ALEPE

ALEPE
ALEPE

quinta-feira, 24 de julho de 2014

O BRASIL CHORA POR ARIANO SUASSUNA

Desde a divulgação da morte do escritor Ariano Suassuna, no final da tarde passada, recebemos mensagens de diversas personalidades do Estado e do País, relacionadas a grande perda do imortal da Academia Brasileira de Letras, autor de obras que correram o mundo, muitas delas indo para os palcos dos teatros e também recebendo adaptações no cinema e televisão.
As principais mensagens estão relacionadas nas notas abaixo.

REFERÊNCIA CULTURAL

O Brasil perdeu hoje uma grande referência cultural. Escritor, dramaturgo e poeta, Ariano Suassuna foi capaz de traduzir a alma, a tradição e as contradições nordestinas em livros como Auto da Compadecida e Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta.

Guardo comigo ótimas recordações de nossos encontros e das suas histórias.
Aos familiares, amigos e leitores, meus sentimentos neste momento de perda.

Dilma Rousseff- Presidenta da República Federativa do Brasil

LUTO OFICIAL
Recebemos com grande pesar a notícia da morte do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna. Uma grande perda para a cultura e a literatura brasileira. Na última sexta-feira, o paraibano mais pernambucano que já vimos, fez uma belíssima aula espetáculo em nosso Teatro Luís Souto Dourado, no Centro Cultural Alfredo Leite e como sempre encantou a todos.
Numa triste coincidência, Ariano se foi no mesmo dia que no ano passado sofríamos com a perda do Mestre Dominguinhos, em pleno Festival de Inverno de Garanhuns. Dois grandes artistas que levaram a cultura popular e as histórias do Nordeste para o mundo, um por meio da música e outro por meio da literatura.
Em Garanhuns, iremos decretar o luto oficial de três dias pela morte do grande Ariano Suassuna e externamos à família e aos amigos os nossos sinceros sentimentos.
Izaías Régis – Prefeito de Garanhuns

AMOR PELO PALCO
Foi com profundo pesar que recebi a notícia da morte do escritor Ariano Suassuna. Paraibano de nascimento, pernambucano de coração, já que morou no Recife por mais de 70 anos de sua vida. É um dia muito triste para todos nós, pernambucanos, nordestinos e brasileiros, uma perda inestimável para nossa literatura e nossa cultura, que nesta mesma semana já havia sofrido as ausências de João Ubaldo Ribeiro e Rubem Alves, e ainda neste mês a perda de Ivan Junqueira.
Estive em Garanhuns na última sexta-feira, durante o Festival de Inverno, ocasião em que Ariano Suassuna apresentou uma aula espetáculo. Mesmo com a saúde frágil, ele externava seu amor por estar num palco, falando para os mais jovens, contando seus causos, histórias de sua vida e do imaginário popular.
Fundou o Teatro do Estudante de Pernambuco, junto com Hermilo Borba Filho. Juntos, foram pioneiros no teatro ao ar livre no Brasil. Ariano participou do Movimento de Cultura Popular (MCP) no primeiro Governo Miguel Arraes. Fundador do Teatro Popular do Nordeste (TPN) e do célebre Movimento Armorial, professor de Estética na Universidade Federal de Pernambuco, integrante das Academias Pernambucana, Paraibana e Brasileira de Letras, além de ter dado sua contribuição ao povo pernambucano e recifense como secretário de Cultura por três oportunidades.
Além de um grande dramaturgo e escritor, Ariano também foi um grande militante político. Era presidente de honra do Partido Socialista Brasileiro (PSB) e apoiador de primeira hora da campanha de recondução do governador Miguel Arraes após o período de exílio, e posteriormente das campanhas de Eduardo Campos.
O bom humor sempre foi sua marca, somada a profundos conhecimentos do imaginário popular e uma inteligência muito acima da média. A obra de Ariano permanecerá eterna na mente de todos nós que convivemos com ele, mas tenho certeza de que também será lembrada e venerada pelos mais jovens e pelas futuras gerações.
Como Governador do Estado de Pernambuco, decretei luto oficial de três dias, e expresso minhas condolências aos familiares e amigos desta grande figura que foi o nosso querido Ariano Vilar Suassuna.
João Lyra Neto – Governador de Pernambuco

DIA DE TRISTEZA
"Pernambuco chora a perda de Ariano Suassuna: O grande, mestre das palavras e do sentimento mais profundo da alma nordestina. Com a sua partida fica o vazio intelectual, mas, sobretudo, o vazio humano, pela sua imensa capacidade de entender, traduzir e amar os pernambucanos, os nordestinos, os brasileiros. Hoje é um dia muito triste para mim".
Senador Armando Monteiro

SOLIDARIEDADE 
Após ser informado no final da tarde desta quarta-feira (23) do falecimento do escritor Ariano Suassuna, o candidato da Frente Popular ao Governo, Paulo Câmara (PSB), acompanhado de sua esposa, Ana Luiza Câmara, foi ao Hospital Português, onde o paraibano estava internado desde a última segunda-feira. "Viemos trazer nossa solidariedade à família de Ariano, que num momento de dor como esse merece todo o nosso apoio; por tudo o que ele representa para todos nós, para o Brasil, para Pernambuco, para a nossa cultura", afirmou.
Ariano era presidente de Honra do Partido Socialista Brasileiro (PSB) e foi secretário na gestão do ex-governador Eduardo Campos, seu correligionário, assim como Paulo, que comandou três pastas no Governo Estadual. "No campo político, Ariano sempre esteve junto com as forças populares. Com Pelópidas Silveira, Miguel Arraes e Eduardo. Eu tive o privilégio de conviver mais intensamente com ele nos últimos anos e levo comigo muitas mensagens positivas, de bem, de uma pessoa que queria sempre ajudar ao próximo”, lembrou Paulo, que classificou o falecimento do escritor como "uma perda irreparável".
Em luto e em respeito à importância de Ariano Suassuna, não apenas para Pernambuco, mas para o Brasil e o mundo, Paulo tomou a decisão de suspender todas as atividades de rua programadas para essa quinta-feira (24), em sua campanha. O candidato acompanhará o velório e o enterro de Ariano.
Da Assessoria de Paulo Câmara – Ex-Secretário de Estado

O EXEMPLO DO GUERREIRO
Nosso guerreiro lutou até o fim, mas foi chegada a hora e o tempo é o senhor de todas as coisas. Tempo esse que Ariano soube aproveitar ricamente durante seus 87 anos, onde, generosamente, compartilhou conosco seu talento, sua altivez, sua genialidade.
Nos deixou de presente figuras como Chicó, João Grilo, Quaderna, Caroba, entre outras. Nos deixou como herança o exemplo de sua participação política, sempre com opiniões firmes e alicerçadas no melhor para o povo, que brilhantemente sempre soube descrever com a mais profunda intimidade.
Hoje, choram pernambucanos, paraibanos, brasileiros. Choram pela partida presencial de um ícone, mas orgulhosos pelo baluarte que enalteceu e se eternizará em nossa literatura, em nossa política, em nosso viver.
Vá em paz, mestre Ariano. Nós do PSB, da Frente Popular, e os amantes de suas obras lamentamos muito sua partida, mas sempre faremos questão de destacar o quão importante foi o seu convívio, suas palavras e o legado que fica para todas as gerações.
Minhas condolências e os mais profundos sentimentos à família Suassuna.

Laura Gomes - Deputada Estadual (PSB)

Um comentário:

  1. LUTO mesmo.
    Perda irreparável, publiquei meu poema "MEU GRITO, MEU ADEUS, ARIANO SUASSUNA" em sinal de admiração, respeito e agora saudade.

    ResponderExcluir