SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO

CAETÉS FAZ RECADASTRAMENTO DOS SERVIDORES

A Prefeitura de Caetés está fazendo o recadastramento de todos os servidores públicos do Município. A recontagem será completa: o levantamento inclui funcionários efetivos, aposentados e pensionistas. Quem trabalha na Prefeitura deve procurar a Secretaria de Administração, pegar o Formulário de Recadastramento e a relação de documentos exigidos. Depois de preenchida a papelada,  esta deve ser entregue no posto montado no prédio da Câmara Municipal. Começou nesta sexta e vai até o dia 25, por ordem alfabética. Assim, primeiro serão atendidas as pessoas com nomes iniciados da A a E, depois de F, até chegar aos de iniciais N/Z. O último dia será para os que perderam os prazos. Quem não se recadastrar vira fantasma e fica sem receber.

9 comentários:

  1. A prefeitura pagou os direitos trabalhistas, aos que mandaram embora por conta de jogo politico? Ou seja não importa se é profissional, mas votou contra. Seria bom todos esses buscarem seus direitos em um fórum do trabalho, porque tudo ocorria de modo irregular, então nada mais que justo que se paguem os direitos para quem tem os mesmos. Na época do prefeito SEVERINO GERINO, Depois que o falecido ZECA achou que não precisava dos serviços da turma da época, nos dispensaram sem motivos maiores, nem por questão de voto, porque não era época de campanha politica. Então na mesma época o Sr. LUIZ ARNALDO, advogado da prefeitura nos orientou que entrássemos com ação contra a mesma, a ganhamos nossos direitos. Que se faça todos os cadastros e encontrem seus funcionários (as) fantasmas. Que também se faça justo para com aqueles, que tem direito de receber seus direitos, uma vez em que as coisas funcionavam de modo irregular.

    Falo isso em nome do POVO de CAETÉS - PE.

    Atenciosamente,

    S.S.S

    ResponderExcluir
  2. Quem mandou os CONTRATADOS embora não foi a atual gestão, e sim o próprio contrato, que findou junto com a outra administração. Será que a culpa do Zé não fazer concurso por mais de 20 anos, mantendo assim muitos contratados "no cabresto" é de Armando? RECONHEÇAM OS SEU ERROS!

    ResponderExcluir
  3. Fui eleitora de Armando. Torci e torço pela mudança em Caetés. É e sempre foi necessário que nossa cidade fosse bem administrada. Zé da Luz foi um bom governante, mas há anos esqueceu da cidade e voltou os olhos para Garanhuns. Caetés então ficou abandonada. Armando mereceu ganhar. Mas venho aqui fazer uma reclamação séria e urgente à vc Armando. Como é que vc quer o melhor pra Caetés colocando JAJÁ DE JURANDIR para ser motorista dos estudantes para Garanhuns? Vc só pode está ficando louco. Não se perca em seu governo. Vc tem que rever isso urgente. Tantos bons motoristas que votaram em vc e merecem um emprego e vc dar uma responsabilidade de cuidar de vidas ao volante a uma pessoa sem responsabilidade. Armando mude enquanto é tempo para que seu governo não comece com ATROCIDADES ABSURDAS feito essa. Maria Amália Caetés/PE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como exemplo de novos motoristas na prefeitura, peguem como um ótimo exemplo, um deles que atende por nome de BAGAÇEIRA. Onde o mesmo trabalha trajando bermuda e chinelos. Até onde sabemos é proibido dirigir de chinelos, quero neste instante parabenizar a péssima quilificação como gestor de uma cidade em, suas escolhas. Ele não escolhe pela capacidade profissional, e sim pessoal depois dos votos recebidos e tb comprados.

      POVO DE CAETÉS - PE.

      Excluir
  4. Em relação aos contradados da gestão anterior é bom esclarecer que quando assina-se um contrato ele tem um prazo de no máximo 01 (hum) ano e pode ser rescindido a qualquer tempo. Vale salientar que o ex-prefeito, Aercio Laranja, deixou uma Portaria assinada rescindindo todos os contratos e gratificações dos servidores em questão. Procurem saber das coisas antes de criticarem. O Prefeito ARMANDO DUARTE DE ALMEIDA, está fazendo Jus ao cargo que lhe foi confiado. Parabéns Armando, pelo ótimo desempenho apresentado durante os dias que está a frente da administração municipal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja quem for que esteja a frente da prefeitura, e seus contratos irregulares, que o Sr. Responsável pela prefeitura tem que enter que a mesma tem CNPJ cada pessoa dispensada tem que ser notificada e assinar a rescisão de seu contrato, e não através de recadinhos de subordinados.

      Que o POVO lutem por seus direitos e que todos saibam que tem um período de ATÉ 2 anos para entrar na justiça com intuito de buscar seus direitos.

      Em nome do POVO de Caetés - PE.

      Excluir
  5. É verdade que Armando está tentando acertar, mas tá amarrado no contador. Depois alguns contratados são de fora sem necessidade. É melhor ter 3 ou 4 funcionários de uma mesma família sendo de Caetés do que trazer de fora. Ainda falta melhorias na secretaria de obras, na saúde só foi comprado o extremamente necessário e não percebemos os secretários com autonomia nenhuma nem sua própria filha Soraia. Tem muitas coisas a melhorar e estou torcendo pra que isso aconteça logo. Logo mesmo.

    J.F.S.F.

    ResponderExcluir
  6. Eu falo de situação em que os funcionários (as) de qualquer natureza, onde prestaram seus serviços a PREFEITURA. E não de modo particular, aos Srs. Zé da Luz, Aécio e Armando. Quando falo busquem seus direitos falo com relação a PREFEITURA. E claro se existia, existiu ou existe algo errado, porque não cobrar? Estes devem ser tratados por igual, e não por diferença de votos. Porque se assume uma prefeitura para trabalhar pela cidade, e não para sua bancada de eleitores, seja qual for o prefeito.

    Falo em nome do povo de CAETÉS - PE busquem seus direitos, porque muitos sabem que os contratos eram de forma irregulares, principalmente quando se tratava de receber o pagamento.

    ResponderExcluir
  7. A despeito de os contratados da gestão passada serem eleitoresde A ou B, não houve demissão uma vez que os contratos de trabalho tinham prazo determinado para acabar, pois sua validade era até 31 de dezembro de 2012, não havendo portanto contratados a partir de 1º de janeiro de 2013.

    ResponderExcluir