Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

sexta-feira, 23 de junho de 2017

LAJEDO CONSEGUE LICENÇA PARA ATERRO SANITÁRIO

Após muito trabalho e esforço da nova equipe da Secretaria de Planejamento que tomou as rédeas do aterro de Lajedo, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente publicou a LO (Licença Operacional) do Aterro Sanitário do município. Atualmente, o aterro de Lajedo recebe 68 toneladas de lixo por dia. Hoje, Lajedo pode ser considerada uma das 14 cidades no Estado que têm essa realidade.
“Quando saí da secretaria de Obras em 2014 deixamos o aterro sanitário em perfeito estado e licenciado. Em 2016, meu amigo secretário Edcarlos deu entrada na renovação da licença que só foi possível liberar agora em junho de 2017 devido grande esforço da nova equipe formada e destinada a atender os requisitos exigidos pela CPRH. Na verdade, passamos à condição de aterro controlado há alguns meses, mas só agora saiu a licença ambiental”, contou Cícero Júnior secretário de planejamento e gestão estratégica.
Lajedo recebe resíduos sólidos de 9 cidades diariamente, entre elas: Calçado, Canhotinho, Quipapá, Jucati, Jurema, Cachoeirinha, Ibirajuba e São Bento do Una. Todo o material é recebido e manipulado corretamente de acordo com as exigências do Controle da Poluição Ambiental e de Administração de Recursos Hídricos – CPRH mediante Lei Federal que vigora desde 2010.
Destoando da maioria dos municípios vizinhos, maiores e mais desenvolvidos, Lajedo encontra-se numa posição à frente de cidades como Garanhuns e Caruaru. O secretário Cícero Júnior que tem conferido a situação do aterro de perto, informou que o empreendimento se enquadra nos tipos de transporte, tratamento e disposição de resíduos nas células de aterramento. Dispõe de uma engenheira ambiental própria, balanceiro, agentes ambientais, entre outros.
Dentre as exigências cumpridas estão a implantação em abril deste ano de 4 poços de monitoramento de águas subterrâneas, além da estação de tratamento do chorume,  rede de drenos de gás, cobertura satisfatória, plantação da vegetação e ausência de catadores.
O lixo orgânico em um Aterro requer muitos cuidados como evitar riscos à saúde pública e à segurança, bem como minimizar os impactos ambientais. Tais pontos podem assegurar o Aterro de Lajedo ambientalmente adequado com a condição: "se os municípios que despejam os resíduos distribuírem adequadamente os rejeitos sem deixar de observar normas operacionais específicas", frisou Letícia Cavalcante engenheira ambiental de Lajedo.

Dessa maneira, Lajedo é um dos municípios quites com o Ministério do Meio Ambiente e a Secretaria de Meio Ambiente de Pernambuco, oficialmente, incluindo independência e apropriação do sistema de drenagem de águas pluviais mantendo-se  em perfeito estado de limpeza geral e adequação. Tudo isso só foi possível por causa do empenho do prefeito Rossine Blésmany em investir e cobrar da equipe responsável. (Da Assessoria de Imprensa).

Nenhum comentário:

Postar um comentário