SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

ALEPE

ALEPE
ALEPE

sexta-feira, 28 de maio de 2010

POR QUE A DROGA AVANÇA EM GARANHUNS?

Ultimamente as polícias têm intensificado em Garanhuns as operações anti-droga. Somente nesta última quinta-feira, como relata Eduardo Peixoto em seu blog, a partir do boletim de ocorrências da PM, foram feitas apreensões de maconha e crack em várias ruas da Boa Vista, Liberdade, Várzea e Cohab II. As evidências são claras de que a droga avança cada vez mais em Garanhuns. Está presente nessas periferias, no centro, nas casas, nas escolas. Por que uma cidade tranquila, de porte médio, de repente se vê diante de um problema típico das grandes metrópoles? Ora, a droga hoje está presente até mesmo nos pequenos municípios da região. Nos meus tempos de menino e rapaz ninguém ouvia falar disso por aqui. Nem em Capoeiras, Caetés, Angelim, Jupi ou mesmo Garanhuns. Hoje tem sempre um rapaz ou uma moça por aí experimentando um baseado ou uma cheirada num desses troços. Reflexo da sociedade moderna, da desagregação da família, dos noticiários da televisão, do desemprego, da falta de opções e da educação capenga - em casa e na escola pública. Melhoramos em muitas coisas, os avanços na medicina, nas condições de moradia, no conforto dentro de casa para muitos são inegáveis. Por outro lado, temos inchaço nas periferias das grandes cidades, inclusive aqui em Garanhuns. Tem leitor considerando preconceito, mas não é: uma coisa é morar na parte boa do bairro Aluízio Pinto, em Heliópolis ou na área central da cidade. Outra é viver na Várzea, na Brahma, no Indiano, nas Cohabs, em Manoel Chéu. Há mais pobreza, menos lazer, escolas de qualidade inferior, famílias esfaceladas pela desinformação e pela falta de recursos. Os meninos ou meninas querem tênis bonito, calça de marcas, ajeitar os cabelos, curtir festas, se divertir... Terminam encontrando poucas oportunidades de apreciar essa vida "pequeno burguesa". Uma festa aqui outra ali, os amigos... ao som de bandas de gosto duvidoso, surge a oportunidade de experimentar emoções mais fortes... Aí vem o sexo antes da hora, o álcool, o cigarro, a maconha, o crack... Da necessidade de grupos (termina sendo criada a necessidade) surge o traficante, o negociador, o inescrupuloso que pensa em fazer dinheiro à custa do vício. É um problema social e político, complexo. Só as batidas policiais não vão resolver. É preciso a união dos governos Federal, Estadual e Municipal, investimento nas escolas, envolvimento dos clubes de serviços, dos professores, dos comunicadores, das igrejas... Só quando todos tomarem consciência da seriedade do problema ele poderá ser resolvido ou minimizado. Enquanto a cidade crescer de forma desordenada, sem políticas públicas corretas, Garanhuns e outros municípios vão estar convivendo com a expansão das drogas.

AUDIÊNCIA DO BLOG

Números do Blog nos últimos dias: sábado para domingo - 196 acessos; domingo para segunda - 207; segunda para terça- 298; terça para quarta - 171; quarta para quinta - 217; quinta para sexta - 293. A contagem é feita das 7h30 de um dia para às 7h30 do dia seguinte. Total nos seis dias: 1.382. A média ao dia ficou bem próxima de 231 acessos a cada 24 horas. A semana passada foi um pouco melhor, pois tivemos quatro dias com mais de 300 visitas (em cada dia), tendo a média batido em 288 acessos/dia. Na média da semana passada ultrapassaríamos os oito mil por mês, na média desta semana ficaríamos perto dos sete mil. Os números, de toda maneira, são satisfatórios e sabemos que estamos atingindo bem todo o Agreste Meridional, além de pingarmos por diversos outros municípios do país e do exterior.

3 comentários:

  1. Amigo Roberto,

    penso que em nossa cidade faltam projetos, sobretudo na periferia, que atendam à formação e à educação, principalmente, voltados para adolescentes e jovens. Projetos com foco no entretenimento, lazer, cultura, orientação sexual, oficinas de arte e reciclagem, escolinhas de futebol, e por aí vai.

    Talvez projetos desta natureza, se intensificados, dessem um drible nas drogas e na criminalidade.

    W.

    ResponderExcluir
  2. Não só nestas áreas citadas pelo companheiro, mas de um modo geral garanhuns está totalmente abandonada, precisando de projetos e ações em todoas as áres da cidade. @acorda garanhuns

    ResponderExcluir
  3. Caro Roberto,

    As drogas,- as alcoólicas matam e pervertem diretamente mais gente no mundo que as ditas ilegais -destroem o tecido social a partir da base deste: a família.

    Merecem o mais firme enfrentamento e repúdio de todos.

    Imperiosa,portanto,para o bom combate ao mal, a responsabilização das autoridades estatais que prevaricam na repressão ao uso delas e, principalmente, dos agentes públicos que, direta ou indiretamente, estão envolvidos no submundo mercadológico das ditas cujas.

    Nesse sentido,não pode passar desapercebida a relação amistossíssima do governo Lula com o notório cocalero, Evo Morales, incentivador do aumento do plantio da erva base na fronteira com o Brasil, entre patifarias mais.

    Também não se deve desconhecer a parceria política do PT com os narcoterroristas das FARC, desde a instituição do Fórum de São Paulo nos anos 80 do século passado, como denuncia,desde então, o corajoso filósofo Olavo de Carvalho.

    Como se sabe, é da Bolívia, sob o índio de araque,e gestão das FARC/PCC/CV, que sai cerca de 80% da pasta de cocaína introduzida no Brasil, utilizada agora, mais gravemente, para o fabrico do crack.

    É doloroso, por fim, constatar que os jovens brasileiros, sobretudo os periféricos, estão sendo as primeiras vítimas fatais da revolução comuno/bolivariana em curso.

    Vade retro !

    ResponderExcluir