ALEPE

ALEPE
ALEPE

terça-feira, 22 de novembro de 2011

GARANHUNS NÃO PODE SE ACOVARDAR!

Cristo do Magano, no ponto mais alto de Garanhuns

POBRE GARANHUNS! Não enxerga, mais uma vez, por onde começar um processo eleitoral.

Acredito que é cedo, mas nada é pior que não entender que quando a onda arrebenta somente nos resta surfá-la.

Refiro-me ao momento correto de começarmos a discutir as eleições municipais de 2012, como disse é cedo, mas o fato é que já estamos vivenciando esta realidade, então faço alguns comentários.

O mundo, o Brasil e até Pernambuco vivem um novo momento do processo de administração pública, são os modelos que utilizam os princípios da ciência da administração para tratar da gestão da coisa pública. Países das mais variadas vertentes ideológicas, bem como estados brasileiros, haja vista o exemplo de Minas Gerais têm aplicado esses modelos de gestão para utilizar de forma racional os parcos recursos que dispõem e principalmente construírem seu futuro.

Em Garanhuns, após oito anos de um governo que mesmo na reta final da sua gestão ainda não disse a que veio, a nossa sociedade precipitadamente inicia a discussão para as futuras eleições municipais tratando de nomes e não de projetos.

Refiro-me à notícia que mais um político mudou seu domicílio eleitoral para nossa cidade e vai aventurar-se ao Palácio Celso Galvão. Esse fato é reincidente e tem a mesma origem partidária de quatro anos atrás, não vamos perder tempo com isso, provavelmente vai acontecer o mesmo, na hora certa, as pessoas de bem que hoje se encontram naquele partido, vão se retirar e optar por uma solução que não parta simplesmente de uma intervenção, inviabilizando, mais uma vez, a aventura externa e meramente eleitoreira.

Não precisamos de novos aventureiros em Garanhuns, precisamos de novas ideias, projetos, visão de futuro, metas, planejamento estratégico. Precisamos que a sociedade garanhuense resolva tomar as rédeas do seu futuro e não fique a cada eleição esperando um “salvador da pátria” que vai finalmente tomar aquela medida que milagrosamente vai desenterrar o potencial que temos.

Não é assim, temos que ter coragem de discutir Garanhuns, de forma aberta, democrática, livre de amarras políticas ou projetos pessoais. Virar a página, fazer diferente, pois na base de projetos pessoais do “eu te elejo agora, depois você me elege”, na base do deixa como está, pois pode piorar, não vamos conseguir nunca desenvolver Garanhuns. Se tiver que ser alguém de fora para dar a arrancada que precisamos, que seja.

É preciso, porém, entender que essa pessoa vem apenas para realizar o que a sociedade entendeu como sendo o melhor caminho a seguir, e não creio que aqueles que não vivenciam as dificuldades por que passamos em nossa cidade tenham esse compromisso.

Custo a acreditar que entre seus mais de cento e trinta mil habitantes, não tenhamos em Garanhuns “pilotos” para essa empreitada e tenhamos que importar essa “mão de obra”. Acredito que a sociedade organizada pode, e deve, sob pena de perdemos outras gerações de cidadãos para o mundo, discutir e projetar o futuro de Garanhuns, não podemos mais nos acovardar e dar as costas aos que precisam que a nossa cidade e região cresçam para construírem aqui o seu futuro!

Assuntos como a reestruturação do distrito industrial, reforma tributária do município e levantamento das potencialidades de Garanhuns e da região precisam ser discutidos, antes de tudo!

Enxergar que Garanhuns, por pura sorte e circunstância, já se tornou uma cidade universitária, e que a indústria da educação em dez anos vai nos tornar uma potência regional é importante, e não podemos perder essa oportunidade.

Ressalto, ainda, que alguns já iniciaram esta discussão, mas são poucos e precisam se soltar mais daquelas amarras as quais me referi, afinal como se diz: Toda caminhada, por maior que seja, começa com o primeiro passo.

Vamos caminhar – juntos – pelo futuro de Garanhuns!
Alcindo Menezes, Cidadão de Garanhuns.

FAÇA COMO ALEXANDRE MARINHO E DR. ALCINDO - ESCREVA, DÊ SUA OPINIÃO USANDO NOME E SOBRENOME. NÃO TENHA MEDO DE SE EXPOR POIS VIVEMOS NUMA DEMOCRACIA.

9 comentários:

  1. Wilson Fortunato (Boa Vista)22 de novembro de 2011 09:27

    Em que pese todo este potencial de bons políticos de Garanhuns, que esperam a oportunidade de administrar a cidade, é fato que não aparecem para defender os interesses sociais desta,(de forma concreta), não tomam partido nos momentos que deveriam, (cadê a marcha contra a corrupção; contra os demandos..., a questão não é ser ou não capacitado para administrar, é sim o comprometimento destes nomes com o município. O que carregam nas suas histórias e currículos em ações de combate as mazelas que acometem garanhuns? É preciso lembrar que se às péssimas adminstrações,(como a que se apresenta aí), contam com o silêncio dos "inocentes" , a sociedade, elas tomam proporções gigantescas e acabam atrasando por décadas toda uma sociedade em seu crescimento econômico e social. O que nós como cidadãos podemos vislumbrar de todo o ocorrido, (e por isto a não adesão), e a união de políticos para conservarem o poder e não em prol da sociedade, um exemplo gritante, disto,foi a mobilização contra a candidatura do forasteiro, por que não sobem ao palanque, também, unidos a favor da sociedade? mostrem que amam Garanhuns exibindo as deficiências o atraso,a falta de saneamento básico; a falta de médicos nos postos de saúde; para cobrar dos vereadores fiscais da adminstração, hombridade; onde estão sendo aplicados os recursos disponibilizados dos Governos para o município? ...
    Senhores prefeitáveis, arregacem as mangas, e mostrem algo pela cidade, sigam o exemplo de vereadores de Bom Conselho, que enquanto a politicagem toma conta em Garanhuns, eles requerem o envio de assistência de urgência à saúde através de helicópteros,com sede em Garanhuns, que irá beneficiar toda uma região,(a sociedade agradece a estes dignos representantes do povo). O povo de Garanhuns quer ver ações voltadas para o social e não discursões infrutíferas geradas pelo medo da perda do poder. Mostrem trabalho, mostrem do que são capazes para defender a sociedade de Garanhuns, e deixem o povo escolher como numa verdadeira democracia.

    ResponderExcluir
  2. Olha ai gente Alcindo Menezes querendo aparecer,é bom alguem avisar a esses senhores, quero dizer a Alexandre e Alcindo que escrever bonito não da voto não.

    ResponderExcluir
  3. Na verdade não temos que ter medo de fulano e ou de beltrano, se da cidade ou de fora. A verdadeira preocupação que está sendo esquecida no momento é com o bem estar da população da terra da garôa.
    Há casos também, em que o próprio eleitorado não tem noção nem conhecimento dos políticos que entram na disputa. Vários casos já foram provados e comprovados. Um exemplo é o vereador Gersinho Filho, um “boyzinho” que resolveu entrar na onda e se deu bem, venceu a primeira disputa política com votos de vários bairros, inclusive Cohab 1; mas onde estão suas ações junto às comunidades? Outro fato um interessante é o Ver. Júnior Negão, que desde de a sua decisão por lutar em prol do povo, refiro-me a Cohab 1, bairro este que deu as costas para ele, foi buscar apoio político na Cohab 2 e se deu bem. Analisando estes dois casos e pensando um pouco será que não estamos sendo juízes preciptados? A lei brasileira, mesmo cheia de brechas, diz que todos somos livres. Portanto não será um candidato de Garanhuns ou de Lajedo que irá mudar a situação de uma hora para outra. Quer seja Dourado ou Régis, ou qualquer outro aventureiro, a história será sempre a mesma: “Depois da tempestade, sempre vem a calmaria”. Esperemos e analisemos as propostas de cada um, no final seja lá qual for o vencedor esperamos apenas uma coisa que não abriremos mão: O MELHOR PARA GARANHUNS!

    ResponderExcluir
  4. Nesse blog ninhuem pode dar opiniao. O dono dele só publica o que lhe interessa

    ResponderExcluir
  5. Enquanto o Roberto clama e conclama aqui para que as pessoas assinem seus nomes, baixa o número de comentaristas pela metade e multiplica-se por 10 o número de anônimos que assinam nomes fictícios, a prefeitura de Bom Conselho andou distribuindo um panfleto, cujo escritor é anônimo, como eu trato hoje meu blog.

    O que me fez comentar aqui não foi o texto do Dr. Alcindo, por sinal muito bem escrito, mas, que eu não entro no mérito que para mim é política externa. Venho mais pelo quase constante apelo do Roberto para que assinem seus nomes. Eu nunca havia visto uma conversão tão profunda quanto a dele na questão do anonimato. Antes, seu blog era o paraíso dos anônimos, e era aquela festa democrática. Hoje, continuam os anônimos, mas só aqueles que inventam um nome.

    Há um senhor, se não me engano, o Genebaldo, que tem um blog, que foi o único, e com o qual concordei, que disse que para evitar o anonimato, não é só mandar as pessoas assinarem um nome. E eu acrescento, nem mesmo fazer parte da confraria de anônimos da conta Google, ou outro veículo eletrônico. Vou mais além, e digo, quem irá acreditar que o meu CPF é 212.413.009.038-08? E o meu RG é 946.532 SSP/PE? Ou que meu endereço eletrônico é lpeixoto@hotmail.com? Ou ainda que meu IP é 201.554.100.48? Será que são falsos ou verdadeiros? Aliás, nem meu nome próprio é Lucinha Peixoto, pois o Padre Alfredo não me batizaria como tal. Mais de que adianta saber que ele é Maria Lúcia? Isto tornará mais verdadeira ou mais falso os meus escritos?

    Eu ainda sou a favor do ditado que terminou uma conferência de blogueiros em Bom Conselho sobre o tema do anonimato: “Em geral, quem tem medo do anonimato, ou tem o rabo preso ou tem o rabo sujo”. Eu sei que isto tem exceções e normalmente se aplicam a pessoas que estão no governo ou numa luta política esganiçada como alguns políticos de Garanhuns, como o Alexandre Marinho, o Paulo Campelo e mesmo o Roberto Almeida, que nem rabo têm. Mas, outros que vivem o tempo todo oferecendo documentos para dar crédito aos seus escritos, geralmente, tem o rabo sujo ou o rabo preso, e o que querem com isto é conhecer as pessoas, que mesmo numa democracia, Roberto, podem apanhar, como foi o caso de uma dos vereadores citado pelo o Wilson Fortunato (será um anônimo?) no comentário das 09.27.

    Por isso, Roberto, a ideia de que mostre a cara porque estamos numa democracia, não é tão válida assim. Quem tem cotovelo tem medo, democraticamente ou não. É uma pena que o direito de expressão seja cerceado (em termos) neste blog, o que nunca tinha sido antes. Será que isto já é uma herança do forasteiro?

    ResponderExcluir
  6. COMO ME ENOJA as palavras destes dois puxa saco que estão defendendo o DOURADO de Lajedo.queria saber de onde vem esta competencia que tanto falamque ele possui quantos concursos ele se submeteu? que eu saiba ele sempre foi um passageiro do trem da alegria.Lajedo é uma provincia que se alegra com dois metros de calçamento de paralelepipedo. Se ele fosse mesmo competente teria acabado com a bandidagem de Lajedo, os meliantes que andam até durante o dia onde sabemos que tem habitos noturnos.Não tem saneamento o lixo impera nas ruas a prostituição infantil,drogas, favelas, alcoolismo infantil,etc.

    ResponderExcluir
  7. Pelo que observei o blog continua com um bom número de comentários e os que sumiram não estão fazendo falta pela agressividade e falta de conteúdo. Continue com essa política Roberto que é melhor qualidade do que quantidade e democracia nunca foi sinônimo de bagunça e falta de respeito.

    ResponderExcluir
  8. Se Garanhuns tivesse a sorte de ter homens como Alcindo e Alexandre no poder...

    ResponderExcluir
  9. AUDÁLIO MACHADO: Quem conhece sabe da competência, ética e coerência de Alcindo Menezes, nós do PSDC temos orgulho de tê-lo como filiado.

    ResponderExcluir