domingo, 24 de novembro de 2019

SÃO BENTO DO UNA PODE SAIR DA POLARIZAÇÃO EM 2020


Alexandre, André, Fábio e Washington

Em São Bento do Una seis nomes são apresentados como pré-candidatos à prefeitura em 2020: Alexandre Batité, atual vice-prefeito, o vereador e presidente da Câmara, André Valença, o padre Fábio Cavalcante, que trocou a batina pela política, Paulo Afonso (que já foi prefeito mais de uma vez e deputado estadual), o advogado Washington Cadete e José Maria (Mano, ligado à avicultura, do mesmo modo que o pai da prefeita).

Nas outras eleições, houve polarização em São Bento, entre Padre Aldo e Washington e depois entre Débora Almeida e Washington.

Agora, com a prefeita e o vice rompidos, o grupo governista se dividiu.

Uma pessoa que mora no município e acompanha de perto a política local,  informou ao blog que André e Alexandre estão no mesmo grupo e devem se unir. Neste caso só um deles será candidato.

Washington tem dito que não disputará novamente, mas a divisão do grupo de situação pode levá-lo a rever esse ponto de vista, porque na teoria ele é o maior beneficiado pelo racha.

Na última pesquisa feita em São Bento do Una, Padre Aldo - que não pretende voltar à política - era disparado o nome favorito do eleitorado. Sem ele, Fábio ficava em primeiro lugar.

Nessa mesma pesquisa, feita há meses, Washington e Fábio tinham maior rejeição, enquanto Alexandre tinha a menor.

Situação pode ter mudado desde então, inclusive porque de lá pra cá o sacerdote trocou a batina pela Secretaria de Finanças do Município.

De todo jeito o candidato de Débora já parte com uma vantagem: tem o apoio da máquina municipal e o poderio econômico da família Almeida.

O grande número de pré-candidatos, porém, demonstra que o governo não está tão forte e a eleição em São Bento, no próximo ano, pode não ser um passeio, como ocorre desde que padre Aldo chegou ao poder com seu discurso de mudança, elegeu Débora e esta depois teve uma reeleição fácil.

Fotos: TVSBUNA.

Um comentário:

  1. 0 FIM das polarizações políticas em todas as cidades do Brasil é uma exigência da reforma política aprovada pelos deputados e senadores.

    Cada partido precisa se mexer e muito antes de abril para formar chapas competitivas para vereadores.Senão quase todos os pequenos partidos desaparecerão do mapa com essa reforma.Tem seu lado positivo e negativo.

    ResponderExcluir