Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

A CULTURA DO VOTO PERDIDO

*Paulo Camelo

Em cada eleição a população se esquece da paridade que deve existir entre ser exigente na ocasião de comprar algum alimento no Supermercado, ou remédio na Farmácia, verificando a data de sua validade, com a validade do político.

No Brasil, especialmente no Congresso Nacional, há uma infinidade  de políticos vencidos, alguns apelidados de membros  do “baixo clero”,  quando a razão se refere  a  defesa dos interesses da nossa sofrida população brasileira.  Sendo maioria, é ela que  na Democracia Burguesa, elege periodicamente os seus carrascos: são os políticos que vão lhe explorar e lhe oprimir no próximo período.

Nas  eleições de 2014, o deputado  federal mais bem votado em Garanhuns, com apoio do prefeito Izaías Régis, ambos do PTB, foi o Jorge Corte Real, com aproximadamente 10 mil votos. Membro inconteste da Legião Estrangeira, onde a maioria dos votantes sequer o conhecem ou viram em alguma noite de festa, o citado parlamentar votou recentemente  na PEC 241, a qual  vai congelar os investimentos em saúde e educação nos próximos 20 anos, prejudicando  todos nós brasileiros e  ameaçando  o funcionamento do SUS.

Por outro lado, quando a PEC 241 chegar  ao Senado, o burguês Armando Monteiro, já anunciou que deve votar “SIM”, isto é, reforçando a perda  de direitos do povo brasileiro.

Considerando  que  “A Cultura do Voto Perdido” não tem cura,  a curto prazo, os nossos conterrâneos  acabaram de destinar   cerca de 60 mil votos  perdidos nas eleições municipais de 2016, aos candidatos a prefeito, Izaías  Régis, mais de 44 mil votos,  e Sivaldo Albino, com mais de 15 mil votos.

No Brasil, é assim. Os políticos não  dizem claramente o que defendem. Aqui em Garanhuns, assistimos uma eleição despolitizada e ensaiada, patrocinada pelos campeões de votos, Izaías e Sivaldo, onde propostas, os mesmos, não apresentaram. Caracterizando-se  o ex-candidato a prefeito, Sivaldo Albino, com seu besteirol, o qual  reclamava  dos “óculos escuros de Izaías” e  propunha, vagamente,  um tal de “Galpão da Criatividade”, sem que o mesmo soubesse sequer  definir.  Por outro lado, o candidato eleito  se caracterizava pelas suas bravatas  e sua exibição.

Nesse contexto, há uma  geleia geral na política brasileira e um ponto em comum: a despolitização da população.

Assim, a Direita segue  ocupando e recuperando espaço perdido para dominar e quebrar os direitos adquiridos pelos trabalhadores com muita luta e suor.


(*) Paulo Camelo de Holanda Cavalcanti, é engenheiro civil, ex-presidente do Diretório Acadêmico do Centro de Tecnologia da UFPE,  líder popular e militante do PCB de Garanhuns. 

3 comentários:

  1. Camelo chama de despolitização a remoção de ideias totalitárias do imaginário da população como se a esquerda quisesse salvar os pobres.

    Para fins de exemplo:

    Vamos ao conceito de MST explicado pelo próprio João Pedro Stedile...

    No programa de entrevistas "Provocações" o apresentador Antônio Abujanra, perguntou ao lider sem-terra:

    - o que é o MST?

    O Stédile respondeu:

    - É um movimento que luta por garantir o direito do povo pobre de TRABALHAR na terra.

    Ora, ele não disse que o MST é um movimento que vise distribuir terra para os pobres, mas que garanta que os pobres trabalhem na terra.

    Diante desta resposta CLARA, eu pergunto:

    O que ele fará para garantir que os pobres trabalhem na terra? Visto que nos dias de hoje para que se garanta a produtividade necessária para abastecer a grande e crescente população do mundo é obrigatória a AUTOMAÇÃO do campo, uma vez que a cada dia que passa os lucros no campo tornam-se menores inclusive insuficiente para tornar viável a agricultura familiar, tão defendida por esquerdopatas. Visto também que ele claramente não tornará a terra propriedade dos pobres, apenas colocará os pobres para trabalhar nela.

    A resposta é simples... Ele prega banir a tecnologia do campo e simplesmente, adotar o trabalho 100% braçal, jogando os pobres novamente em um regime de escravidão, mas dessa vez pior, pois nos dias de hoje com o a superpopulação esses meios de produção em larga escala simplesmente não seria possível no modelo proposto pelo MST.

    No fim das contas na realidade o MST visa duas coisas igualmente tenebrosas, 1 - jogar grandes contingentes de pessoas pobres no trabalho escravo. 2 - reduzir a capacidade de produção de alimentos do país.

    Em resumo esses movimentos esquerdistas usam os pobres seduzindo-os com elogios, conversas bonitas e promessas maravilhosas para literalmente EXTERMINA-LOS a médio e longo prazo.

    ResponderExcluir
  2. com relação aos deputados federais é muito grave também, porque eles não apresentam nenhum programa de ações e atividades a serem defendidos no congresso. Quase todos dizem que gostam do povo, que vai defender seus interesses, mas na hora de votar... votam no afastamento de uma presidenta eleita, com acusações sem provas, difusas, montadas e colocam um governo ilegítimo de um sujeito que ficou nos subterrâneos da política da traição, doa acordos numerário$, das compras de votos, do rebaixamento da política e dos acertos com as elites empresariais para retirar direitos dos trabalhadores, dos aposentados, sangrando a saúde e a educação pública e favorecendo os interesses privados de tas suas políticas públicas... concordo com o Paulo Camelo, que faz a política permanente e comprometida com os interesses dos trabalhadores, quando ele constata a falta declareza da maioria dos políticos que estão atrás dos votos, que de forma sorrateira compram seus mandatos e dão às costas para os interesses da maioria da população. Estão nos mandatos para defender interesses pessoais e de alguns privilegiados. É fundamental que partidos como o PCB, promovam trabalho permanente de formação política e contribua na organização e fortalecimento das organizações populares e dos movimentos sociais, para firmar cidadãos críticos, com visão de mundo solidária.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. POIS É,DISPUTEI 9 ELEIÇÕES E PERDI 7 DELAS,TUDO PORQUE FALTANDO APENAS 3 DIAS NÃO TIVE DINHEIRO PARA DAR AOS ELEITORES PIDÃO!CONHEÇO A COMPRA DE VOTOS DESDE OS MEUS 17 ANOS, ISTO É, DESDE 1976.HOJE PIOROU DE VEZ.

      UM MANÉ E UM BATATA QUALQUER SAEM COMPRANDO NAS BARBAS DO PROFETA E DE NÓS MESMOS E NÓS APLAUDIMOS.QUE LINDO,ESSA DEMOCRACIA BRASILEIRA COM OS NOSSOS GOVERNANTES FINGINDO QUE TRABALHAM E OS ELEITORES FINGINDO QUE ESTÃO VOTANDO HONESTAMENTE.

      6 EX-VEREADORES DISSERAM A MIM PESSOALMENTE QUE NUNCA TRABALHARAM PORQUE O PREFEITO NÃO QUER QUE ELES TRABALHEM.TUDO MENTIRA DE QUEM COMPROU OS ELEITORES E DEPOIS VOLTAM COMPRANDO DE NOVO COM A MAIOR CARA DE PAU.OS SÍTIOS E AS RUAS NÃO MENTEM E NÃO DEIXAM EU MENTIR.

      PROFESSOR ZECA BARBOSA -LAGOA DO OURO.40 ANOS DE VIDA. PÚBLICA!

      Excluir