SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

ENCHENTES VOLTAM A ASSOMBRAR A RUA QUINZE

Nas décadas de 60 e 70 os moradores da Rua Quinze de Novembro, um dos principais acessos ao centro de Garanhuns, sofreram muito com as "enchentes", que diversas vezes inundaram as casas e causaram grandes dores de cabeça as donas de casa. O problema se repetia porque a rua é estreita e tem uma baixa enorme nas proximidades da Igreja Adventista. Além do mais o sistema de escoamento das águas era precário.

Quando Ivo Amaral foi prefeito de Garanhuns tinha conhecimento do drama dos moradores da Rua Quinze, até porque quem residia na Dr. José Mariano também sofria e o gestor viu o problema de perto, pois morou uns tempos na antiga Rua do Recife. No comando do município desapropriou casas e fez um beco entre a Quinze de Novembro e a Dr. José Mariano.

Durante muito tempo as duas ficaram livres das enchentes. Anos atrás, não se sabe se com autorização da Prefeitura, um empresário da cidade se apropriou do beco criado por Ivo Amaral, fechou a ligação entre as duas ruas e trouxe de volta as enchentes.

Dois ou três anos atrás quem reside naquela área da cidade foi atormentado pelo problema do passado. Nesta quarta-feira, com uma chuva forte de mais de uma hora, as consequências foram maiores: a água acumulou e criou um rio dentro da cidade, carros ficaram boiando, o trânsito parou e as donas de casa foram à loucura, como no passado.

Cabe ao prefeito Izaías Régis estudar essa situação junto com seus engenheiros, descobrir porque se apropriaram do beco e quem sabe trazê-lo de volta. Possivelmente é a única solução. (A foto da Rua Quinze é de Jefferson Silva e foi reproduzida no Blog de Ronaldo César).

6 comentários:

  1. Roberto, não "era" um beco não, o espaço é grande só não se sabe o que aconteceu. É bom saber se houve algo escamoteado do empresário com o poder público. Mais uma vez onde está a Ministério Público? E a Câmara de Vereadores? Êita meu Deus, que Garanhuns abandonada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Negligência da prefeitiura. Serà que tiveram licença de construção, alvarà habite-se?

      Excluir
  2. Eu morei nessa rua e quando criança tive a casa inundada, de fato o problema foi resolvido com a criação do beco, fui morar em Recife, passei 10 anos e quando voltei vi aquela empresa de segurança construída no beco com uma logomarca no formato de uma caveira alada, bi logo que aquilo ia dar em m... Felizmente já não moro mais nessa rua, porém fico com pena dos moradores, inclusive da pequena logista que fica vizinha à minha antiga casa e deve ter perdido toda sua mercadoria com isso.

    ResponderExcluir
  3. Estou residindo em Garanhuns há mais de cinquenta anos, e este problema desta inundação nas ruas citadas sempre houve. Já se passaram varias administrações Municipais, e continua do mesmo jeito! Tomara que Izaias que tem demonstrando que ama mesmo Garanhuns encontre uma solução para este problema crônico. Poderá ser até um projeto muito caro, mas o povo de nossa cidade não merece isto, pois como ontem, muitos prejuízos já houve! Veja nas Redes Sociais, quantos carros foram danificados, só ontem, sem se falar nestes anos todos- José/Garanhuns.

    ResponderExcluir
  4. Seria muito bom o MP investigar essa invasão. Segundo um passarinho me contou, quem invadiu o beco foi um peixe grande dono de uma loja com nome daquele negócio que é doença de ostras. Se fosse um pobre lá de Manoel Xéu, num instante resolviam isso.

    ResponderExcluir
  5. Prefeitos deixaram invadir o beco e o pepino veio pras mãos de Izaías. - João

    ResponderExcluir