia de Capoeiras durante 45 anos.

“Mas como são muitas as pessoas que reclamaram diretamente a mim da gafe cometida naquele dia, dando voz aos que tanto atacaram o monsenhor nos seus últimos anos de vida, fica aqui registrado o meu protesto e expressa minha solidariedade  aos católicos capoeirenses”, comentou Carlos Batata, para quem o bispo deve unir os fiéis e não ajudar a separá-los, tomando partido.

O ex-prefeito acha que o mais indicado para falar pela população no dia do sepultamento do monsenhor, seria uma pessoa da igreja, amiga do padre, como por exemplo a professora Nazaré. “Neste caso todos ficariam satisfeitos e não haveria motivo para críticas”, finalizou.

A prefeita Neide Reino, no dia em que usou da palavra, junto ao caixão do Monsenhor Geraldo, reconheceu que tivera desentendimentos com o pároco, mas garantiu que estes estavam superados. Lembrou, inclusive, que outros dirigentes do município em determinado momento não se deram bem com o padre e depois ficaram amigos.

O ex-prefeito Zezinho e o próprio Carlos Batata tiveram conflitos com o sacerdote, porém depois passaram a “caminhar juntos”.

Os três últimos bispos de Garanhuns – Dom Irineu, Dom Fernando e agora Dom Paulo – adotaram medidas para inibir que os padres entrassem na política.  Críticas como essa do ex-deputado poderiam ser evitadas se determinados gestos não fossem praticados  num município dividido politicamente.

Na última eleição realizada em Capoeiras, Neide Reino venceu a eleição, porém o representante da oposição teve aproximadamente 48% dos votos.

12 comentários:

  1. José Fernandes Costa29 de janeiro de 2017 19:45

    Coisa mais repugnante é uma batata azeda!! Só serve para o LIXO !! Batata podre é uma desgraça !! - Por que criar tal celeuma, com intuito explícito de ganhar votos em pleitos futuros??!! /.

    ResponderExcluir
  2. A Prefeita é a representante de todos os munícipes, independente de cores partidárias e, nesse caso, não foi ela, nem o bispo que politicamente o sepultamento. O macaco primeiro tem que olhar o próprio rabo.

    ResponderExcluir
  3. A Prefeita é a representante de todos os capoeirenses.

    ResponderExcluir
  4. Vamos dá um desconto ao bispo, ele está a frente da Diocese a menos de dois anos, pra saber todo buchicho que envolve padres e políticos locais, ou então, não vai mais trabalhar, vai só ficar acompanhando essas baboseiras politica dos usurpadores do erário público. Na realidade todos estão querendo mesmo é uma boquinha, sem dar um prego.

    ResponderExcluir
  5. Não acho que a "gafe" foi cometida pelo bispo, ele apenas seguiu o protocolo e certamente desconhece a história política entre a igreja e a gestão do município.
    Mas não adianta nada a população se queixar, o que vale de verdade é o sentimento do povo e as saudades que Monsenhor Geraldo deixou com sua partida. Palavras de "político nenhum" cobrirá a dor da perda.

    ResponderExcluir
  6. Macaco não olha o próprio rabo. Será que o senhor Antônio Carlos pensa que o povo esquece que quando ele era prefeito, gritou ao microfone, mandando padre Geraldo tirar a "saia"? E Zezinho Borrego que também se desentendeu com monsenhor, quando disse que mandava na rua e o padre na igreja? Dos ex-prefeitos que estavam no enterro, apenas Aluizio Cabral não se desentendeu com o padre. Neide se desentendeu sim, principalmente por conta do seu marido. No dia 9 de dezembro mesmo, o padre Geraldo foi obrigado a celebrar a missa de portas fechadas, pois tinha dois carros de som ligados na praça, sendo um da prefeitura, transmitindo Nenen falando na rádio local, respondendo Batata que tinha falado um dia ante. É um mamando e o outro doido pra mamar, e Capoeiras só perdendo. Batata, Neide e Nenen, vão trabalhar! Deixem de querer aparecer até num momento de dor como esse. Tomem vergonha!

    ResponderExcluir
  7. Quem não é de Capoeiras não sabe o que diz padre Geraldo chamava o bando da prefeita de demônios

    ResponderExcluir
  8. É gente, admiro Neide mas dessa vez ela foi infeliz no discurso, não era hora pra cometário e sim de uma palavra de uma autoridade ,e isso ela não soube se comportar agiu pelo ódio infelizmente.

    ResponderExcluir
  9. Não tinha para que ela ter falado naquele momento, percebia na fala tremenda felicidade. Nem soube disfarçar. O bispo comenteu sim, uma gafe e grande. Não gosto mais dele.

    ResponderExcluir
  10. Os padres em geral são seres humanos e são amados e odiados por quase todos os políticos.Quando se elogia alguns fiéis acham ruim e quando se mete o pau alguns fiéis acham ruim também.

    Os Padres são pessoas formadas na teologia e na psicologia com conhecimento antropólogo,na sociologia e conhece o seu rebanho como nunca.Os Padres são seres humanos iguais a mim e a você.

    O ex-prefeito Carlos Batata eu conheço de longas datas.Nunca teve papa na língua e pela Honda policial do saudoso Aluísio Alves atingiu muita gente de Capoeiras com palavras ásperas e grosseiras.

    Os próprios amigos dele depois se divergiram e se distanciaram. Hoje é nós contra nós mesmos.

    Quanto ao Padre Monsenhor Geraldo em nada tira o lado positivo e correto de suas pregações mesmo tendo que se confrontar com as autoridades civis , militares e eclesiásticas.

    Uma certa vez o padre da minha cidade meteu o pau nas pessoas que bebem umas e outras.Um alcoólatra gritou entre os amigos, é mas o padre também bebe uma.

    O Padre também é um ser político por natureza.Ao seu encontro vão todas as pessoas trazendo seus problemas de ordem pessoal,familiar ,social,político e administrativo.

    Uma certa vez o padre celebrando a missa fez um grande comentário sobre a compra de votos,o que o Batata nunca fez na vida dele,e alguns vereadores presente achou ruim.Outra vez o padre chegou a dizer,isto é uma vergonha,tantos buracos nas estradas e as autoridades não consertam!

    Enfim,o Padre Geraldo deu muitos cascudos em todos os ex-prefeitos o que foi correto.Os prefeitos e os políticos em geral precisam saber é que, Santo Agostinho afirmou: "prefiro os que me criticam porque me corrigem aos que me elogiam porque me corrompem".

    ResponderExcluir
  11. Esse Batata não tem mesmo o que fazer. Ela é a representante da cidade e falou muito bem. Queria ele está no lugar dela mas só vai ficar querendo. .

    ResponderExcluir