SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

sábado, 20 de agosto de 2011

PREÇO DO GÁS DE COZINHA PODE PIPOCAR

O preço do gás de cozinha no Brasil pode subir ainda mais. Em carta enviada ao Setor de Revenda do GLP, Agência Nacional do Petróleo, Ministério das Minas e Energia, Deputados, Senadores e a Imprensa, o presidente da Associação Brasileiras de Revendedores de Gás, Alexandre Borjaili (foto), adverte para o que está acontecendo. O empresário denuncia a existência de um cartel, aponta a omissão do Governo e enfatiza que o direito do consumidor vem sendo constantemente desrespeitado. Eis a carta recebida por este blog:

“Algumas Companhias Distribuidoras já enviaram ofício a nossa rede de revendedores sobre o novo aumento do gás de cozinha previsto para 01 de setembro, variando de R$ 1,00 a R$ 2,50.

A historia é a mesma, temos liberdade de aumentos de preços, há um acordo coletivo de funcionários, enfim, o gás não sobe na Petrobras, o uso do subsidio do Governo Federal é algo inexplicável e a população brasileira que pague por esta conta...

O que mais no chama a atenção é a omissão de nossas autoridades, enquanto é interessante para as Companhias Distribuidoras elas colocam o preço do gás de cozinha em um preço aceitável, exemplo disso ocorre no Estado do Rio de Janeiro onde encontramos o gás de cozinha sendo vendido nas portarias de nossas revendas a R$ 29,90, em função de uma disputa de mercado de uma das cinco Companhias Distribuidoras.

Fica difícil explicar do porque uma Companhia Distribuidora comercializa o gás de cozinha a um preço de até R$ 22,00 para algumas de nossas revendas e para os demais em todo território nacional chegam a pagar valores acima de R$ 37,00, buscando assim elevar a conta ao consumidor para a casa dos R$ 50,00.

O Direito do consumidor brasileiro quando falamos em gás de cozinha, produto base para sua alimentação e que afeta diretamente milhões de brasileiros em especial de baixa renda é totalmente ignorado e lamentavelmente a população brasileira não tem a quem recorrer, evidencia desta afirmação é o abuso de termos o preço do gás de cozinha próximo dos R$ 50,00 em grande parte do Brasil.

O setor do gás de cozinha precisa ser revisto, já passamos dos limites da razoabilidade, pequenas Companhias Distribuidoras que buscaram dar um basta a este sistema cuja bandeira estampa a marca do maior cartel já visto na historia do Brasil, não podem ser fechadas ou anuladas como temos visto, falamos de ilegalidade, damos ênfase em manchetes colocando na vitrine os pequenos e micros empresários, mas ignoramos os atos ilegais destas cinco Companhias que brincam com as Leis e autoridades brasileiras, colocando nossa população sem opção para compra do gás de cozinha e atuando irresponsavelmente colocando em risco nossos lares num total desrespeito ao Código de Defesa do Consumidor.”

Cordialmente,

Alexandre Borjaili
Presidente da Associação Brasileira dos Revendedores de GLP, ASMIRG-BR

5 comentários:

  1. Jefferson de Freitas20 de agosto de 2011 07:56

    O GLP é o bagaço do bagaço do bagaço do petróleo bruto. Em vários países do mundo ele é queimado aleatoriamente ou distribuído gratuitamente para quem quiser. Ele só é pago quando encanado nas residências. Mesmo assim, a preços insignificantes. Já no Brasil...........

    ResponderExcluir
  2. Nós aqui, do Brasil, temos dinheiro a fole e ganhamos sem trabalhar. Eu mesmo não dou um prego numa barra de sabão, mesmo assim, todo mês, através do bolsa Lula eu boto no pé do cipa 72 reais. Já é o dinheiro do gás...
    Ih!Ih!Ih!Ih!Ih!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Este é o país da algazarra, mesmo! Estamos entregue as traças, que pena!

    ResponderExcluir
  4. Roberto, aqui na Argentina o gás de cozinha, a energia e o transporte coletivo é subsidiado pelo governo. Aqui pagamos o gás de cozinha bimestralmente, no meu apartamento sai em torno de R$: 30,00 reais, esse mesmo gás que gastamos aqui por mês no Brasil pagaríamos em média R$: 200,00! Aqui utilizamos gás de cozinha para tudo, para cozinhar, para o aquecimento da água, todas as torneiras aqui tem a opção frio e quente.
    A passagem de ónibus aqui custa cerca de R$: 0,50 centavos, no Brasil essa mesma passagem custa muito mais caro.
    Sinceramente, não entendo como o Brasil, um país mais desenvolvido que a Argentina, as coisas ainda são tão caras e ainda querem deixar pior!

    Joana

    ResponderExcluir
  5. O BRASIL TÁ SEM DONO. DESCULPE, O DONO DELE É ESSA MÁFIA DO PT. SE O FHC JÁ ERA PÉSSIMO, O QUE PENSAR DESSES SINDICALISTAS BARBUDOS. HÁ 11 ANOS QUE ESTAMOS A DERIVA.

    ResponderExcluir