COMARCAS DE MUNICÍPIOS DO AGRESTE MERIDIONAL CORREM RISCO DE DESAPARECER


Depois do primeiro turno da eleição, no dia 15 de novembro, o Tribunal de Justiça de Pernambuco voltou a cogitar agregar algumas comarcas no interior do estado.

Caso o TJ vá em frente com seu objetivo, poderão ficar sem sede de comarca alguns municípios do Agreste Meridional, caso de Capoeiras, Calçado, Angelim, Palmeirina, Lagoa do Ouro e Iati.

Se ninguém fizer alguma coisa para impedir a proposta, Capoeiras ficará dependente de Caetés, Calçado de Lajedo, Angelim de Canhotinho, Palmeirina de São João, Lagoa do Ouro de Correntes, Iati de Saloá.

Deputados e prefeitos precisam se movimentar, porque o objetivo do Tribunal é mesmo agregar algumas comarcas.

Se isso acontecer os maiores prejudicados serão as pessoas das classes média e baixa, que recorrem mais à justiça.

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB),  poderá fazer alguma coisa neste sentido, aumentando o valor dos repasses para o Tribunal de Justiça.

Caso as prefeituras arquem com todas as despesas das comarcas o TJ também poderá ceder. Situação complicada porque os municípios já vivem no sufoco e as coisas pioraram depois da pandemia.

Um comentário:

  1. O Poder Judiciário do Estado mandou um projeto de aumento das custas judiciais e a Assembleia Legislativa disse amém e aprovou.
    Agora surge essa história de junção de comarcas, tornando mais difícil ainda o acesso à justiça principalmente pelos mais carentes, pois além de pagarem mais caro, vão ter que gastar com as viagens que terão que fazer para cidade vizinha.
    Êita, Brasil, zil, zil...

    ResponderExcluir