SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

ALEPE

ALEPE
ALEPE

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

ERRO MÉDICO PROVOCA PROTESTO

A Associação das Vítimas de Erro Médico (ASVEM/PE), em respeito aos familiares de vitimados, promove na próxima terça-feira (27) um ato para cobrar empenho na apuração de casos de erro médico denunciados e sem soluções. O encontro acontece a partir das 15h, em frente ao Cremepe. Na ocasião, serão disponibilizadas cartilhas informativas e orientações legais e preventivas aos erros médicos.

A ASVEM/PE foi criada em outubro de 2013 com o objetivo de sensibilizar a população e chamar a atenção sobre a importância de denunciar e acionar a justiça em casos de erro médico. A organização foi fundada por três irmãs da engenheira elétrica e agrônoma e funcionária da Chesf, Urbânia de Barros Carvalho Melo. Urbânia, de 47 anos, mãe de dois filhos, morreu no dia 12 de outubro de 2013, depois de ter o intestino perfurado durante cirurgia para retirada de um mioma e quadro clínico agravado após internamento de mais de 60 dias em hospital do Recife.

Segundo Urbanira Carvalho, uma das irmãs de Urbânia, “após uma histerectomia a minha irmã queixou-se de muitas dores e foi diagnosticada como gases, quando se tratava de perfuração do intestino. A sindicância para apuração do caso encontra-se no Cremepe, desde 13 de novembro de 2013, tendo cinco sindicantes nomeados para apuração, mas nenhum deles conseguiu elucidar os fatos. É um grande descaso e desrespeito à vida humana!”, lamenta. (Silvana Victor)

2 comentários:

  1. José Fernandes Costa23 de janeiro de 2015 21:03

    As vítimas dos médicos e medicas e as vítimas dos erros médicos precisam manter-se organizadas!! - Há as vítimas de mortes, causadas por médicos e médicas!! - E há as vítimas dos maus-tratos e do desprezo frio e explícito por parte de médicos e médicas!! - No dia 20 deste mês (terça-feira), EU MESMO fui vítima da prepotência e da ignorância de uma mediquinha, quase analfabeta!! - A mediquinha subiu nos cascos e só não me humilhou, porque eu falei muito mais alto do que ela. - Isso ocorreu nos corredores da Cassi (PE) - Plano de Saúde -, na Av. Rosa e Silva, 1.460 - Aflitos - Recife. - Já entrei com uma queixa junto à Cassi Nacional. - Disseram-me que tenho cinco dias pra receber resposta satisfatória!! - E que, se eu não receber nesse prazo, procure a Ouvidoria da Cassi Nacional. - Sei que nem Cassi, nem Ouvidoria vão fazer NADA!! - E que isso vai resultar AÇÃO JUDICIAL. - Porque sofri danos morais!! - E, por não ter sido atendido, estou correndo risco em face das complicações que poderão vir, por falta de atendimento!! - 2. E sindicâncias do Cremepe NADA valem. Porque médico (a) NÃO pune médico (a)!! - Quem pune médico (a) é a Justiça!! - Quando algum médico (a) é condenado (a) pela Justiça, aí o Cremepe o desfilia e diz que ele (a) está impedido (a) de exercer a medicina. É o óbvio!! - Enquanto não, NADA é resolvido por sindicâncias classistas!! - 3. E notem: os prontuários de todas as vítimas dos médicos (as) pertencem às próprias vítimas, que são donas desses prontuários!! - Mas, qualquer um pode fazer um teste: chegue numa clínica e diga que quer ver seu prontuário!! E espere a resposta!! - Mesmo sabendo que só a você ele pertence. - Pois a clínica é, somente, depositária desse documento. - E essas clínicas, hospitais e consultórios etc., é que têm a obrigação de preservar a intimidade do cliente a quem pertence o prontuário. - São as clínicas que não podem passar esses dados para terceiros!! - Se isso ocorrer, é violação da intimidade do usuário de serviços médicos!! - 4. Quando o juiz ordena que o hospital forneça o prontuário e outras informações de um demandante, é porque o postulante pediu, por meio do seu advogado. - E o juiz acatou o pedido, restando à clínica etc., somente cumprir a ordem judicial. - É ISSO. /.

    ResponderExcluir
  2. Quantos médicos e médicas que existem por aí e não cumprem o sagrado Juramento de Hipócrates - que se trata simplesmente de salvar vidas!!! E como diz o leitor José Fernandes, esses casos comprovados de erro médico SÓ serão devidamente julgados pela JUSTIÇA.

    ResponderExcluir