Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

RARIDADES MUSICAIS DE RAUL SEIXAS E ROBERTO CARLOS

Raul Seixas viveu a melhor fase de sua carreira quando teve como parceiro Paulo Coelho, hoje o escritor que mais vende livros no Brasil.

Juntos, Raul e Paulo fizeram músicas que viraram “cult”, ouvidas e cantadas por pessoas de diferentes gerações. É o caso de Gita, Tente Outra Vez, Metamorfose Ambulante, S.O.S,  Trem das Sete, Água Viva e Medo da Chuva.

Raul sempre teve um lado místico, esotérico, e mesmo depois que acabou a parceria com Paulo continuou por esse caminho.

No disco de 1983, Raulzito lançou o LP que traz o sucesso “O Carimbador Maluco”, com pelo menos mais duas preciosidades: Coração Noturno e O Segredo da Luz. A primeira já foi tema de uma postagem do blog. A segunda, em parceria com a sua mulher na época, Kika Seixas e Cláudio Roberto, é uma música pouco conhecida, mas muito bonita. Mística, quase religiosa, tão inspirada que os autores e o cantor parecem ter conseguido uma conexão com Deus.

Confira “O Segredo da Luz” clicando no link


Roberto Carlos iniciou sua carreira musical, na verdade, aos 9 anos de idade, quando se apresentou num programa da rádio de sua terra natal, Cachoeiro do Itapemirim (ES). Ganhou balas doces por ter se saído bem.

Depois, quando ficou rapaz, o cantor foi morar no Rio de Janeiro, conheceu Carlos Imperial, Erasmo Carlos, Tim Maia e outros artistas que tentavam se dar bem vivendo exclusivamente de música.

Roberto “ralou” um bocado antes de chegar ao estrondoso sucesso de “Quero que vá tudo pra o inferno”, de 1966.

Sem saber que rumo seguir, o cantor lançou dois compactos simples no final da década de 50, gravando canções onde era nítida a influência do baiano João Gilberto, o homem da Bossa Nova.

Em 1961, com o apoio de Carlos Imperial, compositor, produtor e empresário, Roberto Carlos conseguiu gravar seu primeiro LP, intitulado “Louco Por Você”.

Neste álbum, RC mantém ainda a influência de João Gilberto, mas mescla algumas canções na linha da Bossa Nova, com sambas, boleros e twist, um estilo musical já próximo do rock e do iê-iê-iê.

“Louco por Você” vendeu apenas 500 cópias e até hoje é proibido por Roberto de ser relançado, embora ele tenha trabalhos piores na carreira.

Um dos destaques do LP é a canção Solo Per Te, uma versão feita por Renato Corte Real.

Pouca gente já ouviu essa música cantada por Roberto, um bolero bem legal, que como outras canções do disco de 1961, mereciam uma releitura anos depois, quando o artista já estava maduro.

Acesse o vídeo do youtube e confira essa raridade musical. Na imagem aparece a capa do primeiro LP. O rapaz da foto não é Roberto Carlos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário