sexta-feira, 24 de julho de 2015

JORNALISTA DEFENDE ENCONTRO ENTRE LULA E FHC

Do jornalista Ricardo Kotscho:
Pode não dar em nada, pode nem acontecer, mas não custa tentar. Alguma coisa precisa ser feita com urgência pelas principais lideranças políticas do país na busca de caminhos comuns capazes de contribuir para o enfrentamento desta guerra sem fim que já ninguém aguenta mais.
É o que penso da notícia publicada pela Folha desta quinta-feira repleta de novas más notícias na economia sobre um possível encontro entre os ex-presidentes Lula e FHC para discutir a crise.
Diz o jornal: "O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva autorizou amigos em comum a procurar seu antecessor, o tucano Fernando Henrique Cardoso. O objetivo imediato do movimento é conter as pressões pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff".
A assessoria do Instituto Lula apressou-se em desmentir a informação e afirmou que o ex-presidente não tem interesse em conversar com Fernando Henrique Cardoso. É pena. Como Lula não dá entrevistas, seus assessores criticam "relatos anônimos que servem apenas para alimentar especulação".
Por sua vez, FHC, que está passando férias na Europa, enviou e-mail à Folha mostrando-se disposto ao diálogo:
"O presidente Lula tem meus telefones e não precisa de intermediários. Se desejar discutir objetivamente temas comuns, como a reforma política, sabe que estou disposto a contribuir democraticamente. Basta haver uma agenda clara e de conhecimento público".
É o primeiro sinal de civilidade e de esperança que encontro nos últimos meses nesta insana luta entre petistas e tucanos que se arrasta e acirra desde a última campanha eleitoral, uma batalha em que todos saímos perdendo.
Se não houver um mínimo entendimento entre governo e oposição, afinal, a reforma política continuará nas mãos dos Eduardo Cunha da vida e sua tropa de choque do baixo clero, enquanto os juros e a inflação disparam, e o PIB e o emprego despencam.
Repito o que escrevi aqui na semana passada quando Cunha ameaçou explodir tudo: "É hora de baixar a bola e pensar no país".
Vida que segue.

7 comentários:

  1. Este deveria ser o primeiro mandamento dos políticos, A UNIÃO EM BENEFICIO DO POVO, só que eles não se preocupam com isso, e nós o povo continuamos indo, só não se sabe pra onde !!!!

    ResponderExcluir
  2. Eita, vão começar o cabaré aqui na rua Orlando Wanderlei Mais precisamente no Bar de Boiao, e em pleno FIG interditaram a rua um movimento desgraçado carro. Colocaram um palco. Será que nosso prefeito não ver isso não? Meu querido prefeito voto 100 vezes no Sr. Agora fazer isso com nós moradores é complicado. Morador da orlando wandelei

    ResponderExcluir
  3. Fernando Henrique, fuja de Lula e Dilma, como o Diabo foge da cruz, só estão querendo conversar com o Sr. Porque estão com a corda no pescoço. Quando a bomba não tinha estourado, tudo deles era bom, lembram??? " Nunca na história desse país"......Queriam era lhe exterminar!... Então, quem pariu Mateus, que balance....

    ResponderExcluir
  4. O SOCIÓLOGO FERNANDO HENRIQUE CARDOSO E O OPERÁRIO METALÚRGICO LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA PRECISAM SER PRUDENTES E SENSATOS COM O BRASIL.AMBOS ACERTARAM E ERRARAM TAMBÉM.O BRASIL TEVE MELHORAS E TEVE PIORAS.

    AMBOS NUNCA TIVERAM CONTROLE DOS PARTIDOS E DOS POLÍTICOS. TODOS ELES RECEBERAM MILHÕES DE BILHÕES DOS EMPRESÁRIOS,. EMPREITEIROS, DOLEIROS E LOBISTAS DESTE PAÍS.

    AS NOSSAS EMPRESAS NÃO DEVEM QUEBRAR, O PAÍS NÃO PRECISA SANGRAR PARA PODER APARECER UM SALVADOR DA PÁTRIA, TODOS DIRETA OU INDIRETAMENTE ESTÃO ENVOLVIDOS NOS MAUS FEITOS.

    OS QUE PARTIRAM QUASE TODOS SE ENVOLVERAM NESSE MAR DE LAMA PODRE QUE REINA NO BRASIL.POR ISSO QUE NÃO CUSTA NADA AMBOS SENTAREM E DAREM AS MÃOS EM PROL DO BRASIL DEIXANDO QUE ESSE POBRE MULHER GOVERNE ESSA NAÇÃO PARA TODOS CONFORME O LULA DO PT E O FHC DO PSDB GOVERNARAM NOS ANOS DE 1994 A 2002 E DE 2003 A 2014.

    ResponderExcluir
  5. Aristóteles o filósofo afirmou: " a política é uma arte". Quem é governo deve procurar meios para governar e quem é oposição deve exercer o seu papel de fiscalizador.

    Todos os governos estaduais,municipais e federal tem em seus orbitais suas oposições entre os militantes do mesmo partido ou mesma coligação.Isto acontece no Brasil e na China também.Em São Paulo e Minas gerais não é nada diferente.

    O PSDB do José Serra foi diferente do PSDB do Aécio Neves em 2006 e 2010.Quem não se lembra de que em Pernambuco dos 17 prefeitos do PSDB somente 3 deles apoiaram José Serra em 2010? Quem não se lembra que em Minas Gerais o Aécio Neves e Anastasia usaram o slogan "DILMASIA" uma mistura heterogênea de Dilma e Anastasia.

    Os governadores eleitos pelos PSDB e PSB enfrentam oposições em seus estados e por sua vez os do PT e PMDB também.

    É muito mais fácil se buscar o diálogo entre os governadores e prefeitos do que entre os três homens fortes do PMDB ,Michel Temer uma personalidade forte,o Renan Calheiros um conciliador,mas um Eduardo Cunha um desagregador.

    Se o vice -presidente do Brasil do PMDB e o Renan Calheiros não conseguem domar o truculento Eduardo Cunha, não adianta mais buscar o diálogo entre essas forças e sim, com aqueles que pode dominar suas bancadas de deputados e chamá-los a responsabilidade. Pois governador e prefeito sem dinheiro nada fazem pelos seus estados e municípios. O resta e conversa fiada.

    ResponderExcluir
  6. Quero externar aqui neste blog me solidarizar com este morador da rua orlando wanderlei, pois nao existe isso, fechar uma rua e com toda essa barulheira, sabendo que tem crianças e idosos na rua sem falar nos comerciantes que ficam a deriva, queria solicitar do nosso grande prefeito que diga-se de passagem vem fazendo uma brihante administraçao em nossa cidade que revesse isso.

    ResponderExcluir
  7. Se for por questão de corda no pescoço, esse FHC, tem muito mais experiência, quando ele quebrou o País por três vezes, tomou 32 bilhões emprestados ao FMI e Lula pagou. Hoje somos credores do FMI além desse cidadão FHC, ter vendido a preço de banana, as principais empresas do País. Deus nos livre dessa tucanada corrupta.

    ResponderExcluir