SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

quinta-feira, 15 de março de 2018

LINGUAJAR DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

Por Altamir Pinheiro

O vocabulário adequado por profissionais da saúde sejam eles secretários municipais, enfermeiros ou farmacêuticos, representa uma troca de informações e compreensão entre as pessoas, e o objetivo desse linguajar acessível por parte de quem fala é transmitir fatos, pensamentos e valores claros e objetivos. É uma técnica humana de saber transmitir conhecimentos. O vocabulário  harmônico  e cotidiano entre o  profissional e o pacato homem de simples convivência com a curta leitura que teve, move a capacidade de dar significado as coisas que  são ditas claramente e bem elaborada pelo  conhecimento e pela linguagem franca  dos compreensivos(nem todos!!!) profissionais de saúde.´

Dizemos isso em razão de, recentemente, aqui em Garanhuns, se fizeram presentes em um programa radiofônico da Rádio Difusora comandado pelo locutor Eduardo Peixoto, através de um papo informal  que durou cerca de uma hora. Pois bem,  um par de secretários municipais imbuídos dos melhores propósitos ou  da melhor boa vontade de prestarem os devidos esclarecimentos à população, mas, mesmo assim, os dois quase quebraram o OSSO DA LÍNGUA de tanto falar difícil nos microfones daquela  emissora, desfilando termos, frases e expressões que o tabaréu ou a matutinha que está com os “zuvidos” colados no rádio não tem a mínima condição de absorver aquele estrambólico linguajar.

Entendo que, tudo poderia ser mais simples e compreensível, mas prevalece uma comunicação empolada, requintada e por vezes incompreensível não apenas para quem tem baixa escolaridade, mas para qualquer um que esteja fora desse mundo da ciência medicinal. Existe um amontoado de  palavras complexas que dificultam o entendimento por parte das pessoas leigas, como por exemplo, o uso de terminologias técnicas como “EDEMA“, “CEFALEIA” e “SUTURA“, que são desconhecidas para a maioria da população de pouca instrução ou então pessoas que sofrem da SÍNDROME DE PVC: “Porra da Velhice Chegando”...
Quem “caraio de asa” sabe distinguir o que é esse tal de procedimento de alta complexidade ou até mesmo o sistema imunológico de aplicação de vacinas via  subcutânea ou intramuscular. Afinal de contas, qual o significado desses palavrões de baixo calão?!?!?! Já pensou como o lascado lá do Sítio da Baixa do Imbé vai lá saber o que significa ou como vai  defender o seu  sistema imunológico exposto diariamente por milhares de perigosos microrganismos apelidados de vírus, bactérias, parasitas ou seja lá o que porra for...
E o que dizer da Comissão Intergestores Tripartites  que é uma Instância de articulação e pactuação na esfera federal que atua na direção nacional do SUS, integrada por gestores  das três esferas de governo - União, estados e municípios.  Ora bolas!!! O cara que se dirige a FARMÁCIA POPULAR quer saber se a liberação do seu medicamento conforme reza na receita médica tem de ter ou passar pelas últimas palavras do Michel Temer, Paulo Câmara ou Izaías Régis?!?!?!  Ele quer é o remédio em mãos para colocar dentro de sua sacola, para curar a sua chaga e não ouvir aquele papo furado de camelô, que já foi feito a bendita(ou maldita) LICITAÇÃO e  blábláblá,  mimimi e etc... etc... etc...
Sem querer ser o rei da cocada preta, vai aqui um aviso aos navegantes. Digo melhor, a todos os secretários de saúde do agreste meridional de Pernambuco que se propõem a prestar informações aos seus munícipes através do rádio: saber falar bem e comunicar-se com clareza são características necessárias para certas profissões. Na área médica como na comunicação, a oratória simples, direta e objetiva  é fundamental para quem é profissional da saúde.
Antes de qualquer coisa é de fundamental importância que o profissional de saúde ponha em sua cachola que,  as pessoas estão mais vulneráveis quando procuram um médico, uma enfermeira ou se dirige a uma farmácia a procura de um remédio para ser  adquirido pelo SUS na base do 0800. Tanto a nível físico quanto a nível emocional. Por isso, vale a pena investir no respeito e cuidado na hora de conversar com as dores do outro. Como também muito cuidado com a EMPURROTERAPIA tão bem praticada por balconista de farmácia...

O universo que envolve a saúde pública  é cheio de jargões e expressões de nicho e quase sempre à margem do entendimento de todos nós. Portanto, deve-se usar frases palatáveis e partir  do pressuposto que o outro não conhece termos específicos da área médica. Pois, não é justo explicar de uma maneira inacessível. Deve-se procurar ser o mais simpático e educado possível e principalmente ser cuidadoso ao dar MÁS NOTÍCIAS, sobretudo no tocante  à falta de medicamentos. Neste caso específico, referindo-se aos remédios, é bom procurar dar essa informação chata e incômoda com respeito, demonstrando que você se importa. Um cuidado simples pode fazer toda a diferença nessa hora tão frustrante, donde, o cidadão vai voltar para casa com sua bizaca vazia sem a preciosa substância para curar suas moléstias.

Este texto ora escrito, não poderia chegar ao seu final sem falar do bendito SUS. Sistema de Saúde que a imprensa  baixa o cacete sem dó nem piedade!!!  É só falar em saúde pública que o brasileiro torce o nariz. Pu­­de­ra. De imediato, vêm à cabeça ce­­nas de hospitais lotados, ma­­cas pelos corredores, aglomerado de gente desnuda e ensanguentada  estirada no chão e mães de famílias que esperam meses por uma consulta com um especialista ou por uma cirurgia... TÔ MENTINDO, HOSPITAL REGIONAL DOM MOURA?!?!?!

Quando passou pelo governo(de 2003 a 2010), Lula,  teve a clarividência(há que ache, petulância!!!) de afirmar   que daria um conselho ao presidente que dirigia a nação mais rica do mundo, o  americano Barack Obama. Dizia ele naquela ocasião:  na próxima vez que  encontrá-lo, vou falar o seguinte: “OBAMA, FAÇA UM SUS. É BA­­RATO E DE QUALIDADE!!!”. Lula, claro, virou motivo de chacota, diante de todas as deficiências do mo­­delo nacional de saúde pública. Mesmo assim, depois dessa proposta do Lula ao negão Obama o que é que você acha?!?!?!  Vale a pena se internar pelo SUS.  Queira ou não,  está aí o famigerado SUS, cantado e decantado em verso e prosa   por todos os políticos brasileiros como o maior sistema de saúde implantado no mundo. Enquanto isso, sofredores físicos, psíquicos e espirituais se aglomeram na porta do purgatório...

*Foto: TV Replay.

Nenhum comentário:

Postar um comentário