SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

ALEPE

ALEPE
ALEPE

sábado, 20 de março de 2010

GARANHUNS E A FALTA DE INDÚSTRIAS


Diante da ampliação de investimentos no Interior, o deputado Izaías Régis (PTB), fez um apelo ao governador do Estado, Eduardo Campos, para que sejam levados novos aportes também para Garanhuns. O parlamentar enalteceu a política de incentivos fiscais adotada pela administração estadual, cuja prática tem estimulado a instalação de diversas indústrias fora da Região Metropolitana do Recife (RMR). O petebista solicitou ainda o apoio do secretário de Desenvolvimento Econômico, Fernando Bezerra Coelho, para a questão. Segundo Izaías, “Garanhuns está preparado para receber empreendimentos de grande porte”.

“Assim como em Palmares, onde foi lançada nova unidade industrial, nossa cidade tem condições de oferecer a infraestrutura adequada, pois contabiliza grande oferta de mão de obra qualificada. Sem dúvida, estamos aptos a acomodar um distrito industrial”, sentenciou.


Interessante é que Izaías Régis está no segundo mandato no Legislativo Estadual, Armando Monteiro é deputado federal e presidente da poderosa Confederação Nacional da Indústria, mas os dois nunca conseguiram viabilizar nem uma pequena fabriqueta para o município. Temos aí os centros de saúde, que em troca de votos ou não prestam um serviço importante à população. A Escola Técnica do Senai, que foi um empreendimento importante e outras iniciativas - como a Escola de Música, a Rádio Escola, o Femuarte, o Festival da Jovem Guarda - foram por água abaixo.
Muitos políticos acenaram muitas vezes com a criação de empregos em Garanhuns. Depois chegaram à conclusão que o município não tem vocação industrial. Agora o Izaías pede ao governador uma redefinição do Distrito de Indústrias da cidade, voltando a acreditar que podemos atrair alguma coisa na área de emprego e renda.
Eu não entendo muito de economia, mas acho que esse negócio de que não temos vocação industrial é uma besteira. Caruaru, quando a gente era menino não tinha vocação e por que hoje tem? E Vitória de Santo Antão, Santa Cruz do Capibaribe, Toritama, até Bom Conselho...(não estou desmerecendo a Terra de Papacaça).
Acho que vocação é mais para pessoas. E se os municípios têm agentes públicos vocacionados para promover o seu desenvolvimento, as potencialidades vão aparecer. Foi o caso de Petrolina. Será que aquela cidade chegaria ao estágio atual sem a garra e luta do clã dos Coelho?
Gosto de festa e de festival. Considero, porém, que somente com isso vamos continuar formando administradores, advogados, agrônomos, veterinários, psicólogos, professores, técnicos e outros profissionais para buscarem um emprego fora de Garanhuns.


Nenhum comentário:

Postar um comentário