quarta-feira, 31 de março de 2010

DILMA, MARINA E SERRA NO DIA D


Hoje foi um dia particularmente significativo na vida de três pré-candidatos à presidência da República. Dilma Roussef, do PT, se despediu do Ministério da Casa Civil. Fez um discurso marcado pela emoção, elogiou a gestão de Luiz Inácio Lula da Silva e defendeu a continuidade das ações do governo. Essa continuidade é ela mesma, que espera a partir de 2011 sentar na cadeira hoje ocupada pelo garanhuense de Caetés.

Marina Silva, do PV, esteve nesta quarta-feira em Garanhuns. Plantou uma das 110 mudas simbolizando os anos de existência do Colégio Evangélico XV de Novembro e para surpresa de alguns se emocionou. Explicou que viveu 30 anos no PT, esteve na luta com Lula muitos anos e por isso ao visitar pela primeira vez sua cidade natal não conseguia controlar os sentimentos.


José Serra, governador de São Paulo, fez a sua despedida do cargo. No seu discurso, deixou a generosidade da semana passada, quando chegou a elogiar o atual presidente do Brasil e jogou farpas pra todo lado. Atacou Lula, Dilma e o Partido dos Trabalhadores.


"Repudiamos sempre a espetacularização, a busca pela notícia fácil, o protagonismo sem substância”, afirmou Serra no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. "Este governo não cedeu à demagogia. (...) Nunca incentivamos o silêncio nem a conivência com o mal feito”, afirmou. “Já fui governo e já fui oposição, mas de um lado ou de outro, nunca me dei à frivolidade das bravatas”, declarou Serra, que deve entregar sua carta de renúncia à Assembleia Legislativa até sexta-feira.


Em meio à greve dos professores do Estado de São Paulo, considerada por ele partidária, Serra repetiu que faz administração republicana e independente de partidarismos e que refuta aqueles que fazem política com "falanges do ódio". A presidente do sindicato da categoria é filiada ao PT.

Nenhum comentário:

Postar um comentário