GOVERNO DE PERNAMBUCO

GOVERNO DE PERNAMBUCO
Governo de Pernambuco

MÉDICA DO DOM MOURA DÁ A SUA VERSÃO DOS FATOS

O Blog recebeu um texto da médica Alessandra Dantas, do Hospital Regional Dom Moura. Ela se identifica como a profissional envolvida no episódio em que um padre de Garanhuns e o bispo da Diocese foram impedidos de dar a extrema-unção a um paciente da UTI, a partir de uma solicitação da família. Pelo que dá a entender, mesmo as autoridades religiosas precisam se submeter ao horário de visitas no Hospital, a partir das 14h. "Eu como médica plantonista de um serviço fechado como a UTI cumpro as regras da instituição", justificou a Dra. Alexandra. Abaixo a mensagem que nos foi enviada na íntegra:

BOM DIA A TODOS. Sou Alessandra Dantas, a médica que supostamente fez esse absurdo. Agora caros blogueiros vêm a minha defesa. Eu como médica plantonista de um serviço fechado com a UTI cumpro regras de uma instituição que só é permitida a entrada de visitantes no horário (14h00minh) caso não tenha nenhuma intercorrência. Quero relatar que desde o primeiro momento com a vinda do Padre da cidade foi informado pela equipe de enfermagem, assistência social e psicologa que não era permitida a sua entrada naquele momento (09h30minh) por está sendo feito procedimentos que expõe os pacientes (banho no leito). Pensávamos que tudo estava esclarecido quando as 12h50minh daquele mesmo dia veio ao serviço o Padre acompanhado pelo Bispo da cidade onde também não pode ser liberada a sua entrada pelo motivo que infelizmente estávamos em procedimento médico invasivo e que foi informado a eles que em seguida seria sim permitido a entrada de todos. Não compreenderam e já foram ameaçando de processar e que acionariam o Governador do Estado. Em nenhum momento estava eu impedindo o ato religioso. Estou de acordo que seja feito tal ato não só para o paciente que a família solicitou a presença do Padre, mas para todos que aqui estão.

Outra coisa por está em procedimento médico em nenhum momento conversei pessoalmente nem com o Padre nem com o Bispo que para mim seria uma honra conhecê-los por serem homens de DEUS.

*** SENHORES, SEI MUITO BEM O QUE É LEI, ONDE TERMINA SEU DIREITO COMEÇA O MEU*** ESPERO QUE LEIAM COM MUITA ATENÇÃO E COMPREENDAM.

Referente à LEI Nº 9.982 de 14 DE JULHO DE 2000 

- Dispõe sobre a prestação de assistência religiosa nas entidades hospitalares públicas e privadas, bem como nos estabelecimentos prisionais civis e militares.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faz saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1o Aos religiosos de todas as confissões assegura-se o acesso aos hospitais da rede pública ou privada, bem como aos estabelecimentos prisionais civis ou militares, para dar atendimento religioso aos internados, desde que em comum acordo com estes, ou com seus familiares no caso de doentes que já não mais estejam no gozo de suas faculdades mentais.
Parágrafo único. (VETADO)

Art. 2o Os religiosos chamados a prestar assistência nas entidades definidas no art. 1o deverão, em suas atividades, acatar as determinações legais e normas internas de cada instituição hospitalar ou penal, a fim de não pôr em risco as condições do paciente ou a segurança do ambiente hospitalar ou prisional.

Art. 3o (VETADO)

Art. 4o O Poder Executivo regulamentará esta Lei no prazo de noventa dias.
Art. 5o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Brasília, 14 de julho de 2000; 179o da Independência e 112o da República.
FERNANDO HENRIQUE CARDOSO

José Gregori

Geraldo Magela da Cruz Quintão

José Serra

19 comentários:

  1. NÃO DEIXEM DE VER ESTE VÍDEO E DE COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS USANDO AS FERRAMENTAS DE COMPARTILHAMENTO. É UM FATO ESTARRECEDOR DENTRO DE UM REGIME OU DE UM ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO COMO SUPOMOS QUE SOMOS OU ESTAMOS, APESAR DOS PETRALHAS... ATRAVÉS DE UM AVIÃO DA FAB ESTAMOS PRESENCIANDO CENAS VENEZUELANAS EM NOSSO TERRITÓRIO. JAMAIS IMAGINEI QUE ISSO UM DIA FOSSE ACONTECER NO BRASIL MESMO SENDO GOVERNADO PELA PUTAIADA COMUNISTA PETRALHA. TRISTE VER A NOSSA GLORIOSA FAB SENDO USADA PARA O TRANSPORTE DE CATIVOS DE UMA SANGUINÁRIA DITADURA COMUNISTA. É MÃO DE OBRA ESCRAVA AO VIVO E EM CORES. ONDE ESTÃO OS DIREITOS HUMANOS, A OAB, A CNBB, O CARCEREIRO OU O GUARDA INSPETOR DE QUARTEIRÃO QUE SE CONFORMAM E SE TORNAM CÚMPLICES DESTA NOVA FORMA DE ESCRAVIDÃO, IMPORTADA PELO GOVERNO DO PT, DA DILMA?!?!?! http://www.youtube.com/watch?v=LFXB-LZTz3c

    ResponderExcluir
  2. Trabalho na UTI do hospital dom Moura, conheço Alessandra Dantas, pessoa de boa índole e respeito, profissional competente e compromissada com o que faz. As pessoas precisam entender que o trabalho prestado dentro de uma UTI é intermitente. A todo momento se realizam procedimentos médicos, fisioterapêuticos e de enfermagem. Os pacientes não devem ser expostos por tal razão. Pra isso existe o horário de visitas, o qual deve ser respeitado. Já recebemos padres e pastores diversas vezes com muito respeito em nosso setor. O estado é laico. O que não está correto é querer julgar a atitude da profissional que estava prestando assistência ao paciente crítico. As autoridades, sejam elas civis ou religiosas não devem abusar do seu poder e querer usar dele para quebrar protocolos de serviços fechados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Natália vc sabe muito bem que se fosse um puxa saco de político tinha entrado independente da hora e ninguém diria nada. Sou servidor também e sei como as coisas funcionam no Dom Moura.

      Excluir
  3. De Roma...
    Para clarear: desde o Concílio do Vaticano II, o sacramento é chamado de Unção dos Enfermos, mesmo que seja administrado in extremis.
    d. Hugo, mb

    ResponderExcluir
  4. Em pleno ano de 2013 ainda podemos ver o o abuso de poder da Igreja e de outro lado a ditadura... Onde esse mundo vai parar.

    ResponderExcluir
  5. Como ela publicou a lei é bom esclarecer que deve haver um entendimento entre o paciente e o religioso ou em caso de doentes que já não mais estejam no gozo de suas faculdades mentais o entendimento é entre o religioso e sua família, em nenhum momento entre o religioso e o médico, outro ponto é que o religioso deve seguir e acatar as determinações legais e normas internas de cada instituição hospitalar, a fim de não pôr em risco as condições do paciente ou a segurança do ambiente hospitalar, mas em nenhum momento priva explicitamente a visita, se a instituição imponha normas elas devem ser acatadas agora se impedir a entrada infringe a lei que não impede a entrada e sim um entendimento entre as partes a médica diz em sua defesa que eles poderiam entrar depois, mas isso ela tem que prova, e vale o bom senso se uma pessoa está em estado terminal e precisa de uma extrema-unção provavelmente essa pessoa não terá tempo ou oportunidade de espera decisão de alguém.

    ResponderExcluir
  6. Normas do Concílio do Vaticano II sobrepor a constituição de uma nação.........isto só no Brasil.....

    ResponderExcluir
  7. "Dura Lex,sed lex" A lei é dura porém é a lei.A lei é para todos, do mais simples dos mortais ao mais importante cargo da República que é o Presidente.Para mim não se pode admitir exceções, se assim o permitir, que seja para todos. Portanto penso e concluo que a médica cumpriu com o seu dever, abuso de poder vindo de onde vier, é uma atitude nefasta.

    ResponderExcluir
  8. Não é abuso de poder, é de uma Igreja de 2.000 Anos de História e que também Criou os hospitais ;D Fica a dica!

    ResponderExcluir
  9. A questão aqui não é a igreja é uma lei, no Brasil existe a constituição e uma lei a 9982 de 2000 que garante a assistência religiosa aos enfermos, o que percebo é que há pessoas que aproveitam qualquer episódio para ataca a igreja, estamos falando de direitos garanto que qualquer pessoa que tenha o seu direito atacado irá reclamar independente de ser religioso ou não, então vamos abrir a mente e olha para o direito de todos independente de religião.

    ResponderExcluir
  10. sou religiosa e adoro a DEUS, não estou mim desfazendo da religião e da crença, mas tenho que expressar meu pensamento. Ninguém tenhe o direito de julgar ninguém, pois se existem regras são para serem cumpridas, a dra Alessandra é uma pessoa humana que tenhe amor por sua profissão e além de tudo pessoa de DEUS, se ela não autorizou a visita é porque ela cumpre ordens e regras profissionais, todos que a conhecem sabem a pessoa maravilhosa e de boa índole que faz o que pode para ajudar o próximo.

    ResponderExcluir
  11. Certamente quem chamou foi a família, e se chamaram sabiam que o paciente estava precisando. Os hospitais precisam se HUMANIZAR mais. As pessoas que ali estão, não são "mais um doente", são pessoas que estão no seu momento mais crítico, com problemas diferentes e em situações delicadas precisando tanto de tratamento clínico como apoio espiritual. Tanto o paciente como a família, e isto deve ser respeitado.

    ResponderExcluir
  12. A mesma, pelo jeito, não sabe o significado deste Sacramento, que é destinado a pessoas enfermas e principalmente para aquelas que estão em estado terminal. Só falta botarem uma placa, se for morrer e quiser receber o Sacramento da Unção dos Enfermos, deixe para fazê-lo após as 14:30. Falta de sensibilidade, de compaixão, de amor ao próximo, de respeito pela dor do outro. Não creio que um padre, bispo, monsenhor, pastor, pai de santo, médium iria entrar numa UTI para especular o banho dos demais enfermos. Um absurdo!!!

    ResponderExcluir
  13. Diz o SENHOR

    Eclesiástico, 38
    1. Honra o médico por causa da necessidade, pois foi o Altíssimo quem o criou.
    6. O Altíssimo deu-lhes a ciência da medicina para ser honrado em suas maravilhas;
    12. Em seguida dá lugar ao médico, pois ele foi criado por Deus; que ele não te deixe, pois sua arte te é necessária.

    3. Virá um tempo em que cairás nas mãos deles.

    14. E eles mesmos rogarão ao Senhor que mande por meio deles o alívio e a saúde (ao doente) segundo a finalidade de sua vida.
    15. Aquele que peca na presença daquele que o fez, cairá nas mãos do médico.

    ResponderExcluir
  14. Os padres chegam a pensar que tem um certo poder por ser padres.. Humildade agrada ao SENHOR. Eles deveriam ser mais humildes e esperar sua vez, sua oportunidade, como faria um pedreiro. Pois todos somos iguais, pelo menos na frente de DEUS. Todos debem esperar sua vez, o SENHOR é justo, é sempre chega na hora exata..
    Acaso o padre é adivinho? Como saberia ele se aquele momento era o certo para ele entrar no local onde se encontrava o paciente? O medico é o único que sabe se é seguro adentrar-se no espaço da UTI, somente ele sabe se tem algum risco de contaminação de algum vírus etc..
    Alem disso existem regras, normas, e devem ser seguidas o mundo não é bagunça, e não temos instituições superiores a outras, os seculos de control e dominação acabaram já. Não temos mais inquisição, nem fogueira, muito menos Isabel da Espanha. As coisas são como são, não adianta tentar força, todo chega como JESUS, na hora certa.
    Tinha um Cacique Caribenho que resistiu a colonização, seu nome era Hatuey.. Ele não admitia que os colonizadores brancos escravizaram em nome de DEUS seus irmãos índios. Logo ele foi capturado pelo poderio colonial e levado a fogueira por resistir bravamente. Antes de ser queimado vivo o padre chego perto dele e falou, "Te arrependes dos teus pecados? Se te arrependeres podes entrar no reino dos céus! O destemido Cacique diz: " E eles vão para o Céu? Se-referindo a seus captores os que em nome de DEUS o queimariam. O padre diz, Claro. O Índio diz, então eu não quero ir para o Céu, pois nunca mais quero encontrar com eles.
    Moral da Historia, não é que não queremos ir para o Céu, na realidade não queremos encontrar com gente assim..
    Humildade

    ResponderExcluir
  15. José Fernandes Costa17 de setembro de 2013 00:10

    NÃO vamos misturar credos religiosos com CIÊNCIA MÉDICA, nem com o Estado (nação). - Os familiares de um doente, INTERNADO numa UTI, querem que ele receba um sacramento religioso (extrema-unção). – Quem vai avaliar se esse doente pode ou não receber estranhos em hora que NÃO é de visitação é a MÉDICA ou o médico do plantão ou a /o que esteja acompanhando o dito paciente. - Nem os familiares do doente podem entrar numa UTI a qualquer hora!! - Por que o bispo ou o padre podem?? - Vale lembrar que o bispo e o padre são autoridades lá dentro das igrejas deles. E em suas freguesias. - 2. Nas cidades pequenas (interior) todo mundo quer ser autoridade fora do seu terreiro. - Nem o prefeito, nem o bispo, nem o juiz de Direito pode ingressar numa UTI a seu bel-prazer. - Que história mais boba essa!! - Fazer um cavalo de batalha só porque o bispo não entrou na UTI!! - Imaginem se fosse o papa!! - Quem não sabe, precisa saber que um doente em estado grave NÃO pode ficar exposto às vontades de autoridades sejam elas quem forem. - Se a médica permitisse a visita e o doente morresse na hora da extrema-unção, não faltaria quem viesse culpar a médica e o hospital pela morte!!. Diriam logo que o doente se emocionou e morreu ao ver o bispo!! - Ora, ora, usem o bom senso!! - Quem não gostou que "vá reclamar ao bispo". - E deixem de conversa babada!! – E nenhum juiz vai dar ganho de causa a quem queira processar a médica ou o hospital. E mesmo que um juiz acatasse ação desse tipo, um colegiado da Justiça derrubaria o pleito mais na frente. - CONCORDO com a MÉDICA./.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa foi a explicação mais incoerente que vi, é lei e não tem o que discutir, sua fala não tem credibilidade.

      Excluir
  16. E as escravas cubanas, voces viram? Aquilo é uma desmoralizzaçao para o brasil?

    ResponderExcluir
  17. José Fernandes Costa17 de setembro de 2013 16:08

    De fato, meu caro Anônimo das 8h44. - Essa intolerância de tais e tais médicos (as), desmoraliza. - Mas NÃO desmoraliza o Brasil, NÃO. - DESMORALIZA a classe dos médicos. - Eles próprios se desmoralizam. - Porque eles e elas NÃO estão preocupados com o que ganha um médico cubano, NÃO. - O interesse deles e delas, que estão esperneando é garantir um lugar para eles e elas ao sol. - Mas podem tirar o cavalinho da chuva, pra não se molhar. - O Governo Federal vai levar isso à frente e ninguém desmancha. - A Justiça não vai acatar pedidos inconsistentes de médicos (as) que só olham para seus umbigos. - Que se dane o corporativismo de qualquer classe./.

    ResponderExcluir