Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

sábado, 15 de outubro de 2016

OS PROFESSORES SÃO NOBRES E NÃO PRIVILEGIADOS

Ao contrário do Ministro da Educação, Mendonça Filho, eu não vejo a classe dos professores como privilegiada, no Brasil.

Tenho uma filha que precisa trabalhar nas prefeituras de Recife e Olinda, na sala de aula, para sobreviver e o dinheiro que ganha nos dois empregos não deu ainda sequer para que ela comprasse um carrinho.

Já teve problema nas cordas vocais e outras doenças, comuns a quem exerce a atividade em sala de aula.

Tenho amigos (a) que trabalham os três expedientes para manter um padrão mínimo de vida.

Os professores, hoje, trabalham com classes com grande número de alunos, muitos não querem aprender nada e alguns são agressivos com quem deviam prezar e respeitar.

Na Alemanha e outros países da Europa o salário de um professor não é tão pequeno em relação ao de médicos, juízes e engenheiros, como acontece no Brasil.

É uma profissão nobre, a de professor, mas nem todos pensam assim e a classe só costuma ser valorizada pelos políticos nos palanques.

Convivi com professores a vida toda e eles são tão importantes, que ainda lembro de quem me ensinou as primeiras letras, há mais de 50 anos e de tantos outros e outras que foram me colocando ideias e pensamentos maravilhosos na cabeça.

Lembro de Elon, no Colégio Quinze, com sua paixão pela matemática e geometria. Luzinette Laporte, no Diocesano, despertou em mim o amor pela Literatura. Irandé, no Curso de Jornalismo, na Universidade Católica, incentivou boas literaturas e com ela adquiri noções de como melhorar o texto.

Foram tantos e tantas... Em Capoeiras, Garanhuns, Recife... Cada um deles me tornou um pouco melhor, mais respeitável, um cidadão por inteiro.

Sem ser da área, fui Secretário de Educação duas vezes e aprendi muito com professoras da zona rural de Capoeiras.

O esforço delas para ensinar os meninos pobres da roça, os pedidos que faziam para melhorar as condições das escolas, as festinhas que promoviam visando deixar os pequenos felizes.

Poucas vinham pedir alguma coisa para elas mesmas. A escola, os alunos, estavam sempre em primeiro lugar.

Algumas ficaram para sempre na lembrança, como Sônia, hoje aposentada e morando em Paranatama, Edileusa, que começou comigo e foi longe, saindo do sítio para Jucati e exercendo o seu ofício ao mesmo tempo que adquiria o gosto pela leitura. 

"Nova", do Sítio Cascavel, as professoras da comunidade quilombola Imbé, as Marias, a outra Sônia, do Sítio Piado, Betânia, da Maniçoba, que depois foi embora para a região metropolitana.

Se eu puxar mesmo pela memória, vou escrever tanto que cansarei o leitor.

Mas fica dito aqui que todas (as que citei, as que não citei) foram e são especiais.

Estejam na capital, em Garanhuns ou na zona rural de algum município do Agreste. Merecem mesmo alguns privilégios, embora não os tenham, como os políticos ou integrantes do Judiciário.

Esses sim, no Brasil representam uma casta, “prendem e arrebentam”, como dizia o general João Batista Figueiredo, representante do regime militar,  que começou a aviltar mais ainda a figura do professor.

Um dia terão de ser devidamente reconhecidos. Não dá para fazer um país se desenvolver, chegar ao primeiro mundo, sem investimento em educação e cultura, que devem andar sempre juntos, como irmãs de mãos dadas.

"Férias de 45 dias, aposentadoria especial, descanso pedagógico, lanchinho e piso em torno de R$ 2 mil reais por mês". Isso que o ministro chama de privilégios.

Ora, o deputado Mendonça Filho não tem noção do que é uma sala de aula, a algazarra, os alunos rebeldes, o esforço para ensinar, a preparação de aulas, aplicar e corrigir provas, usar a voz muitas vezes o dia todo, correr de um emprego para outro, fazer malabarismos para sobreviver.

A classe dos professores é nobre. Mas não é de forma nenhuma privilegiada. 

É esforçada, sofrida, mal remunerada.

Eles, os mestres, são responsáveis pelos médicos, advogados, engenheiros, farmacêuticos, agrônomos, veterinários, psicólogos, nutricionistas, pedagogos, trabalhadores de nível superior,  nas mais diversas áreas.

Deviam receber flores, beijos, elogios, valorização profissional,  inclusive com salários diferenciados e muito, muito mais.

Mas têm de aguentar na maioria das vezes meninos e pais mal-educados, péssimas condições de trabalho, salário insuficiente para as necessidades, políticos prometendo o que não fazem e ministros acusando professores de “quebrar” o país.

Vivemos uma época de temores, de retrocesso, de atraso. Os professores, no entanto, sobreviverão, porque não se pode passar sem eles, porque eles são eternos.


Feliz Dia do Professor!

7 comentários:

  1. José Fernandes Costa15 de outubro de 2016 22:03

    Abstenho-me de escrever aqui o nome desse ministro casca-grossa! - Registro alguns NOMES que me chegam à memória. - Pré-primário: Quitéria; Grupo Escolar: Alzira, Clotilde etc.; ginasial: Roldão de Siqueira Fontes, Dom Agostinho Ikas, José Santa Cruz Neves, Osvaldo Martins Furtado de Souza etc.; científico: Adauto Pontes etc.; UFPE: Helena Caúla Reis, Petronilo Santa Cruz Oliveira, Mário Neves Batista, Lourival Vilanova etc.; Fafire: Norma Godoy, Cláudia etc. – A quem rendo sinceras e eternas homenagens. /.

    ResponderExcluir
  2. ESTE BLOG DO ROBERTO ALMEIDA E O BLOB 247BRASIL, MANTÉM SIM TODOS NÓS ATUALIZADOS E INFORMADOS DOS FATOS E FENÔMENOS QUE OCORREM ENTRE NÓS.TODOS NÓS TEMOS O DIREITO E A LIBERDADE DE EXPOR AS NOSSAS IDEIAS E ASSIM PODERMOS INTERAGIR DANDO AS NOSSAS OPINIÕES CONTRA OU A FAVOR.

    CONCORDAR OU DISCORDAR FAZ PARTE DO PROCESSO DEMOCRÁTICO DE DIREITO.E ATRAVÉS DESSE BLOG PODEMOS TOMAR CONHECIMENTO DO FATOS E ASSIM DIVERGIR E NÃO FICAR APENAS ENGOLINDO O QUE AS TV FALAM E ESCREVEM OU ALGUNS MEIOS DE COMUNICAÇÕES QUE DISTORCEM AS NOTÍCIAS.

    NOS 80 E 90 EU ESTUDEI NAS UNIVERSIDADES CATÓLICA DE PERNAMBUCO E NA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO E CHEGAVA CEDINHO ANTES DAS AULAS COMEÇAREM SOMENTE PARA LER AS NOTÍCIAS DOS JORNAIS DO COMMERCIO E DIÁRIO DE PERNAMBUCO EM RECIFE.

    HOJE,GRAÇAS A FHC QUE PRIVATIZOU AS TELECOMUNICAÇÕES E QUE EU VOTEI NELE POR 2 VEZES E GRAÇA AO LULA E A DILMA QUE EU VOTEI 4 VEZES POSSIBILITARAM MUITO MAIS OS ACESSOS AS REDES SOCIAIS, OS NOSSOS FILHOS ESTÃO LENDO E SE COMUNICANDO MUITO MAIS.

    ESTA SEMANA MINHA ESPOSA ME CHAMOU A RESPONSABILIDADE PORQUE EU ESCREVI ALGO SOBRE A POLÍTICA DE LAGOA DO OURO E CITEI ALGUNS NOMES E ELA ACHOU QUE EU NÃO DEVERIA ESCREVER MAIS NO FACEBOOK .

    EU LHE DISSE,MULHER VOCÊ NUNCA LEU NADA,NÃO ESTÁ AINDA INTERAGIDA E NÃO SABE DE NADA.A INTERNET É PARA ISTO MESMO E QUE CADA UM QUE SE SINTA OFENDIDO QUE USE O MESMO ESPAÇO PARA SE DEFENDER.

    ESTE É UM ESPAÇO DEMOCRÁTICO E QUE NÓS NÃO TÍNHAMOS NO PASSADO RECENTE. PARABÉNS,ROBERTO ALMEIDA E 247BRASIL QUE CONTINUE NOS INFORMANDO DOS FATOS E FENÔMENOS QUE OCORREM ENTRE NÓS .

    PROFESSOR ZECA BARBOSA - QUÍMICA E MATEMÁTICA- LAGOA DO OURO-PE.

    ResponderExcluir
  3. AMIGOS E AMIGAS, PROFESSORES (as!

    Pense numa frase tão bem escrita esta "FELIZ AQUELE QUE TRANSFERE O QUE SABE,E APRENDE O QUE ENSINA".

    A leitura é muito importante na vida de todas as pessoas.Ler algo na vida é muito importante.O conhecimento não se compra nas farmácias,nas padarias,nas esquinas da vida e sim, nas ESCOLAS da Vida e nas Vidas nas Escolas.

    Essa frase foi tantas vezes pronunciadas pelo meu ex-professor da Universidade Católica de Pernambuco,João Coelho.

    As aulas que recebi dos meus ex-professores do Colégio Diocesana de Garanhuns, Maria José Ferreira de Português,Carlos de Química,Evandro Lustosa de Matemática,Álvaro de Física e do Padre Aldemar da Mota Valença de Civismo e de tantas glórias jamais serão apagadas da nossa memória.

    E aquelas Professoras que ainda estão vivas graças a Deus, Vilma Maria Monteiro e Maria de Lourdes Monteiro, as quais,nos ensinaram português e matemática no admissão,que saudades!

    Daí a importância da EDUCAÇÃO na vida dos jovens.Defender a EDUCAÇÃO com inclusão social é uma tarefa de todos nós.Levamos mais de 100 anos para poder assistir milhares de jovens ascendendo a uma UNIVERSIDADE para todos quando era antes de 2002 um privilégio de poucos.

    Parabéns,LULA E DILMA, vocês proporcionaram aos nossos filhos o acesso aos BANCOS ACADÊMICOS, a casa é o lar do milhares de jovens pobre do Brasil.

    O Lula não foi PROFESSOR, mas foi de todos os ex-presidente do Brasil o que teve a coragem de SANCIONAR O PISO NACIONAL DE SALÁRIO DO MAGISTÉRO,o que José Jorge de Vasconcelos como RELATOR DO FUNDEF E FUNDEB não teve a coragem de criar o PISO como relator.

    Eu fui relator da Lei Orgânica Municipal de Lagoa do Ouro em 1990 e garanti na Lei todos os direitos sociais a todos os Servidores Municipais e aos Professores quando naquela época ganhavam menos da metade do um salário mínimo.

    O meu primeiro Professor do ABC,JOSÉ JOAQUIM DA SILVA,morreu em 1998 sem ter o prazer de ganhar o primeiro salário do FUNDEF de R$ 210,00 quando antes ele e elas ganharam apenas mensalmente R$ 48,00.

    ResponderExcluir
  4. O professor deve ser valorizado , mais não idolatrado e no brasil o problena Não é tão fácil imaginem se um professor ganhasem ingual ao medico quanto seria as mensalidades nas escolas que nos pais ja si esforçamos para pagar.com todo respeito a eles professor não ganha mal não aqui em minha cidade todos eles estão de carros novos e casas boas e nessa crise quem mais trocou de carro foi eles , e o professor é uma profissão importante iqual a muitas outras ex.o agricultor ,o motorista, todos eles tem sua impotancia agora esse papo de professor ser coitadinho e merece ser idolatrado e comparado com um medico é miita impocresia olhe os gastos pra si forma um professor e um medico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AS PROFESSORINHAS BRASILEIRA SOFRERAM TANTO,que tudo o que nós fizermos para valorizá-las ainda é pouco!

      Excluir
    2. O professor tem de ser valorizado. - E a educação precisa ser pública e de qualidade. - Assim é nos países civilizados. - NÃO tem essa de "como pagar mensalidades nas escolas..." etc. - Eu estudei em escola pública, com exceção do curso científico, porque eu podia pagar as mensalidades!! - Já os meus filhos precisaram estudar em escolas privadas e caríssimas!! - Porque as escolas públicas foram de água abaixo. - Contudo, meus filhos fizeram curso superior na UPE e UFPE!! - Por opção deles e porque eu já não podia arcar com as faculdades privadas!! /.


      Excluir
  5. Toda profissão tem seu valor ,e os professores tem o seu valor e sua importância mais que existe uma idolatria que querem fazer existe e que São coitadinhos , e essa historia de que todo mundo passou pelo im professor pra crescer na vida profissional é verdade mais eles não estão nas escolas de graça Não.

    ResponderExcluir