Governo de Pernambuco

Governo de Pernambuco
Governo de Pernambuco

A VITÓRIA DAS COTAS PARA OS NEGROS NAS UNIVERSIDADES BRASILEIRAS

O Brasil adotou o sistema de cotas nas universidades há pouco mais de 10 anos. No início dos anos 2000, apenas 1,8% de negros tinham acesso ao ensino superior no país. Atualmente, em torno de 12% de pessoas de pele escura frequentam as melhores universidades públicas do Brasil.

Houve muito resistência em todos os Estados à implantação do sistema de cotas. Por parte de dirigentes universitários, de professores, de parte da imprensa dos políticos  e até do Poder Judiciário.

Na área política o DEM chegou a entrar com uma ação contra as cotas nas universidades.

Depois de uma década, porém,  ficou comprovado que é uma política acertada, tanto que revistas como a IstoÉ e Fórum chegaram a publicar reportagens mostrando “a vitória das cotas”.

Além de combater o racismo e possibilitar melhores condições de vida às pessoas de cor, o sistema adotado pelo governo brasileiro deixou claro que homens e mulheres, brancos ou pretos, pobres ou ricos, só precisam de uma oportunidade: já está mais de que provado que normalmente os cotistas ficam entre os melhores alunos das instituições de ensino superior.

Este post foi inspirado num revelação de meu filho João Paulo, que começou um curso superior na Universidade Federal de Alagoas, anos atrás e disse que não tinha um único negro estudando em sua sala. Tempos depois, começou a fazer uma outra faculdade, também na UFAL e notou logo a novidade: mais de uma dezenas de negros eram seus companheiros de estudo. Claramente um avanço possibilitado pelo sistema de cotas.

A resistência às políticas que permitem a ascensão econômica e cultural dos negros no Brasil vem de longe: nós fomos dos últimos países a acabar com a escravidão, um sistema cruel que ficou para sempre como uma mancha em nossa história.

Para muitos racistas ou preconceituosos o negro ainda devia estar na senzala ou na chibata. Deve incomodar muito aos mauricinhos conviver com pessoas de cor na sala de aula, dentro de uma universidade em Brasília, no Rio de Janeiro, Maceió ou Recife.

Só para concluir: São Paulo, governado pelo tucano Geraldo Alckmin, é um dos estados em que o sistema de cotas menos avançou. Ele chegou a fazer projetos considerados racistas para substituir o modelo de inclusão adotado no Rio de Janeiro, Brasília e outras capitais.

O resultado disso é que São Paulo está ficando para trás na inclusão social e se tornando um Estado cada vez mais conservador e reacionário. Por lá: é muito forte a discriminação e até o ódio contra os negros, os pobres e os nordestinos.


Fato é que as cotas para os negros na universidades mudaram a realidade do país, que hoje é menos injusto e preconceituoso, mesmo que Geraldo Alckmin não queira.

19 comentários:

  1. Nego entra na universidade por que é burro e não por merito. Entra pela janela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Burro é tu racista sem nome e filho de uma grande puta

      Excluir
    2. Que nos desculpe as puta este racista nojento vagabundo

      Excluir
  2. A raça negra é tao discriminada que até para entrar na faculdade é feito um arrumadinho

    ResponderExcluir
  3. Esse governo que só sabe roubar quer transformar o Brasil na Pyongyang brasileira. Ideia de jerico.

    ResponderExcluir
  4. Meu Deus !!!
    O negro é tão inteligente como qualquer outra etnia. Precisa é conquistar espaço e cidadania.

    ResponderExcluir
  5. Cotas e necessária sim. Sou a favor!!!!

    ResponderExcluir
  6. Penso que o sistema educação no BRASIL é no mínimo equivocado, porque não precisaríamos de enem, sisu etc . Para adotar um sistema justo para todos era só eliminar todos esses programas, e com isso os formandos do ensino médio só precisariam comprovar suas notas, se elas atingissem uma meta estipulada eles já entrariam direto num ensino superior, sem ter que comprovar se são pretos, brancos, ricos ou pobres .

    ResponderExcluir
  7. Cotas é muita safadeza é um modo de piorar o ensino. Coisa de governo ladrão

    ResponderExcluir
  8. 1º - Universidade sem emprego não serve pra nada.

    2º - Universidade sem educação básica de qualidade, também não serve pra nada.

    3º - Terminar universidade sem saber de nada, também não serve pra nada.

    Conclusão: COTA RACIAL É O MESMO QUE NADA!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Rapaz,talvez você não tenha prestado atenção, mas a cota é para entrar na universidade e não para cursar. A mesma disciplina aplicada ao estudante de ampla concorrência é aplicada ao aluno cotista. Ambos recebem o mesmo critério de avaliação, não há uma avaliação para o cotista. Se um cotista terminar a faculdade sem saber de nada, sinto lhe dizer, nenhum dos formandos saberão.
      Agora, se alguns sente-se ameaçados pelo negro que tem acesso ao mesmo curso e que por muitas vezes mostra-se um aluno mais capaz, é outra história.

      Excluir
  9. Quando eu estudei na UFPE conheci pessoalmente aquele jovem negro, filho de uma catadora de papel que passou no vestibular para biomedicina na UFPE, Alcides do Nascimento Lins, eu o via frequentemente e conversava com ele. Pois nós dois tinha-mos a mesma bolsa para alunos de baixa renda fornecida pela UFPE, ele foi noticia no Brasil inteiro por causa da alegria de sua mãe por ter seu filho aprovado no vestibular e foi barbaramente assassinado na porta de sua casa na favela da Roda de Fogo, bem perto de onde eu morava na época o caso dele me deu uma lição de vida que os Malditos PETISTAS até hoje não aprenderam!

    Não adianta bolsa, nem cota, nem nada o que esses Malditos políticos deveriam fazer era dar condições de vida digna aos pobres o que não fazem. O que adiantou o Alcides ter sido aprovado na universidade no curso que queria, ganhando bolsa de auxilio acadêmico e continuar vivendo em um País onde 60 mil pessoas são assassinadas todos os anos? Onde destes assassinatos somente 8% chegam a ser INVESTIGADOS e menos 3% consegue-se apontar um culpado???

    Aos 22 anos de idade Alcides foi executado na frente da mãe e das irmãs sem sem chance de fugir, só por não saber onde seu vizinho se encontrava. O que adiando COTA NUM PAÍS DESSE???

    ResponderExcluir
  10. Só relembrando o caso coloco o link da prisão do MALDITO, que estava em Regime Semi-aberto. (Puta que pariu só de lembrar disso eu fico com mal estar enojado com nossa justiça).

    https://www.youtube.com/watch?v=tIGfkZ-WyEs

    ResponderExcluir
  11. De acordo com alguns comentários aqui, sou contra cota sim, pois sabedoria e conhecimento não tem cor...isso faz apenas com que essa população cotista acomode-se mais....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há como um cotista se acomodar. Se ele quiser concluir um curso vai ter que suar muito, pois, não há dois mecanismos de avaliação. Ou você rala ou jubila.

      Excluir
    2. É realmente os cotistas com deficiência na base da educação que conseguem entrar em cursos melhores e mais exigente como medicina, computação e Engenharia são todos reprovados de cara e caem fora. Aí vão cursar Pedagogia, Letras, História, cursos que são mais fáceis de empurrar com a barriga. Daí a falsa pesquisa citada por você que cotistas tem desempenho melhor. Pura lenda urbana.

      Excluir
  12. continuo achando que cota é chamar negro de burro é uma humilhação pa raça negra coisa de governo que tem peninha de preto

    ResponderExcluir
  13. J​uiz da Paraíba diz que lei de cotas para negros em concursos públicos é inconstitucional. DA aplicação da lei de cotas raciais em concursos públicos (Lei 12.990), que reserva 20% das vagas a candidatos que se autodefinem pretos ou pardos, foi declarada inconstitucional pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da Paraíba, no julgamento de um caso de nomeação postergada pelo Banco do Brasil. De acordo com a sentença do juiz Adriano Mesquita Dantas, a legislação viola três artigos da Constituição Federal (3º, IV; 5º, caput; e 37, caput e II), além de contrariar os princípios da razoabilidade e proporcionalidade.

    ResponderExcluir