Natal de Garanhuns

Natal de Garanhuns
A Magia do Natal

Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

quinta-feira, 28 de julho de 2016

DEMOCRATAS AMERICANOS VEEM ILEGALIDADE NO PROCESSO DE IMPEACHMENT DA PRESIDENTE DILMA

Um grupo de 40 congressistas democratas enviou uma carta ao secretário de Estado americano, John Kerry (foto), pedindo que o mesmo evite dar demonstrações de "apoio" a um impeachment de Dilma Rousseff.
"Solicitamos que exerça a máxima precaução em seu tratamento com as autoridades interinas e que evite declarações ou atos que possam ser interpretados como um apoio à campanha de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff".
"Nosso governo deveria expressar uma forte preocupação sobre as circunstâncias que cercam o processo de impeachment e promover a defesa da democracia constitucional e do Estado de Direito no Brasil", acrescenta a carta.
Dilma foi afastada por 180 dias em maio e é alvo de julgamento de impeachment pelo Senado, após ser acusada de aprovar gastos sem autorização do Congresso nas chamadas "pedaladas fiscais". O suposto crime de responsabilidade pode custar a ela o afastamento definitivo da Presidência.
Os congressistas americanos destacam que "este não é um julgamento legal, e sim político, e que um Senado marcado pela corrupção pode acabar com a presidência de Rousseff".
A carta destaca que Dilma "jamais foi acusada de corrupção e que o processo de impeachment não está baseado em suspeitas de corrupção".
A dez dias do início dos Jogos Olímpicos do Rio, "este é um momento-chave no qual os gestos diplomáticos e as declarações dos Estados Unidos terão verdadeiras consequências para o Brasil, seu futuro como democracia, e para o mundo", destaca uma das signatárias, a congressista Keith Ellison.
"Nos preocupa que (...) nosso governo tenha enviado sinais que possam ser interpretados como um apoio ao impeachment" e que o departamento de Estado "tenha se limitado a expressar confiança no processo democrático no Brasil", conclui o texto.

Esta é a primeira carta do Congresso dos Estados Unidos "que expressa preocupação com a democracia no Brasil em mais de duas décadas", assinala o departamento de Estado. (Fonte: Agência AFP).

4 comentários:

  1. O partido que colocou na presidência do país mais poderoso do planeta, Barak Obama "um imigrante ilegal com documentos falsificados que se nega a mostrar sua certidão de nascimento americana em público, pois ela simplesmente não existe", falar em legalidade??? KKKKKKKKKKKKKKKK

    Como diria o famoso senador da república... É a prostituta pregando a castidade!

    ResponderExcluir
  2. Um vice presidente passa 13 anos usufruindo dos bônus do governo e com apoio do governo Lula e Dilma elege os presidentes do senado e câmara federal com o vice presidente fora os 7 ministérios e mais de 1.000 cargos de confiança e faltando apenas uma semana essa figura traidora e golpista toma o poder de assalto e hoje faz uma verdadeira retaliação do governo do PT colocando os petistas no mundo da amargura tem que ser chamado mesmo de falso e traidor,golpista e usurpador.

    ResponderExcluir
  3. Por que esses americanos não levam Dioma pra lá?. Podem ficar com a Anta dos Pampas, ninguém quer essa murrinha mesmo.

    ResponderExcluir
  4. A maior contradição política que vi o vice-presidente e o Ministro Henrique Meirelles cometerem foi em anunciar que o Brasil quebrou com um rombo de R$ 170 bilhões e na outra semana vi pela televisão ele aplaudir antecipadamente o aumento dos futuros deputados federais e senadores para R$ 39.293,00.Fora é claro aumento de 41% aos servidores da justiça quando temos tantos servidores sem aumento já faz muito tempo.Mas o Brasil não estava quebrado? E por que tem dinheiro para dar aumentos e mais aumentos? Isto se chama hipocrisia!

    ResponderExcluir