segunda-feira, 23 de setembro de 2013

ARMANDO LIDERA EM TODOS OS CENÁRIOS

Do blog de Magno Martins:

Faltando um ano para as eleições, o senador Armando Monteiro Neto (PTB) lidera a preferência do eleitorado para governador de Pernambuco com folga em todos os cenários com uma média de 30 pontos percentuais, segundo pesquisa do Instituto Opinião, de Campina Grande (PB), contratada com exclusividade por este blog e realizada entre os dias 13 e 18 deste mês.

Foram aplicados dois mil questionários em 80 municípios cobrindo todas as regiões. A margem é de erro é de apenas 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Na espontânea, Armando lidera também com 2,5%. O mais citado, entretanto, é o governador Eduardo Campos com 10,6%.

Depois de Armando aparece Jarbas Vasconcelos com 1,3%, Daniel Coelho com 0,9%, Fernando Bezerra 0,5%, João Paulo 0,4%, Humberto Costa 0,3%, Eduardo da Fonte 0,2%, Geraldo Júlio 0,2%, João Lyra 0,2% e Ana Arraes 0,2%. Antônio Figueira, Paulo Rubem, Júlio Lóssio, Raul Henry, Danilo Cabral e Edilson Silva são citados por 0,1%.

No primeiro cenário, no qual foram estimulados três nomes, Armando aparece na frente com 30,7%, o segundo é Daniel Coelho (PSDB) com 17,9% e o terceiro Fernando Bezerra Coelho, que tem 9,9%. Brancos e nulos somam 17,9% e indecisos 23,6%.

No segundo cenário, o qual Fernando Bezerra é substituído pelo vice-governador João Lyra Neto (PDT), Armando sobe para 32,1%. Daniel também aumenta um ponto, passando para 18,6% e Lyra tem 8,3%, um ponto a menos em relação a Fernando Bezerra. Neste cenário, brancos e nulos representam 17,9% e indecisos 23,1%.

Já no terceiro cenário testado, no qual é incluído o nome do deputado federal João Paulo (PT), excluindo João Lyra, Armando (PTB) se mantém na frente, mas cai para 27,5%. João Paulo é o segundo com 16,8%, Daniel Coelho (PSDB) aparece em seguida com 14,9% e Fernando Bezerra é o último, com 8%. Brancos e nulos caem para 14,5% e indecisos se situam na faixa de 18,3%.

No quarto e último cenário levantado, no qual Fernando Bezerra (PSB) fica de fora, Armando (PTB) se mantém na frente com 28,6%, seguido de João Paulo (PT), com 16,5%. Daniel Coelho (PSDB) aparece com 16% e João Lyra tem apenas 6,1%. Neste cenário, brancos e nulos chegam a 15% e indecisos a 17,8%.

OS VENTOS SOPRAM A FAVOR DE ARMANDO

A pesquisa para governador do Instituto Opinião, postada hoje no meu blog, faltando praticamente um ano para as eleições, aponta a consolidação de uma candidatura: a do senador Armando Monteiro Neto (PTB).
Em qualquer dos cenários testados com os pré-candidatos mais competitivos, o trabalhista sai na frente com uma média de 30%. Com exceção do Grande Recife, Armando bate seus adversários em todas as regiões do Estado.
E na Região Metropolitana só fica atrás por um detalhe: João Paulo (PT) e Daniel Coelho (PSDB), que aparecem melhor situados, são beneficiados pelo recall, a lembrança do nome na mente do eleitor.
O primeiro, por ter governado a cidade; o segundo em razão da boa votação na disputa pela Prefeitura nas eleições passadas. À medida que a pesquisa avança pelo Interior, estes caem e Armando cresce muito.
O cenário que se apresenta para 2014 ainda é uma tremenda incógnita, porque o governador Eduardo Campos (PSB) não sinalizou para nenhum dos nomes postos e que estão hoje todos abrigados em sua aliança.
Mas em relação aos que se apresentam teoricamente como adversários, o senador trabalhista leva uma aparente vantagem: se não emplacar o apoio de Eduardo tem chances de selar uma aliança com o PT em outra ponta, o que o deixaria igualmente competitivo.
Coligar-se com a legenda petista representa na prática contar em seu palanque com a presidente Dilma e o ex-presidente Lula. Este cenário se configuraria se o PT não lançasse mão de uma candidatura própria, no caso a do ex-prefeito João Paulo.
Sem a mão aliada de Eduardo, Armando deve trabalhar fortemente para atrair o PT, oferecendo ao partido a vaga de vice na sua chapa ou a vaga de senador. Neste caso, o nome que reforçaria substancialmente a sua candidatura seria o de João Paulo.
Seja na vice ou na disputa para o Senado, porque neste caso o pré-candidato trabalhista preencheria a lacuna da aparente fragilidade na Região Metropolitana. João Paulo, portanto, era a mão na luva para Armando. (Magno Martins).

2 comentários:

  1. Deixe o governador lançar o candidato dele ai sim vamos ver que é que vai ficar na frente, pra nossa cidade não trouxe nem uma fabrica de sabão!!

    Jardel
    Heliópoles

    ResponderExcluir
  2. É esse o caminho é a hora de dizer não ao Traíra! Não sou nenhum cientista politico, mas observo e sofro as ações de um governo com resquícios ditatorial, que se promoveu as custa do governo federal, que promove as custas do erário público uma legião de antigos coroneis derrotados nas urnas pelo povo de suas cidades, e o nobre governador em desacordo ou desrespeito a esse povo achado-se o dono da administração pública do estado, desrespeitando leis, fazendo seus decretos empurrando de goela abaixo a forma de governar de Eduardo Campos, usando repartições públicas e cargos públicos como moeda eleitoreira, usando verbas públicas para construir hospitais, UPAs e entregando a iniciativa privada, endividando o estado com grandes empréstimos em bancos estrangeiro; tudo ou quase tudo (bens) no estado é locado ou terceirizado, onera a folha de pagamento de pessoal com contratações sem necessidades, (apenas para atender a pedidos políticos) e, o verdadeiro funcionário é encostado sem que seja capacitado e valorizado. Não estou criticando por criticar, não podemos ficar presos ou votar baseados em índices divulgados pela mídia, mas em resultados reais. Por exemplo, o secretário de segurança pública no início do mês estava comemorando a queda no índice de homicídio, nunca mataram tanta gente em Garanhuns como agora e, sem prenderem ou esclarecer quem foi os autores; hospital Dom Moura têm funcionários saindo pelo ladrão, mas o principal que é médico nas emergências não têm, e quando têm fica brigando com paciente, familiares, padre e bispo. Festival de inverno tem que ser do jeito da FUNDARPE e para pagar os caches dos artistas é a maior demora e burocracia; concurso publico nesse governo não se fala,os aprovados em certames anteriores, a exemplo da educação não são chamados, prefere fazer seleção simplifica ou fazer contratos temporários, a chamar os aprovados ou fazer novo concurso, rasgando a constituição nesse sentido. Além de sucatear o SASSEP . Bom governo é aquele que economiza, governa ouvido o povo e, principalmente obedecendo as leis. Essa é diferença da administrarão pública para privada; os governantes de hoje querem administrar uma cidade, um estado repassando suas atribuições institucional para a iniciativa privada, e ficar só de boa como na gíria do malandro.
    Estou gostando como o PTB vem administrando as prefeituras em torno de Garanhuns, exemplo, o prefeito Izaias Regis, está ouvido o povo nas comunidades, (audiência publica para preparar o orçamento para 2014), estiveram no Vale do Mundaú, distrito de Mirácica, cohab ll, além de está economizado recursos, fazendo as licitações, já divulgou que vai fazer o concurso público atendendo as necessidades do município em acordo com recomendação do TC/PE. Portanto não temos motivo para deixa de votar nesse líder,o senador Armando Monteiro e que votei no mesmo para o senado e em Uberto. Henrique - Boa Vista - Garanhuns

    ResponderExcluir