Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

segunda-feira, 3 de abril de 2017

PARA QUEM FOI RUIM A PESQUISA FEITA EM PERNAMBUCO?

Armando e Mendonça saíram na frente

Na opinião do cientista político Adriano Oliveira, a pesquisa do Instituto Maurício de Nassau,  que mostra Armando Monteiro com 22% como pré-candidato ao Governo do Estado, “não foi boa para ele”.

O raciocínio de Adriano é que se o petebista foi candidato em 2014, deveria estar com um “recall” maior, pois já tem o nome conhecido do eleitorado pernambucano.

Tenho minhas dúvidas se o cientista político está com a razão.

Isso porque Paulo Câmara, com muito mais “recall”, com o governo nas mãos, fazendo propaganda diariamente no rádio e televisão, tem apenas 6%.

É menos do que ele tinha quando era um mero desconhecido, na eleição passada,  e não saia dos 8%, apesar do apoio de Eduardo Campos, que o lançou na política.

Tudo indica que teria ficado patinando até o dia da eleição caso o jato não tivesse caído e causado a morte do neto de Arraes e então o maios líder político do Estado.

Foi uma comoção geral, fizeram comício até no velório, a voz do morto era ouvida noite e dia nos carros de som e na propaganda eleitoral do rádio e TV, se gastou dinheiro a rodo e a candidatura de Armando, que até o acidente vinha fazendo tudo certo, entrou em parafuso.

Já no final o senador se saiu muito mal no debate da Globo (as pesquisas já indicavam sua derrota) e então Paulo Câmara se tornou proporcionalmente o candidato a governador que obteve mais votos no Brasil em 2014.

E 2018? É outra eleição, Paulo Câmara já é conhecido dos pernambucanos, que de acordo com a pesquisa do Instituto Maurício de Nassau não estão gostando dele, terá dificuldade em se explicar porque fez tão pouco e principalmente porque descumpriu tantas promessas desde que chegou ao Palácio das Princesas.

Uma vitória das oposições depende da união de Armando, Mendonça Filho, Bruno Araújo, João Lyra e outras lideranças e uma campanha bem feita por parte de quem vai encabeçar a chapa contra o atual governador.

Armando, continuo insistindo, precisa de um assessor de imprensa mais qualificado do que o da campanha passada e de uma equipe de marketing altamente profissional, para explorar no próximo ano os muitos problemas da gestão de Paulo.

Tá fácil para a oposição? De jeito nenhum. Mas os números são claros: a situação mais difícil é a do governador.

Você estar governando um Estado como Pernambuco, com a máquina na mão, um exército de prefeitos e deputados, aparecer numa pesquisa somando apenas 6% de intenção de votos é sinal de que a gestão é ruim de dar dó.

Como daqui para o próximo ano não vai dar para fazer milagre, em termos administrativos, a disputa será decidida no discurso político. E aí, se a oposição perder, num quadro desses, estará passando um atestado de muita incompetência.


Mas o jogo nem começou ainda de verdade...

2 comentários:

  1. QUANDO EU DIGO QUE O PANGARÉ ARMANDO MONTEIRO VAI SER UM VERDADEIRO CAVALO PARAGUAIO ESTOU ACERTANDO NA MOSCA. POIS O PESTE É TÃO RUIM DE URNA QUE UM "RIBUTAIO" DE GOVERNADOR QUE NÓS TEMOS, ESSA FRENTE AINDA É INSIGNIFICANTE PARA QUEM VAI TER A MÁQUINA A SEU FAVOR COMO VAI SER O CHEFÃO DA INSEGURANÇA DO ESTADO.

    P.S.: - Se MENDONCINHA da direitona safada e BRUNINHO do partido do Aécio cheirador saírem candidatos a senadores na chapa de Dr. Armando, talvez eles façam aquilo que o homem do pênis pequeno costuma fazer: Não satisfaz a mulher, mas faz uma cosquinha...

    ResponderExcluir
  2. Armando vem sendo pessimamente assessorado. É impressionante como ele praticamente desapareceu do cenário político estadual, mesmo em meio ao genocídio da maior taxa de homicídios do país, assaltos diários a ônibus, capital cercada por mercenários, greve branca da PM, colapso da saúde estadual. Pernambuco inteiro procurou alguém que externasse a indignação, a revolta e talvez desse um pouco de esperança em meio ao caos. Existe, hoje, um vácuo político do tamanho que só um grande líder pode preencher.

    ResponderExcluir

Bienal

Bienal