quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

FABRÍCIO QUEIROZ FICOU RICO "FAZENDO ROLO"


Fabrício Queiroz, ex-motorista de Flávio Bolsonaro, depois de faltar a duas audiências no Ministério Público para explicar a origem de sua movimentação financeira alta, com valores acima de R$ 1.200.000,00 em conta bancária, deu uma entrevista no SBT e disse como ficou rico.

O ex-assessor do senador eleito no Rio de Janeiro disse que sempre soube fazer negócios e ganhar dinheiro.

Fabrício vive de “fazer rolos”, como se diz aqui na região, comprando e vendendo carros, novos ou usados.

A conta bancária gorda, que permitiu a Queiroz depositar um cheque de R$ 24 mil na conta da futura primeira dama, Michelle Bolsonaro, não é,  portanto, resultado do salário de motorista e sim da sua capacidade de fazer dinheiro revendendo carros.

Aqui em Garanhuns o negócio não parece render tanto como no Rio de Janeiro. Várias pessoas que vivem nesse ramo têm patrimônio modesto, às vezes uma casinha simples e um automóvel usado.

Um milhão em conta bancária é para um sujeito esperto como Fabrício, que só por coincidência trabalhou para a família Bolsonaro.

4 comentários:

  1. O cara está sendo acusado de receber 600 mil reais, e movimenta-lo isso é ser rico?

    Eu quero saber é: para onde foi os 50 milhões do deputa petralha no Rio?

    ResponderExcluir
  2. Isso é o que podemos chamar de ENTREVISTA ENCOMENDADA... A buzunfa da repórter colaborou no que pode fazendo tabelinha Pelé/Coutinho. Foi uma entrevista sacana tipo vôlei, a marmota entrevistadora levantando para o entrevistado sacar ou cortar!!!

    P.S.: - Queiroz!!! Queiroz!!! "Se começar nesse tom comigo, a gente vai ter problema"... Tô mentindo Juíza Gabriela Hardt?!?!?!

    ResponderExcluir
  3. Alguém que votou ou é adepto do RECRUTA ZERO, compraria um carro usado da mão do laranja Queiroz?!?!?!

    P.S.: - Quem sabe não tenha sido o Queiroz que vendeu a Fiat Elba ao EMPRESÁRIO que deu de presente a Collor...

    ResponderExcluir
  4. O PC Farias também "vendia carros" e era o laranjal do sacripanta Collor de Mello... Esse Fabrício arrecadou R$1.233.000,00 dos comissionados da ALERJ durante 12 meses... E passou para a conta do filho do BolsonASNO... Aliás, como esse hábito do pedágio na ALERJ vem de muito longe, significa dizer que a família BolsonASNO sempre fez essas rapinagens... Haja vista que eles têm 28 anos na política no RJ, sem nada fazer... 2. Agora, vêm os eleitores do Asno velho dizendo que foram "R$600.000,00"?! Querem tapar o sol com uma peneira furada... Não usem de má-fé, por favor. Contem o fato, como o fato foi e é. /.

    ResponderExcluir