Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

CANDIDATO RECLAMA DE ACORDO DA JUSTIÇA ELEITORAL

Recebemos do candidato da oposição à prefeitura de Capoeiras, ex-deputado Carlos Batata, a seguinte mensagem, através de e-mail:

Prezado jornalista Roberto Almeida,

Gostaria de usar esse veículo de comunicação conceituado em todo o agreste Meridional para tornar público a minha estranheza ao tomar conhecimento a respeito de uma “proposta de acordo” intermediada formalmente pela Justiça Eleitoral entre as coligações concorrentes em Capoeiras, a qual fere flagrantemente os princípios da isonomia, equidade, proporcionalidade e razoabilidade.

Segundo a proposta de acordo, os dias para a realização de propaganda político-partidária na cidade seriam divididos de forma alternada entre as coligações. Ocorre que nesta divisão, surge um fato particular em relação à campanha no município. A nossa coligação CAPOEIRAS AVANÇA JUNTO COM O POVO ficaram reservadas apenas duas sextas-feiras até a eleição, enquanto que para outra coligação ficaram reservadas quatro sextas-feiras.

O fato é que é sabido que as sextas-feiras são os dias em que é realizada a feira do município e em que há a maior concentração de pessoas na zona urbana, cerca de 80% da população, sendo este o dia mais importante para a realização de atividade político-partidária no município.

Sem contar, ainda, que além das quatro sextas-feiras reservadas à coligação adversária, ficou estabelecido que em um dos finais de semana (sexta, sábado e domingo) não haveria realização de atividade política por “nenhuma” das duas coligações em virtude da Festa do Estudante. Ora, é inaceitável ficarmos sem realizar campanha política, quando, de fato, todos sabemos que a referida festa é realizada pela prefeitura, tendo o nome da adversária, inevitavelmente, associado ao evento.

Isso pode não ser propaganda formal de candidato, mas não deixa de ser propaganda de fato, trazendo, consequentemente, dividendos eleitorais para a candidata adversária.


Logo, me sinto lesado no meu direito de realizar os atos de minha campanha por entender feridos os princípios da equidade, proporcionalidade, razoabilidade e isonomia, os quais devem ser observados entre as candidaturas postulantes.

Me causa, ainda, maior estranheza que nenhuma das autoridades presentes, seja o representante do Ministério Público ou do Judiciário, não tenham observado tal disparidade e violação. Sem contar, ainda, na presença e atuação direta na ocasião da prefeita do município, quando na realidade a referida reunião era direcionada aos representantes das coligações e não ao candidato.

Supondo-se, portanto, a obtenção de vantagem em razão da prevalência da imposição do cargo em relação aos demais.

Como candidato não posso aceitar tais proposições, razão pela qual não me restou outra alternativa que não acionar o corpo jurídico que nos representa, Oliveira e Gallindo Advogados Associados, para que proceda de forma que eu possa ter meus direitos constitucionais de candidato resguardados e assegurados.

Abraço. Agradeço o espaço.”

CARLOS BATATA
Candidato a prefeito de Capoeiras pela Coligação Capoeiras Avança Junto com o Povo.

7 comentários:

  1. SE ISSO FOR VERDADE COMO ESTAR RELATADO NA MENSAGEM DO ACORDO ELEITORAL, VAMOS AGUARDAR A POSIÇÃO DO JUIZ ELEITORAL SE CONFIRMA O QUE FORA COMBINADO OU O JUIZ VAI SE AFROUXAR, E POR PRESSÃO, CEDER AO CANDIDATO QUE SE DIZ PREJUDICADO.

    P.S.: - Pelas peças ranhentas e ranzinzas que disputam as eleições de Caetés e Capoeiras, os juízes dessas duas comarcas vão tomar muita NEOSALDINA para dormir, eles infernizando a vida desses magistrados. Em que pese ser um direito do candidato apelar para a justiça quando se sentir prejudicado... ISSO NINGUÉM HÁ DE NEGAR!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é muito autoritário Altamir querer chamar o Juiz de froxo coidado autoridade é autoridade não se brinca e o candidato Carlos quer os direitos que tem

      Excluir
  2. RESPONDENDO AO Anônimo18 de agosto de 2016 15:35

    Oh, repugnante!!!

    JAMAIS EU VIESSE A SABER QUE VOCÊ É UM TREMENDO BABA OVO DE JUIZ!!!

    P.S.: - Anônimo repugnante, como perguntar não estupra eu vou sapecar uma indagação a ti: além de lambe cu de juiz, tu és BATATEIRO, hein?!?!?!

    ResponderExcluir
  3. As leis devem valer para todos,é um direito de ambos os lados partidários. As autoridades devem sim rever esse caso e nós como seres racionais temos que admitir que as autoridades devem ser respeitadas assim como a lei. Cabe a nós desvincular-nos da mente pequena e burocrática e ir em busca dos nossos direitos, caso contrário a sociedade nunca terá voz ativa e viverá acuada por detrás das ordens de políticos que só pensam em si.

    ResponderExcluir
  4. Os direitos sao iguais ele estar certo de reclamar e que venca quem tiver mais votos.

    ResponderExcluir
  5. Conversa de derrotado, ps: senhor Roberto Almeida, publique meu comentário, seja mais parcial.

    ResponderExcluir
  6. DEVERIA TER UMA LEI PARA FISCALIZAR MELHOR ESSES CARROS DE SOM EM CIDADES DO PORTE DE CAPOEIRAS, CAETÉS E OUTRAS.
    O CIDADÃO EM ÉPOCA DE ELEIÇÃO É OBRIGADO A OUVIR UM CARRO COM O SOM ABSURDO DE ALTO PASSANDO 10 20 30 X NA MESMA RUA, SEM RESPEITO ALGUM COM OS MAIS IDOSOS, DOENTES E ESTUDANTES.
    POXA VIDA, TODO MUNDA JÁ SABE EM QUEM VAI VOTAR, ESSES CARROS DE SOM SÃO APELAÇÃO DOS POLÍTICOS DE CIDADE PEQUENA.
    POR ISSO EU VOTO EM BRANCO, POIS NÃO SUPORTO TANTA FALTA DE RESPEITO COM O CIDADÃO E A CIDADÃ QUE NÃO QUER PARTICIPAR DESSAS PALHAÇADAS POLITICAS

    ResponderExcluir