GOVERNO MUNICIPAL

GOVERNO MUNICIPAL
PREFEITURA DE GARANHUNS

terça-feira, 12 de junho de 2018

BETÂNIA, ALFREDO E ELIANE APONTAM ERROS E DISTORÇÕES NA ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL DE GARANHUNS


Durante uma hora e 40 minutos, a vereadora Betânia da Ação Social, o ex-secretário Alfredo Góis e a suplente do Conselho Tutelar, Eliane Silva, discutiram diversas questões de interesse do município de Garanhuns, principalmente nas área da saúde e assistência social.

O “bate papo”, num tom bastante descontraído e informal, foi no programa “Cafezinho com Cisneiros”, que foi ao ar via internet, a partir das 19h desta segunda-feira, com transmissão ao vivo pelo Facebook.

Um dos assuntos da entrevista, conduzida pelo blogueiro Kleber Cisneiros, foi a proposta de se criar uma Casa de Apoio no Recife, para atender os moradores de Garanhuns que vão à capital buscando tratamento médico.

O projeto já foi até discutido na Câmara Municipal, mas apenas três vereadores foram favoráveis a instalação da referida Casa: de Apoio a própria Betânia, Tonho de Belo e Zaqueu Lins. 

Outros parlamentares - Marinho, Gersinho, Luzia e Daniel, integrantes de duas comissões da Casa,  seguiram a orientação do vereador Alcindo, líder do Poder Executivo - e votaram contra, alegando que a proposta é inconstitucional,  por gerar novas despesas para o município e a Câmara não pode legislar sobre matéria financeira.

Betânia, porém, na entrevista no programa de Kleber, disse que a instalação da Casa de Apoio só depende da determinação do prefeito. “Se a Câmara não pode fazer o projeto que o Executivo o faça e envie ao Legislativo. Eu apoiarei da mesma maneira porque o objetivo é beneficiar a população”, pontuou a vereadora.

O ex-secretário Alfredo concordou com Betânia que a instalação da Casa depende de vontade política e que talvez o gestor não esteja concordando com a ideia por partir de uma vereadora hoje atuando no campo da oposição. “Nesse caso está faltando sensibilidade política”, frisou Alfredo Góis.

Tanto o vereador quanto o ex-secretário de Saúde Garanhuns consideraram a proposta viável e necessária, considerando também que o município tem condições de fazer o investimento. Eles citaram o exemplo de municípios menores do que Garanhuns, caso de Jupi, Caetés, Capoeiras e Paranatama, que possuem casas de apoio no Recife, proporcionando uma boa assistência aos moradores dessas localidades.

Outro assunto que fez parte da entrevista foi a falta de um hospital municipal em Garanhuns.

Sobre este ponto quem falou mais foi Alfredo Góis. Ele disse que quando Izaías assumiu o primeiro mandato fechou o hospital que funcionava precariamente na antiga Casa de Saúde Santa Terezinha, transferindo os serviços que eram prestados lá para o Hospital Infantil.

Na sua visão, a UPAE 24 horas, construída pela prefeitura, mas que ainda não está funcionando, poderia atender a demanda dos garanhuenses na área de saúde, fazendo as vezes de hospital municipal.

Segundo Alfredo, a Unidade poderia já estar funcionando se houvesse mais sensibilidade e determinação política do gestor.

Já Eliane Silva, em sua participação no ‘Cafezinho do Cisneiros”, procurou defender mais a causa dos menores e adolescentes de Garanhuns e criticou o fato do município ter apenas um Conselho Tutelar, quando pela população em torno de 140 mil habitantes poderia ter dois ou até mesmo três. “São João com 20 mil moradores tem um Conselho. Garanhuns, com uma população sete vezes maior também tem apenas um conselho. Isso faz com que crianças e adolescentes sejam prejudicados”, comentou.

Existe até uma recomendação nacional de que seja criado pelo menos mais um conselho na cidade, a questão já está no Ministério Público, mas segundo Eliane a administração municipal alega que não tem recursos para bancar mais um CT.

Quando se falou da área social, Betânia fez uma revelação que causou admiração nos outros entrevistados e no apresentador do programa. Segundo ela, do final de 2017 para o início de 2018 a Secretaria de Assistência Social ficou com um saldo em caixa superior a R$ 2 milhões.

Alfredo considerou que não era admissível que num município de tantas carências, onde se alega faltar dinheiro para Casa de Apoio, instalação de UPAE ou criação de mais um Conselho Tutelar, a Secretaria de Assistência Social esteja fazendo caixa com o dinheiro que devia estar sendo utilizado em benefício da população.

Já no final do programa, os participantes, que mantiveram o tempo todo um tom bastante moderado, fizeram algumas considerações mais duras relacionadas com a gestão.

Kleber Cisneiros revelou que a Assistência Social está funcionando numa casa luxuosa em Heliópolis e que uma “casta privilegiada” da Secretaria todo dia almoça no Restaurante O Chalé às custas do dinheiro público.

Foram feitas considerações também a respeito de uma revelação do radialista Marcos Cardoso, da Rádio Marano, que disse no seu programa, tendo como fonte uma pessoa da “cozinha do prefeito”, ter a informação que Izaías está cansado do cargo e não vê a hora de terminar o mandato.

Para a vereadora Betânia da Ação Social, se isso procede, se o gestor realmente perdeu o entusiasmo de realizar o seu trabalho, devia renunciar o cargo para dar lugar a quem tiver interesse em servir à população. "Se ele queria ser o melhor prefeito da história do município, desse jeito vai ficar devendo", comentou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário