sábado, 29 de fevereiro de 2020

CLIENTE RELATA CONSTRANGIMENTO EM LOJA DE GARANHUNS


Na tarde deste sábado, no Chocolate Sete Colinas, o principal tema das conversas foi o incidente envolvendo Vando, da Travessia Presentes, e uma cliente.

É que a garanhuense Cláudia Andrea estava na loja, da Avenida Santo Antônio, quis comprar um brinquedo para uma criança de rua, de mais ou menos 9 anos de idade e o proprietário da Travessia se recusou a vender.

Cláudia chamou a polícia e Vando teve de vender o produto. A moça então, foi às redes sociais e relatou tudo que aconteceu na loja no centro de Garanhuns
.
A repercussão foi imediata e o assunto foi parar nos blogs policiais, como o Agreste em Alerta.

Abaixo, o texto publicado por Cláudia Andrea em sua página do Facebook:

Pense na raiva que estou aqui fico indignada com atitudes que apesar de não o ser comigo me dói.  Sou mãe e mesmo que não fosse não admito certas atitudes. 

Hoje por volta das 16 horas presenciei no comércio de Garanhuns uma criança de mais ou menos uns 9 anos chorando fui saber pq ele falou chorando que o dono da Travessia presentes expulsou ele da loja pq ele foi olhar um brinquedo.

Voltei com ele até a loja fui comprar o brinquedo com meu dinheiro pra dá ao garoto e ele simplesmente me gritou dentro da loja que nao iria me vender o brinquedo pq era pra uma criança de rua.


Fui questionar, ele me mandou e minha mãe também levar a criança pra minha casa, peguei o brinquedo ele tomou da minha mão tive que falar que iria chamar a polícia.

Ele ironizou da minha cara chamei três policiais pra ele ter que vender o brinquedo comprei só pelo desaforo dele falar que não vendia nem com a polícia, aí pergunto que pais é esse?

Como podem existir pessoas assim, desumanas,  que transforma uma criança em marginal pq acho melhor a criança pedir do que roubar que sociedade e essa minha gente ?

É apenas uma criança pedindo um brinquedo,  vamos compartilhar pessoal isso não pode ficar impune.  Se fosse seu filho o que vocês fariam ?

Se fosse o meu eu sabia o que faria maldito nojento a justiça de Deus não falha.  Peço a todos que compartilhem não podemos ficar calados hoje foi um menino de rua amanhã pode ser o seu filho,  essa atitude me deixou indignada de coração partido. 

NETFLIX EXIBE ÓTIMO FILME SOBRE A DITADURA ESPANHOLA



Entrou no catálogo da Netflix, no final de fevereiro, o excelente filme espanhol A Trincheira Infinita, com direção de Jon Garano, estrelado por Antonio de La Torre.

O longa tem três horas, se passa quase o tempo todo dentro de uma casa ou num buraco, mesmo assim prende a atenção do início ao fim, sem cansar ou dar tédio.

Isso por conta da direção competente, dos bons atores e de uma história real incrível, difícil de imaginar ter acontecido.

Higinio, alfaiate de uma cidade do interior da Espanha, está casado há poucos meses com Rosa. O ano é 1936, quando eclode a guerra civil no país, colocando de um lado os democratas e comunistas e do outro os fascistas do general Franco.

Denunciado por um vizinho, Higinio chega a ser preso, mas aproveita um incidente provocado por outro prisioneiro e consegue fugir.

Volta pra casa e se esconde num buraco. Fica lá toda a guerra civil e quando esta termina, com a vitória franquista, com medo de represálias continua em seu esconderijo.

Seu cativeiro, primeiro num buraco na própria casa e depois em outro na residência do pai dura até a anistia de 1969, quando os delitos políticos são perdoados.

No total Higinio passou 33 anos confinado, sem sair às ruas, pouco participando da criação de um filho, envelhecendo sem poder ter uma vida de verdade.

Filme informa que após a anistia foram revelados muitos casos semelhantes, de pessoas que passaram 20 ou 30 anos escondidos em casa,  com medo da ditadura de Francisco Franco.

Receberam a denominação de “homens toupeira”, porque quase todos usaram buracos para se esconder.

As ditaduras provocam situações desse tipo, são um horror e mesmo assim há quem as defenda; às vezes conscientemente, outras vezes sem noção do mal que os regimes autoritários trazem.

Um grande programa para este sábado ou domingo.

BRASIL SE MOBILIZA NA DEFESA DA DEMOCRACIA



Se o presidente da República convocou o povo às ruas, dia 15 de março, contra o Congresso e o STF, a sociedade reagiu e está organizando manifestações, em defesa da democracia, nos dia 8, 14 e 18 do mesmo mês.

Isso mostra que a divisão ideológica no Brasil continua. De um lado, os que apoiam um projeto de cores fascistas, autoritário e preconceituoso, com um governo voltado para os muito ricos e que pretende "colocar o pobre em seu devido lugar".

No outro espectro político, personagens que defendem a democracia, o respeito a constituição, liberdade de imprensa e um governo que atenda as necessidades da população.

Manifestação pró-Bolsonaro visa reforçar o mito, dar-lhe mais poderes, criminalizando o Legislativo e o próprio Supremo Tribunal Federal. Ora,  sem a divisão dos três poderes e o respeito constitucional não há democracia, o Brasil corre realmente o risco de virar uma Venezuela, de dar novamente um salto no escuro, ser dominado totalmente pelas trevas.

Por isso as mulheres vão se mobilizar no seu dia, o 8 de março. Muitas entendem que o atual governo as discrimina e não as representa.

No dia 14 de março, as manifestações nas grandes capitais, principalmente no Rio de Janeiro, têm como motivação os dois anos do assassinato da vereadora Marielle Franco. Tanto tempo passado, ainda não descobriram quem foram os mandantes do crime. 

Por fim, no dia 18, a manifestação é geral, envolvendo mulheres, negros, homossexuais, trabalhadores, partidos políticos, centrais sindicais, organizações da sociedade civil. É um não ao fascismo, às agressões contra a imprensa, à tentativa de liquidar a nossa democracia, tão duramente conquistada.

A grande mídia, que colaborou para que o Brasil chegasse a este ponto, certamente não vai divulgar tanto essas manifestações. Caberá então à imprensa alternativa, aos brasileiros e brasileiras conscientes,  nas ruas, nas redes sociais, nas universidades, nos colégios, nos estádios, nas igrejas, em todos os lugares, colaborar com a mobilização não em defesa de partido A ou B, de pessoas ou líderes carismáticos, mas da democracia como valor universal.

Ditaduras são terríveis, promovem o sofrimento da maioria. Retiram o que temos de mais precioso que é a liberdade de falar, de concordar, de discordar, de se reunir, de ser sujeito da própria história.

Por isso que é importante soltar o grito, dar as mãos e dizer: "Ditadura nunca mais!".

SÉRGIO MORO É COMPARADO AO DITADOR BENITO MUSSOLINI




Esta semana o Portal UOL divulgou as duas fotos acima, mostrando uma face nada simpática do Ministro da Justiça, Sérgio Moro. Na primeira imagem, o ex-juiz de Curitiba está em cima de um tanque, no Ceará, e o jornalista Reinaldo Azevedo - aquele que criou o termo petralha - chama o auxiliar de Bolsonaro de "Mussolini de Maringá".

Implacável, ao comparar Moro ao ditador italiano, Azevedo acusou o ministro de,  na sua passagem pelo Ceará, de ter incitado "o motim criminoso dos policiais militares".

A segunda foto mostra um Sérgio Moro subserviente, obediente, passivo, curvado, completamente entregue ao poder do seu chefe, o presidente Jair Messias Bolsonaro.

PROCURADORIA DEFENDE LEGALIDADE DOS CARGOS DA PREFEITURA

A Procuradoria Jurídica da Prefeitura nos enviou, ontem à noite, nota defendendo a legalidade dos cargos de assessor especial do prefeito Izaías Régis. O entendimento do Ministério Público é os servidores estão assumindo a função de forma ilegal e recomendou a exoneração dos funcionários, que recebem salários de até pouco mais de R$ 7 mil.

Procuradoria considera tudo legal na administração municipal e vê o representante do Ministério Público interferindo de maneira grave no Poder Executivo.

Eis a nota, na íntegra:

A Prefeitura Municipal de Garanhuns, por meio de sua Procuradoria, recebe com o maior respeito a recomendação expedida pelo MPPE, através da 2º Promotoria de Defesa da Cidadania, a qual recomenda a exoneração de cargos comissionados de assessores especiais do prefeito.

Em primeiro lugar, embora ainda não oficializado ao município, a referida recomendação vai de encontro ao recentíssimo entendimento do Ministério Público do Estado de Pernambuco, o qual após remeter projeto de lei, a Assembleia do Estado de Pernambuco, criou mais de 300 (trezentos) cargos comissionados, cujo parecer favorável da própria instituição falou da necessidade de nomeação destes para os cargos que assim a Constituição Federal permite. 

Ou seja, permite na ótica do Ministério Público a criação de 300 (trezentos) cargos em sua estrutura, e não permitiria a criação de 11 (onze) cargos na administração municipal. E desta feita, tal entendimento preconiza uma grave interferência no Poder Executivo, ao passo que já condena quem recebeu de forma legal os seus vencimentos, sob o prisma único de coação e ameaça de propositura de ação civil público, e submete o seu ponto de vista, a qual estamos procurando o mesmo entendimento contra a lei caseira do órgão o qual faz parte, ou somente, como defensor da ordem legal e jurídica se manifestará contra a norma municipal; ao passo que engessa a administração municipal com recomendações e proposituras de ações inócuas para atingir a gestão pessoalmente, quando  os atos de nomeação estão albergadas pela Constituição Federal. É de bom alvitre que se esclareça que os cargos de assessores especiais não atingem nem 1% (um por cento) dos quadros existentes no arcabouço administrativo, e atendem as determinações de chefia, assessoria e direção previstas no Artigo 37 da CF de 1988.

Em segundo lugar, em nenhum momento, a Lei que criou estes cargos fala de atribuições unicamente políticas, ao contrário, questionou o douto representante ministerial, quais as atribuições destes cargos comissionados. Pelo qual, obteve a resposta que além da assessoria especial do prefeito, engloba também questões políticas, fazendo “pontes” entre a sociedade civil e o Poder Executivo, relações entre outros órgãos e demais funções delegadas, como organizações de audiências, e transmissão de outras ordens do chefe do Executivo Municipal.

Assim, reitera que nenhuma inconstitucionalidade e ilegalidade foi declarada pelo TJPE, ou quiçá pelo judiciário local em controle concentrado ou difuso, de modo que, o entendimento do representante ministerial vai de encontro a recente lei criada e manifestações do seu conselho superior e do próprio MPPE.

PREFEITA DÉBORA ALMEIDA VAI A ENCONTRO EM BRASÍLIA


A prefeita de São Bento do Una, Débora Almeida (PSB), participará de um encontro de trabalho promovido em Brasília, de 3 a 5 de março, pelo o Instituto Alziras em parceria com o ICLEI – América Latina, Instituto Alana e Fundação Bernard Van Leer
O Instituto Alziras é uma organização sem fins lucrativos com a missão de contribuir para o aumento da representação feminina na política. Seu nome é uma homenagem a Luiza Alzira Teixeira Soriano, primeira mulher a vencer uma eleição no Brasil e a primeira prefeita eleita na América Latina em 1928.
Foi a atuação política de mulheres como Alzira que, 88 anos atrás, em 24 de fevereiro de 1932, levou o presidente Getúlio Vargas a assinar o decreto que alterou o código eleitoral e autorizou o voto feminino no Brasil.
Para comemorar o voto feminino e o Dia Internacional da Mulher, em 8 de março, o Instituto Alziras e seus parceiros organizaram esse Encontro que reunirá 15 Prefeitas de todas as regiões do Brasil e abordará a participação das mulheres na política para a construção de cidades mais humanas, democráticas e sustentáveis.
Estarão presentes representantes da Embaixada da União Europeia no Brasil, Instituto Clima e Sociedade, Fundação Avina além de organizações de fomento como o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF).
As Prefeitas também farão a adesão ao Pacto Global de Prefeitas pelo Clima e Energia, maior aliança global de cidades e governos locais voluntariamente comprometidos com a luta contra as mudanças climáticas, com a redução de seus impactos inevitáveis e a facilitação do acesso à energia sustentável e acessível a todos

Programação:

Encontro: A Liderança Política Feminina na Construção de Cidades Mais Humanas, Democráticas e Sustentáveis - Dia 03 de março – das 13:30 às 16:30.

Workshop: Prefeitas Brasileiras na Vanguarda da Ação Climática - Dias 04 e 05 de março – das 09:00 às 16:30.

Serviço:
Local: Auditório - Brasília Palace Hotel – Brasília/DF
Conheça o Instituto Alziras: http://www.alziras.org.br/
Conheça resultado da Pesquisa Alziras “Perfil das prefeitas brasileiras 2017-2020”: http://www.alziras.org.br/projetos#PrefeitasBrasileiras


*Daniel Melo, da Assessoria de imprensa

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

GIVALDO CALADO ESTEVE EM TODAS NESTE CARNAVAL




Nesse Carnaval 2020, quase todos os pré-candidatos a prefeito de Garanhuns estiveram presentes ao tríduo momesco, através de seus polos, no Bairro do Magano com “Camisa Azul”; no Bairro de Heliópolis com “As Virgens”; no Parque Ruber van der Linden, com o diferencial da música romântica; no Bairro da Boa Vista com as bandas Frevart, Paty Carlos, Uscafuçu e Carla Marques, na segunda-feira, e, de novo, na Boa Vista com Wallace Santos, James Bonde, Chibakana e Legião Brasileira do Samba. 
O pré-candidato a prefeito de Garanhuns, empresário, acadêmico e homem público, Givaldo Calado de Freitas, esteve presente em todos esses festejos culturais da cidade, e deles participou com todos os presentes, ao lado de amigos e assessores, e dizendo de sua convicção de que “Em Garanhuns, tem, sim Carnaval!”
Sábado de Zé Pereira (22), à noite, o Parque Ruber van der Linden acolheu o pessoal das canções românticas, preferências ao samba, ao frevo, ao Jazz e ao Blues. Sucesso esperado, durante todo o tríduo do sábado até terça-feira das 10 às 20 horas.
“Só faltam o Jazz e o Blues para completar, diziam muitos. Criamos o Jazz e o Blues em 2008 para gerar emprego e renda na cidade. Sucesso absoluto! Chegamos a beirar 100 por cento de ocupação na cidade de turistas vindos do Recife, João Pessoa, Natal, Maceió, Sergipe, Salvador... que vinham em grupos. E a cidade a faturar milhões de reais, estes à 52 segmentos da economia. O estado? Nas três esferas, era a que mais ganhava.” 
Ao Blog, Givaldo disse que o tríduo momesco precisa ser apoiado e incentivado na cidade, inclusive com a volta do Jazz e do Blues, que atraíam milhares de turistas nos anos de 2008 a 2015, gerando emprego e renda à nossa gente. Ainda hoje não entendo porque fizeram aquilo com Garanhuns. Do trade turístico da cidade, ainda escuto, nessa época, a revolta de pessoas de Recife, de João Pessoa, e de Natal; de Maceió, de Aracaju e de Salvador pelo fim do Jazz e do Blues em Garanhuns, sem prejuízo do frevo e do samba”.    


RAINHA ISABEL FEZ GRANDE CARNAVAL



O distrito de Rainha Isabel, o maior entre os sete de Bom Conselho, teve uma grande festa de carnaval. Dezenas de blocos se reuniram e saíram pelas ruas, sempre finalizando na festa realizada pela prefeitura de Bom Conselho, na praça central.

Atendendo a determinação do prefeito Dannilo Godoy, através da diretoria de Cultura, a prefeitura de Bom Conselho, com o apoio do Governo de Pernambuco, Empetur e Fundarpe, promoveu três dias de festa, num palco montado no centro de Rainha Isabel.

Com duas matinês comandadas por Gilberto e Banda, Rainha Isabel presenciou uma grande animação dos foliões. Gilberto, que já se apresentou em outras oportunidades no distrito, animou e agradou a todos que comemoravam o carnaval.

Nas três noites de carnaval, nomes como: Cristina Amaral, Romero Ferro e Jeferson Rouche, se apresentaram com repertórios que misturaram músicas próprias, frevos, axés e sucessos do momento, como o brega funck.

Um destaque deve ser dado a segurança do evento. Nenhum registro de ocorrência grave foi registrado e nenhum fato foi presenciado pelos presentes, que só buscaram se divertir. A Polícia Militar foi a grande responsável por manter a tranquilidade e a ordem nos três dias de festa. 



JUÍZA JOVEM, BONITA E NEGRA FAZ A DIFERENÇA NO PIAUÍ


“Perdi as vezes de quando entravam na sala, nem ao menos davam ‘bom dia’, só diziam que queriam falar com o juiz. Às vezes eu era ríspida. Outras, virava a cadeira e dizia: ‘Bom dia, eu sou a juíza’”. Quem conta essa história é Mariana Marinho Machado. Segundo ela, chegar a um cargo de tanta autoridade sendo mulher, negra e jovem parece que “confunde” as pessoas – mas, na realidade, escancara um preconceito que tanta gente teima em dizer que não existe.

Aos 35 anos, Mariana é responsável pela comarca de Itainópolis (a 365 quilômetros de Teresina), que atende também os municípios de Vera Mendes e Isaías Coelho. Natural da Bahia, Mariana já exerceu a magistratura no Pará e está no Piauí há sete anos. Tem 2 mil processos distribuídos e finalizou, somente em 2019, 980 processos.

“Hoje, as pessoas já me conhecem na comarca. Já estou aqui há dois anos e, então, essas situações são mais raras”, pondera. Mas a discriminação por seu biotipo físico sempre aconteceu. Ela conta que, desde pequena, ouvia comentários indesejáveis na escola. Porém, foi depois que passou no concurso para magistratura que percebeu o preconceito mais presente.

“Sempre passei por situações como alguém falar do meu cabelo na escola. Era bullying, mas não tinha esse nome. Mas senti mais o preconceito quando entrei na magistratura, porque é um lugar de autoridade”, explica. “Várias vezes, quando me viam trabalhando pensavam que eu era assessora. Quando fui professora, também senti os olhares. Na primeira vez que entrei numa sala de aula, as pessoas me olharam diferente. É tão institucional que as pessoas se assustam vendo uma mulher, negra, nova, juíza.”

Mariana passou no concurso aos 27 anos, sem cotas. Mas defende o sistema para oportunizar a entrada de negros no serviço público. “Meus pais são negros. Sempre tivemos muito orgulho da nossa raça. Eu e meus irmãos estudamos em colégios bons. Quando fiz concurso, não tinha cotas. Mas hoje vejo que é necessário. Os negros são maioria no Brasil, mas são minoria em cargos públicos. Na magistratura, somos apenas 1,6%”, ressalta.

Para a juíza, o maior problema no combate ao preconceito é não aceitar que ele existe. “Quando você entra numa loja, as pessoas não vão para você. As vendedoras de lojas chiques não são negras. É assim que acontece”, resume.

No dia a dia, Mariana opta por uma vida mais resguardada, evita muita exposição, mas não abre mão de reagir a situações de discriminação.“Em casos de racismo e injúria racial, com certeza dou voz de prisão, mas nunca precisei chegar a isso. Uma vez, uma pessoa que trabalha comigo foi xingada e acredito que a pessoa queria atingir a mim. Falei que isso geraria processo e fui atrás. Já julguei vários casos de racismo e injúria racial – vários”, destaca.

Especificamente com ela, a juíza lembra a vez em que questionaram sua capacidade de julgamento. “Um advogado começou a se exaltar e disse: ‘Não sei se a senhora teria capacidade para julgar’”, recorda-se. “Mas não sou de perder a cabeça, até para ninguém dizer que não tenho imparcialidade. Só disse: ‘Doutor, o sr. não quer retificar o que disse?’. Um amigo dele deu um toque e ele se acalmou, voltou atrás”, conta.

Por casos como esses, Mariana sempre atende às pessoas na presença de alguém, nunca sozinha. “Nós, magistrados, sempre estamos no olho do furacão. Se faço qualquer coisa, até fora de casa, não é a Mariana, é a juíza. Então, me preservar é uma questão de segurança. No Piauí, além do racismo, há também muito machismo – e isso é refletido nos feminicídios. Aqui na cidade, chega um homem juiz, vai para academia e é normal. Chega uma magistrada, vai para academia é porque quer se mostrar”, compara.

“Às vezes ouço: ‘A senhora é tão nova e vem sozinha para o Piauí. Como seu marido deixa?’ Como é que pode? Meu marido tem que deixar eu vir trabalhar? Isso não existe”, indigna-se. Apesar de todos os desafios enfrentados, Mariana Marinho não tem do que se queixar da vida que leva.  

“As pessoas já se acostumaram comigo e me tratam muito bem. Fico lisonjeada com o reconhecimento, o respeito e o carinho. Fiquei 12 dias afastada cuidando do meu pai e, quando cheguei, ganhei um bilhetinho: ‘Que bom que a senhora voltou’”, conta. “As pessoas me perguntam como aguento ficar no interior. É por todo carinho que recebo. Só peço muita saúde para conseguir fazer meu trabalho. Quando vou a uma escola e as crianças me veem, elas se sentem representadas. Isso é gratificante. Elas sabem que também podem chegar lá!”


MINISTÉRIO PÚBLICO APONTA ILEGALIDADES EM CARGOS DO PREFEITO


Matéria publicada hoje no blog V & C Garanhuns promete dar muito o que falar. Segundo o site, um grupo de servidores ocupa cargos comissionados, no gabinete do prefeito Izaías Régis (PTB), com altos salários e de forma ilegal. O Ministério Público, que detectou a irregularidade fez uma recomendação para o gestor do município exonerar os funcionários.

Representante do Ministério Público solicita ainda a devolução do dinheiro aos cofres públicos, pelos servidores, já que eles estão recebendo salários de forma ilegal.

Eis, na íntegra, o texto publicado no V & C Garanhuns:

O Ministério Público de Pernambuco, por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania da Comarca de Garanhuns-PE, expediu uma recomendação ao Prefeito Izaías Régis no sentido de exonerar todos os servidores que estão exercendo o cargo de assessor especial do Gabinete do Prefeito. Segundo o MPPE, dos 10 cargos criados por lei, seis estão ocupados atualmente com um salário de 5.100 reais.  Ainda segundo o MPPE, foi certificado que as funções desses auxiliares direto do prefeito são de articulação política, entretanto, não existe lei que defina as reais atribuições do referido cargo, o que seria obrigatório constar na própria lei que criou os cargos.

Na recomendação a Izaías, a 2ª Promotoria alega que, segundo entendimento do STF, a criação de cargos em comissão somente se justifica para o exercício de funções de direção, chefia e assessoramento, não se prestando ao desempenho de atividades burocráticas, técnicas ou operacionais

Diante dos argumentos, o MPPE encerra a recomendação pedindo a imediata exoneração dos ocupantes dos cargos de assessor especial do prefeito e a adoção das medidas para que se restitua os cofres públicos pelos salários pagos aos servidores lotados nos cargos, já que, segundo o órgão, tais assessores estão exercendo ilegalmente as funções.

O MPPE ainda pediu que o Município de Garanhuns se abstenha de nomear ocupante para qualquer cargo público cujas atribuições não estejam descritas, de forma clara e objetiva, na própria lei que instituir o cargo.

Por fim, o órgão deixa claro que se a recomendação não for acatada em até 10 dias úteis, uma ação civil pública poderá ser ajuizada junto à Justiça em face da violação dos princípios da administração pública.

DE ACORDO COM PESQUISA FEITA PELO PORTAL NA FOLHA DE PAGAMENTOS DO SERVIDORES, OS SEIS ASSESSORES ESPECIAIS DO PREFEITO QUE ATUALMENTE EXERCEM O CARGO SÃO:

1.APULEU MONTEIRO VIEIRA:  SALÁRIO DE JANEIRO (BRUTO): 7.140,00

2.VANESSA BARBOSA ALVES: SALÁRIO DE JANEIRO (BRUTO): 5.610,00



3.JOSÉ CARLOS DOS SANTOS: SALÁRIO DE JANEIRO (BRUTO): 5.800,00


4.ROBERTO MARQUES IVO: SALÁRIO DE JANEIRO (BRUTO): 6.120,00


5.ANTÔNIO FERREIRA DA SILVA NETO. SALÁRIO DE JANEIRO (BRUTO): 5.355,00



6.WANDERLEY GOMES LOPES :  SALÁRIO DE JANEIRO (BRUTO): 5.100,00;

REINALDO AZEVEDO ESCREVE SOBRE AS MENTIRAS DO PRESIDENTE


Jornalista Reinaldo Azevedo, aquele que tinha horror ao PT, escreveu um artigo hoje afirmando que o presidente da República do Brasil é um mentiroso:

Que o presidente Jair Bolsonaro fala o que lhe dá na telha, sem qualquer compromisso com os fatos, com a lógica, com a língua, com a moral, com a boa educação, com os bons costumes... Bem, não há nisso grande novidade. Optar, no entanto, pela mentira mais descarada — que só pode mesmo mobilizar a súcia de idiotas que o aplaudem por princípio —, bem, aí já é de lascar e só contribui para desmoralizar o país, assustar investidores e atrair o apoio de pistoleiros disfarçados de empreendedores destes novos tempos.

Tanto na entrevista que concedeu ontem às portas do Palácio da Alvorada como na malfadada "live" desta quinta, Bolsonaro voltou a atacar a jornalista Vera Magalhães, do Estadão — chegou a cobrar dela que tenha "vergonha na cara" —, e apelou a duas mentiras grotescas. Sim, é preciso ter vergonha na cara!...

Segundo o presidente, Vera teria afirmado que ele próprio gravou vídeos convocando para os protestos do dia 15. Isso nunca aconteceu. A informação, correta e confirmada, tornada pública pela jornalista dava conta de que o presidente havia passado adiante, via WhatsApp, vídeos que faziam a convocação para os atos. E, como ele mesmo admite, fez isso.

Mas achou que uma mentira era coisa pouca. Sabem como é esse negócio de vergonha na cara — ou da falta dela. Então veio a outra. Segundo o presidente, os vídeos se referem a 15 de março de... 2015. Transcrevo trecho de um deles. Ao som do Hino Nacional, uma daquelas vozes com entonação de mela-cueca golpista, afirma o seguinte: "Ele foi chamado a lutar por nós. Ele comprou a briga por nós. Ele desafiou os poderosos por nós. Ele quase morreu por nós. Ele está enfrentando a esquerda corrupta e sanguinária por nós. Ele sofre calúnias e mentiras por fazer o melhor para nós. Ele é a nossa única esperança de dias cada vez melhores. Ele precisa de nosso apoio nas ruas. Dia 15 de março, todos nas ruas apoiando Bolsonaro”.

Entre as imagens que ilustram a estupidez, está a da facada. Bolsonaro precisa nos apresentar a pessoa que fez esse vídeo há três anos, não é? Não só adivinhou que ele levaria uma facada três anos depois como anteviu que seria presidente da República. Sim, é uma questão de vergonha na cara. Ou da falta dela. Sem contar que nem é preciso ser muito sagaz para notar que se tenta associar a figura de Bolsonaro à do próprio Jesus Cristo. Imaginem... Ele é nosso Salvador.

Um Cristo que faz sinal de arma com as mãos, que defende e justifica a tortura, que quer arrancar do Congresso licença para matar, que não tem receio de apelar a mentiras as mais descaradas. Fico pensando naqueles vetustos senhores de quatro estrelas que o cercam, todos afinados com a, como é mesmo?, defesa da pátria. Defesa da pátria? Contra quem? Ah, sim: emendado com o ataque a Vera, veio a esperança. Bolsonaro agora parece apostar suas fichas no jornalismo da CNN Brasil, que, parece, ele tem a certeza de que será sério segundo seus critérios.

Donald Trump, seu amigo de fé, irmão, camarada, trata a CNN dos EUA mais ou menos como ele trata a a Folha por aqui. Que abordagem o presidente imagina que a CNN Brasil fará de seus vídeos e de suas mentiras ou do "foda-se" do general Heleno?...

*Reinaldo Azevedo escreve para o jornal Folha de São Paulo e Portal UOL e faz comentários políticos na BandNews. 

MÁRCIO ANIMADO COM PRÉ-CANDIDATURA DE DUDU


Márcio de Major esteve hoje conversando com o ex-prefeito de Capoeiras, Dudu. Os muito animados com os rumos da política na terrinha. Estão convencidos de que o povo está cansado dos atuais governantes e deseja mudança.

Para Márcio, que é pré-candidato a vereador, há um grande desejo do eleitorado de colocar Dudu de volta na prefeitura, pela sua seriedade e compromisso com os moradores da cidade e zona rural.

São pré-candidatos a prefeito de Capoeiras, além de Dudu, o comerciante Joaquim Teixeira, apoiado por Neide Reino, o ex-prefeito Carlos Batata e seu sobrinho, Felipe Vieira. 

PROFESSORA MARIA JOSÉ PRESENTEIA CISSA GUIMARÃES



Professora Maria José, natural de Brejão e garanhuense de coração, leva o nome da Suíça Pernambucana para todo o Brasil e o mundo.

Já esteve em Israel, na Índia, na Itália, na Rússia, nos Estados Unidos e em muitos outros países. Onde chega mostra logo as credenciais: uma bandeira de Pernambuco ou de Garanhuns.

Na Sapucaí, no Rio de Janeiro, desfila há mais de 10 anos, sempre com uma plaquinha nos braços. Nela está escrito: Garanhuns!

É preciso esclarecer, antes que os maldosos digam besteira, que Maria José não é bancada por nenhum político. Sozinha, organizada, junta os seus proventos como professora e sempre que pode faz uma viagem.

Em vez de criar filhos se dedicou a conhecer o mundo.

Nesta última viagem para desfilar no carnaval do RJ, Maria José aproveitou e visitou a Globo. Esteve com Cissa Guimarães e presenteou a celebridade com cocadas recheadas de Garanhuns.

“Ela ficou encantada!”, revela, toda feliz, Maria José. É um figuraço! Tenho a satisfação de conhecê-la há mais de 40 anos.

Estudamos no antigo colegial, no Diocesano, no tempo do Monsenhor Adelmar.

Além dela, lembro que faziam parte da turma a Expedita (irmã de Kitty Lopes), Manoel (irmão de Samuel Salgado) e Socorro (da família Valença, casada com Anísio, que foi reitor da UFPE).

Tudo gente de primeira qualidade. Maria José, por seus próprio méritos, terminou ficando a mais famosa de todos. (R.A.).

GOLEIRO DO AFOGADOS É DESTAQUE NACIONAL



Wallef, goleiro do time de Afogados da Ingazeira, virou herói para os torcedores da Coruja do Sertão e durante a semana foi destaque em jornais e sites do notícias por todo o país.

É que o arqueiro do time sertanejo defendeu dois pênaltis contra o Atlético mineiro, quarta-feira, sendo o grande responsável pela eliminação do Galo da Copa do Brasil.

Ao ser entrevistado pelo Portal Uol sobre o uso do boné durante o jogo, mesmo sendo á noite, Wallef fez uma revelação singela: Ele explicou que com o gorro faz propaganda de uma pousada onde se hospeda em Afogados. Por conta de publicidade, não precisa pagar o alojamento.

Goleiro do Afogados é natural do interior do Espírito Santo.

Ele contribuiu – e muito – com a vitória sobre o Atlético, que após o revés no interior de Pernambuco demitiu o técnico e dois dirigentes.

Vejam as disparidades: O Atlético é de Belo Horizonte, uma cidade de 1 milhão e meio de habitantes. Afogados tem menos de 40 mil moradores.

A folha salarial do Atlético é uma das maiores do Brasil, em torno de R$ 4 milhões. Todo o plantel do time do Afogados, incluindo titulares e reservas, custa à diretoria apenas R$ 100 mil.

Mesmo assim, os sertanejos pernambucanos fizeram dois gols nos mineiros (jogaram maior parte do segundo tempo com um homem a menos) e se classificaram para a terceira fase da Copa do Brasil, com o brilho da estrela de Wallef, que segundo a reportagem do Uol é acostumado a pegar pênalti.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

FESTA DE SÃO JOSÉ DE CAPOEIRAS TERÁ BOAS ATAÇÕES CULTURAIS


Por Junior Almeida

A parte profana da Festa de São José de Capoeiras deste ano ainda não foi anunciada pela Prefeitura, o que deverá ocorrer ainda esta semana, mas a religiosa terá início oficialmente no próximo dia 10 de março, com uma procissão motorizada saindo às 18:30 horas da Agrovila Riacho do Mel, para à cidade, e o encerramento acontecerá no dia 19, dedicado ao Santo Padroeiro de Capoeiras e também da Diocese de Garanhuns.


A programação da Igreja já vem sendo divulgada desde a semana passada através de grandes e bonitos convites (foto) com todos os dados da Festa de São José deste ano, que estão sendo distribuídos à população em todas as missas de Capoeiras.


Dentro das festividades da Paróquia, acontecem também os chamados “momentos culturais”, que vêm sendo realizados desde 2018. Essa parte de descontração e lazer são as apresentações de cantores e bandas locais, quermesse, torneio de futebol, e esse ano, mais uma novidade: um passeio ciclístico. Abaixo a programação da festa 2020:


Dia 7, sábado a partir das 8 horas, II Torneio de Futebol Society, no Clube 1080, localizado na PE 193, na entrada da cidade;


Dia 8, domingo, I Passeio Ciclístico, com participantes de Capoeiras e outros municípios convidados. Reunião dos ciclistas para café da manhã e saída, na quadra do colégio municipal às 7 da manhã;


Dia 11, quarta-feira, às 21 horas, apresentação do Coral Lírio de São José e Louvor com a RCC Capoeiras, ao lado da Matriz;


Dia 12, quinta-feira, às 10, 16 e 21 horas, exposição sobre a vida de São José, na quadra do colégio municipal, e apresentação dos quilombolas do Imbé, ao lado da Matriz;


Dia 13, sexta-feira, às 21 horas, apresentação da APAE Garanhuns e Roberto Tenório, ao lado da Matriz;


Dia 14, sábado, às 21 horas, apresentação do CRAS Capoeiras, Banda Angeluz e quermesse, ao lado da Matriz;


Dia 15, domingo, às 10:30 horas, leilão na quadra da Rua Januário Guimarães (antiga feira de gado) e às 21 horas, apresentação dos violeiros Gilberto Alves e Valdir Teles, além da quermesse, ao lado da Matriz;


Dia 16, segunda-feira, às 21 horas, Musical MPB Capoeiras, ao lado da Matriz;


Dia 17, terça-feira, às 14 horas, “Seminário Vida de São José”, na EREM Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, às 21 horas, apresentações da Banda do 71 BI MTZ, Ademar Cordeiro e também quermesse, ao lado da Matriz;


Dia 18, quarta-feira, às 21 horas, show com o Padre João Carlos, na Praça de Eventos.


Como podemos perceber na programação acima, tem atração pra todo gosto e, essa volta às raízes interioranas, com suas com quermesses, apresentações culturais e brincadeiras, nos remete ao passado, a um inocente e ordeiro clima de festa em família. Tudo isso recomeçou em 2018, quando Monsenhor José Augusto ficou à frente da Paróquia e, consequentemente da festa, após o falecimento do Monsenhor Geraldo, o primeiro Pároco de Capoeiras.


Aliás, o atual Pároco fez algumas mudanças na maneira de realizar a festa. Para começo, aumentou o número de presidentes. Se antes apenas um casal era o responsável pela organização e também as despesas da festa, desde 2018 que esse número aumentou para dez casais, em 2019, foram dezenove e esse ano o mesmo número.


Modificou também o tempo da festa, pois se antes as celebrações aconteciam em apenas alguns dias de março, atualmente ocorre durante todo o ano, pois a cada mês, no dia 19, é celebrada uma Missa Votiva a São José, além das constantes reuniões com os casais de presidentes, para decidir os rumos das homenagens ao Padroeiro.


Com essas mudanças, Monsenhor José Augusto foi muito feliz, pois, conseguiu trazer para Igreja “ovelhas desgarradas”, que se duvidar não sabiam nem “espalhar” um sinal da cruz no rosto, fazendo-os hoje, verdadeiros devotos de São José.


Para finalizar, lembramos que os convites deste ano foram confeccionados em papel de muito boa qualidade, assim como em 2019 e também em 2018, tendo na sua parte interna a imagem de São José ao centro, arrodeada de outras imagens menores com passagens de sua vida. Muita gente em anos anteriores mandou colocar os convites em molduras, portanto, supõe-se, que agora não será diferente.