terça-feira, 16 de agosto de 2011

ODAIR E OS BREGA DE ANTIGAMENTE

Marcos Cardoso fez hoje na Marano uma homenagem a Odair José. O artista, que já gravou junto com Caetano e teve uma de suas canções interpretada pelos Titãs, completou nesta terça-feira 63 anos. Os mais jovens não sabem nem quem é o cantor brega que fez sucesso nos anos 70. Autor de “Cadê Você”, uma música simples que voltaria a tocar no rádio, na voz de Leonardo, Odair receberia o título de “cantor das empregadas”. Merecido. Numa de suas composições ele se declarou assim: “Deixa essa vergonha de lado, por você ser uma simples empregada não vai modificar o meu amor”. Outra, cult entre os bregas do passado, fala de uma prostituta pela qual o cara está apaixonado. Então ele anuncia para o mundo inteiro: “Eu vou tirar você desse lugar e não interessa o que os outros vão pensar”. Eram assim românticos dos anos 60, 70 e 80. Aguinaldo Timóteo, Nélson Gonçalves, Lindomar Castilho, Altemar Dutra, Evaldo Braga, Adilson Ramos, Reginaldo Rossi (que ainda está aí, em forma), Odair José. Nem sei se existe mais brega. Agora é tudo pasteurizado, fabricado, sem conteúdo. Essa turma cantava para o povão, mas tinha alguma coisa a dizer. Hoje esses artistas jovens e maduros que miam e escrevem letras pobres de dá pena dizem o quê? Nada. É o vazio do vazio. Nem de dor de corno e de putas esse pessoal saca alguma coisa, como o bom Reginaldo Rei e o velho Odair José. Acho que o Marcos deve pensar parecido comigo, caso contrário não fazia essas homenagens. E tem muita gente nos dando razão, está aí o sucesso do Radiola de Ficha para comprovar esses argumentos.

Um comentário: