sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

ARMANDO LIDERA PESQUISA PARA GOVERNADOR

Nova Pesquisa para a eleição de governador de Pernambuco, este ano, mostra o senador Armando Monteiro (PTB) em primeiro lugar, com 20,5% das intenções de voto, seguido por Paulo Câmara (PSB), que somou 16%.

A vereadora Marília Arraes (PT), cresceu cinco pontos percentuais e com 14,5% está empatada tecnicamente com o governador.

O ministro Mendonça Filho (DEM) aparece com 10,5%, enquanto o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) ficou em último lugar, com 5%.

O Instituto Múltipla aplicou 600 questionários em 65 municípios de Pernambuco, entre os dias 18 e 22 deste mês.

Pela pesquisa, a maior rejeição é a do governador Paulo Câmara (63,5%), seguido por Fernando Bezerra Coelho (56%).


Armando Monteiro (41,2%) e Marília Arraes (49,8% apresentaram a menor rejeição.

*Imagem e dados do blog Ponto de Vista.

4 comentários:

  1. Com exceção do Deputado Federal Mendonça Filho,o restante foram discípulosos e vem da Escolinha dos ex-governadores Michel Arraes de Alencar a Eduardo Henrique Aciolle Campos.É surpreendente a votação da vereadora do Recife.Uma mulher no meio dos homens mostrando ainda a força feminina.

    ResponderExcluir
  2. Coisas da política nacional.

    Em 2006 foram candidatos a governador por Pernambuco: Armando Monteiro,Humberto Costa, Eduardo Campos e Mendonça Filho.0 ex-governador Jarbas apoiou Mendonça Filho.No segundo turno se juntou Armando Monteiro e Humberto Costa e foram apoiar Eduardo Campos contra Mendonça Filho e Jarbas Vasconcelos.

    Em 2010 o ex-governador Eduardo Campos saiu candidato a reeleição e Humberto e Armando Monteiro foram candidatos a Senador contra Jarbas Vasconcelos e Marco Maciel.

    Em 2012 para Prefeito em Recife Jarbas e Eduardo fazem um pacto de perdão e apoiam Geraldo Júlio para prefeito do Recife.

    Em 2014 sai candidato a Governador Paulo Câmara e para Senador Fernando Bezerra Coelho contra Armando Monteiro candidato a governador e Humberto Costa Senador.

    0 governador Paulo Câmara se elege e puxa o senador Fernando Bezerra Coelho quando ambos faltando apenas 30 dias estavam com 12% e 8% para governador e senador com o apoio de Jarbas Vasconcelos.

    Em 2018 se apresentaram até agora futuro postulantes o Governador Paulo Câmara,Armando Monteiro,Marília Arraes,Mendonça Filho e Fernando Bezerra Coelho.

    Vem o senador prematuramente e tromba com Jarbas Vasconcelos do PMDB chamando o senador de traidor,falso e covarde e por sua vez o senador Fernando Bezerra mostra todas as contradições do hoje Deputado Federal Jarbas na folha de São Paulo.

    E os eleitores como ficam? Decepcionados com os políticos com suas bravatas,traições,covardias,falsidades e suas mentiras pura e simples.

    Hoje é Paulo Câmara contra Fernando Bezerra,Jarbas com Paulo e contra Fernando,Mendonça Filho contra Paulo e Jarbas,Armando Monteiro contra Jarbas e Paulo e a família de Arraes e Eduardo Campos e assim podemos propagar agora é" NÓS CONTRA NÓS DE NOVO".São os bacurais e os bicudos, os boca pretas e as ameaças de sempre, trocando farpas uns contra os outros numa verdadeira baixaria política.

    0s discursos são filho da puta,cabra safado, bandido, ladrão, viado, corrupto, bandido,traidor,falso,crápula,enfim,é disto que o eleitorado gosta.Enquanto isto a injustiça brasileira condena sem provas o homem do povo somente porque defende os pobres e os trabalhadores do Brasil e a soberania e as riquezas do país!

    Em 2010

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns professor pelo belo testo

      Excluir
    2. UMA RETIFICAÇÃO: EM 2014 os candidatos foram: Paulo Câmara PSB governador e Fernando Bezerra PSB Senador.Armando Monteiro PTB governador e João Paulo PT Senador.

      Eu votei em Fernando para senador e fui o único filiado do partido PSB que lhe dei apoio.Hoje ele traiu ao Lula e Dilma e agora trai os seus melhores amigos Paulo Câmara e Jarbas Vasconcelos.

      Este é o velho sistema eleitoral que junta os cacos podres,os intrigados e se abraçam e se beijam na internet para todo mundo ver como se fosse uma coisa normal quando não deveria ser.

      Excluir