quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

CORRUÇÃO BATE NA PORTA DA FAMÍLIA BOLSONARO


Ana Cristina, ex-mulher de Bolsonaro

A imprensa nacional revela hoje que o presidente Jair Bolsonaro está com medo de que a qualquer momento seja pedida a prisão do seu filho, senador Flávio Bolsonaro.

Os temores são justificados por conta da investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro, que envolve Flávio, a ex-mulher do presidente, advogada Ana Cristina Valle e um outro filho do Messias, Jair Renan.

Eles estariam envolvidos num esquema de “rachadinha” para se apropriar de dinheiro público, quando Flávio Bolsonaro era deputado estadual pelo Rio de Janeiro.

Gabinete do parlamentar empregava parentes, policiais militares e milicianos, muitos eram funcionários fantasmas e o dinheiro jorrava nas contas, ao que tudo indica comandadas por Fabrício Queiroz

Ainda são citados nas investigações do Ministério Público José Cândido Procópio, pai de Ana Cristina, empresário Glenn Howard, que fazia lavagem de dinheiro através de imóveis e o PM Diego Sodré, acusado de limpar a grana suja via uma loja de chocolates de propriedade de Flávio Bolsonaro.

Há quem acredite que as investigações podem levar até a ligações com o assassinato da vereadora Marielle Franco, uma vez que Fabrício Queiroz é ligado às milícias do RJ e indicou pessoas vinculadas ao crime organizado para trabalhar no gabinete de Flávio, quando este era deputado.

É um negócio escabroso, comparável àquelas histórias de máfia que a gente vê nos filmes americanos, como O Poderoso Chefão e o recente O Irlandês.

Com tudo isso acontecendo, a grande imprensa noticiando e não se ouve uma palavra do Ministro da Justiça e ex-juiz Sérgio Moro. Alguns dizem que ele passou de caçador de corruptos a defensor dos interesses da família Bolsonaro.

De uma coisa o leitor (a) pode estar certo: se Flávio Bolsonaro fosse filiado ao PT ou ao PSB do ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, já estava preso.

No Brasil, a direita pinta e borda e não acontece nada. Um político de esquerda, basta espirrar, que baseado em convicções um promotor pede a sua prisão e a justiça - lenta para defender pobres, pretos, prostitutas e petistas - é rápida e eficiente nesses casos.

Pobre Brasil! Como chegamos a esse ponto?

Nenhum comentário:

Postar um comentário