Governo de Pernambuco

Governo de Pernambuco
Governo de Pernambuco

JORNALISTA RECONHECE ERRO NO IMPEACHMENT E DEFENDE ANULAÇÃO DO PROCESSO CONTRA LULA

 

Em entrevista ao jornalista Breno Altman, no programa 20 Minutos, no site Ópera Mundi, o também jornalista Reinaldo Azevedo fez autocrítica e reconheceu que o impeachment da presidente Dilma Rousseff foi um erro.

Mesmo admitindo ser de direita e de ter sido um crítico implacável do PT, Reinaldo admitiu que o ex-juiz Sérgio Moro, em conluio com procuradores da República condenou o ex-presidente Lula sem provas, cometeu todo tipo de arbitrariedades e contribuiu para levar o Brasil ao caos atual.

Jornalista se define como liberal, mas considera que o atual presidente, Jair Bolsonaro, não representa essa corrente de pensamento político e econômico. Para ele, o atual dirigente do país é um “fascistóide”

"Com dados da época, não consegui ser contra, mas se hoje você me pergunta se foi um erro, digo que foi", disse Reinaldo Azevedo na entrevista e completou: “A posterior é fácil ver o ovo da serpente. Naquela época a gente tinha como referência o impeachment do Collor, que foi bom pro país”.

Azevedo avalia o impeachment como sendo consequência do poder e autonomia que obteve a Polícia Federal com a Operação Lava-Jato, “uma entidade disposta a governar a sociedade,  que atuava o tempo todo para desestabilizar o governo contando, ainda, com o apoio do Poder Judiciário e o enfraquecimento político da então mandatária”, ressaltou.

Para Reinaldo, o PT foi perseguido porque era o eixo que estava no poder, mas a Lava-Jato na verdade é uma ação muito mais nefasta, é uma ação contra a política. “É o partido da polícia, que não foi votado por ninguém e segue sua agenda. Isso nos levou a Bolsonaro, porque levou à destruição do ambiente político. Acho que todos nós, independentemente de vieses ideológicos, tínhamos que ter repudiado isso como princípio”, defendeu.

MORO

Para o jornalista, a simpatia que o sistema judiciário, incluindo o Supremo Tribunal Federal, tinha em relação à Operação Lava-Jato foi crucial para a perseguição ao PT e, finalmente, para a prisão e interdição de Lula.

“Era um Supremo com ministros majoritariamente indicados pelo PT e até eles eram favoráveis à operação quando ainda não se conheciam os detalhes”, afirmou. Segundo ele, a atuação do juiz Sérgio Moro contribuiu para que a Lava-Jato ganhasse essa simpatia, principalmente quando o então magistrado vazou a chamada telefônica de Dilma.

“Ele manipulou aquilo. Não a gravação, mas divulgou uma conversa selecionada, que estava num conjunto de outras conversas, que acabou distorcendo o sentido do que foi dito. Ainda que não tenha sido usado como prova, dava a entender que a nomeação de Lula como ministro tinha o objetivo de livrá-lo de alguma ação da Polícia Federal. Então acho compreensível a posição de Gilmar Mendes [que colheu petição impedindo a posse do ex-presidente como chefe da Casa Civil]”, explicou.

A prisão de Lula, portanto, para ele, era claramente política. “Fui o primeiro a ler a sentença do Sérgio Moro contra o Lula e ver que não tinha provas ali. Eu poderia ter ficado quieto, mas as coisas estavam seguindo um curso muito grave e precisavam ser corrigidas”.

ANULAÇÃO

Neste momento, Reinaldo Azevedo avalia que a interdição eleitoral do ex-presidente compromete a democracia brasileira. Na entrevista, defendeu que a condenação deveria ser anulada e o processo deveria retornar ao Ministério Público que, então, poderia decidir por recomeçar ou não as investigações.

“Obviamente Moro atuou também no caso do sítio de Atibaia, além do tríplex do Guarujá. Quem o condenou foi a juíza Gabriela Hardt, mas ela copiou a sentença totalmente do Moro, se esquecendo até de trocar as palavras. É um absurdo que o TRF4 tenha endossado essa condenação. Então é claro que isso compromete a qualidade da nossa democracia”, defendeu.

BOLSONARO

Para o jornalista, todo esse cenário possibilitou a ascensão de Jair Bolsonaro, que se aproveitou das redes sociais para se fazer ouvir, apresentando soluções erradas, porém de simples compreensão, para problemas complexos. O jornalista é taxativo em sua opinião sobre o atual presidente: “acho o que ele faz abominável”.

“Achavam que por eu ser de direita apoiaria Bolsonaro, mas eu sou um liberal e liberal o Bolsonaro nunca foi. Aqueles que o apoiam dizendo ser liberais na verdade eram e se revelaram reacionários. Já deixei muito claro que nunca votei, jamais votaria e não votarei em Bolsonaro, independente de quem estiver do outro lado. Acho inadmissível para qualquer um que tenha um compromisso com a democracia  e o futuro do Brasil”, declarou.

Para ele, é pior alguém que corrompe aquilo que uma pessoa pensa, do que seu adversário claro. “Com o PT eu consigo conversar, mesmo sem pensar igual. Com ele, não poderia. Foi irresponsável achar que Bolsonaro conduziria o país a algum lugar decente”.

‘Precisamos devolver o país ao devido processo legal’

Azevedo reforçou a importância de “devolver o país ao devido processo legal”, inclusive permitindo a candidatura de Lula. Ele não acredita, contudo, na possibilidade de uma aliança entre liberais e a esquerda para derrotar Bolsonaro.

SEGUNDO TURNO

Reinaldo crê que em 2022 o PT irá ao segundo turno contra Jair Bolsonaro, “porque o presidente tem uma aprovação de 20% que não vai abaixar, e não vejo no centro-direita uma liderança que possa disputar a eleição com ele”, argumentou.

Essa previsão, segundo ele, vem dos bons resultados do PT na eleição de 2018. No entanto, ele não acredita que Lula seja o candidato ideal para fazer frente a Bolsonaro.

“Acho que Lula deveria ser um grande eleitor, como foi em 2018, preso. Livre, mais ainda. Generosamente permitindo a renovação, facilitando o trânsito nas esferas da elite política sem que ele perca voz junto à população. Acho que é hora de passar adiante essa tarefa, seja com Haddad ou outro qualquer”, disse.

*Fonte: Ópera Mundi. 

3 comentários:

  1. Serra e Chuchu, perderam relevância e agora ele só quer se pregar num testículo petista de qualquer jeito KKKKKKKK

    ResponderExcluir
  2. Até que enfim a putada petralha fez as pazes com o melhor jornalista do país. Goste-se ou não dele, Reinaldo Azevedo se destaca entre os 10 melhores jornalistas brasileiros dos últimos 100 anos.


    P.S1.: - O PT sempre teve ódio mortal e sempre foi inimigo figadal desse ótimo jornalista. Hoje, estão dando beijo na boca de cair de costa... QUEM DIRIA?!?!?!

    P.S2.: - O ódio que o bom jornalista nutre ao inabalável Sérgio Moro é em razão de ter sido divulgado uma coversa não muito católica que o jornalista teve com a irmã de Aécio Neves que, tal qual o Lula, o neto de Tancredo Neves é um picareta de marca maior. A conversa foi tão comprometedora, que Reinaldo Azevedo chegou a pedir demissão da Revista Veja e da Rádio Jovem Pan.

    ResponderExcluir
  3. 0 tenho acompanhado as verdades ditas pelo jornalista Reinaldo Azevedo.Foi verdadeiro.

    ResponderExcluir