ALEPE

ALEPE
ALEPE

GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

A ECONOMIA DE GARANHUNS


Do Blog Pernambucânia:

Maior e mais característica elevação do relevo nordestino, o Planalto da Borborema é uma longa cadeia montanhosa de rochas cristalinas que trespassa o agreste Pernambucano. Em certos pontos, seu clima úmido e solo espesso possibilitam o crescimento de florestas tropicais. Sobre a fertilidade do cume das altas montanhas do Agreste Meridional, brotam entre sete colinas, as flores de uma das cidades mais exuberantes do interior do estado de Pernambuco.

A floricultura intensamente praticada em Garanhuns trouxe-lhe o título de Cidade das Flores. Seu clima serrano faz, nas noites de inverno, a temperatura despencar para até 5 graus Celsius nos pontos mais altos do município. O verde dos campos e colinas lhe é tão usual quanto à aprazível arquitetura de suas construções urbanas. Suas igrejas, parques, bares, restaurantes, cafés e sua ótima infraestrutura hoteleira constroem um ambiente excepcionalmente favorável ao turismo. Atividade da qual a cidade de apenas 130 mil habitantes vem se beneficiando há anos.

A beleza natural e urbana da Cidade das Flores Pernambucana seduz turistas o ano todo. Contundo, é durante seu afamado Festival de Inverno que a cidade vê sua economia fervilhar. Com a entrada da festividade para o calendário nacional dos principais eventos do país, Garanhuns impulsiona ainda mais sua economia enquanto seu mercado busca atender aos mais de um milhão de visitantes que lotam os centros de atrações dos principais pontos da cidade.

No entanto, não só de turismo vive a mais populosa cidade do Agreste Meridional. Maior bacia leiteira do Estado, Garanhuns conseguiu diversificar sua economia de forma fascinante. Seu desenvolvido setor industrial, baseado principalmente na indústria de beneficiamento de leite, corresponde a pouco mais de 20% de seu PIB, segundo IBGE 2009. Garanhuns consegue captar o leite advindo de cerca de 400 produtores de região e distribuí-lo para vários estados do Norte/Nordeste. O intenso movimento semanal de seu comércio atesta a força do setor de serviços na cidade, representado por 64% de sua economia.

No coração do Agreste Meridional, circundada por 25 municípios, Garanhuns também se beneficia de sua posição estratégica. Suas principais rodovias de acesso estão diariamente povoadas por caminhões de carga pesada. São mercadorias oriundas de outros estados, como Bahia e Alagoas, que estão em constante permuta nas principais cidades da região. Garanhuns é abastecida e tem sua produção escoada principalmente pela já duplicada BR 232 e pelas BRs 424 e 423, cujo início de sua duplicação fora recentemente anunciado.

Com o desenvolvimento da cidade se alastrando por todos os setores de sua economia, logo se viu a necessidade de aprimorar os serviços especializados ofertados em seu mercado. Garanhuns tornou-se palco de grandes investimentos de centros de ensino públicos e privados. Com uma variedade de cursos superiores digna de grandes polos educacionais e renomadas instituições de ensino como UFRPE e UPE, a cidade já se tornou um centro congregador de estudantes. A já conhecida boa reputação de seus cursos voltados para a área rural como medicina veterinária e agronomia criaram uma tradição em pesquisa e produção científica.

Contudo, o recente advento do curso de Medicina ofertado pela UPE marcou o início de uma nova fase para o universo acadêmico garanhuense. Esta vocação para centro universitário aliado a uma excelente qualidade de vida atrai a atenção de estudantes de outros estados e regiões dando a cidade um eterno aspecto jovem.

Garanhuns reúne condições de figurar entre as mais charmosas cidades do Estado. Suas paisagens, cultura, culinária, festividades, academia e economia impressionam qualquer viajante que, desavisado, não espere encontrar tamanha diversidade e beleza na simplicidade da vida serrana. É com o furor de uma paixão avassaladora que Garanhuns encanta até mesmo os turistas mais criteriosos.

Cássio B. Lucena -  :http://www.pernambucania.blogspot.com 
Graduando em Administração
Universidade Federal de Pernambuco

3 comentários:

  1. prezado roberto ,,gostaria de fazer uma correçao Garanhuns nao e a maior bacia leiteira do estado devido a gisa depois cilpe garanhuns passou a ser citada como tal na realidade era a maior cidade a receber leite e nao a produzir .na decada de 50 quando garanhuns tinha os distritos de sao joao paranatama brejao e caetes a força politica e economica vinha do campo com a politica cafe com leite {brejao/sao pedro } a udn do coronel figueira e o psd de elpidio branco hoje o municipio de garanhuns ficou apenas com 3 distritos e seu ultimo dirigente oriundo co campo foi amilcar hoje a força´politica e economica esta na cidade no comercio industria e serviços

    ResponderExcluir
  2. Meu caro Cássio, você fez e disse o que muitos ouvidos moucos não quizéram escutar nem ver, não se preocupe; seu apaixonado escrito é sem dúvida, o meu, o nosso, pensar. Caríssimo só faltou falar no que faz tudo isso ser o que é na realidade. Nós, o POVO, desta tão AMADA cidade de Garanhuns. Cid Ferreira Freitas

    ResponderExcluir
  3. Caro roberto, porque, omitir aFAMEG, que, em nosso mdesto modo de emtender, se nao fosse a mesma nao teriamos o curso da U P E, mesmo com toda adeficienca segundo. O governador ditador nao sabia que podia vibilizar o curso,foi necessario a pressao popular grande para viabilizar.

    ResponderExcluir