GOVERNO DE PERNAMBUCO

GOVERNO DE PERNAMBUCO
Governo de Pernambuco

LEONARDO DECAPRIO NEGA ENVOLVIMENTO COM ONG



O ator americano Leonardo DiCaprio  se manifestou neste sábado (30) após o presidente Jari Bolsonaro acusá-lo de colaborar com queimadas criminosas na Amazônia, por meio de doações a ONG WWF,  que atua na área ambiental.


Em nota, o artista negou ter feito doações a ONGs citadas em investigações sobre incêndios florestais no Brasil.

"Embora mereçam apoio, nós não financiamos as organizações citadas", afirmou. No comunicado, o ator disse ainda ter orgulho de grupos que protegem ecossistemas e elogiou o povo brasileiro, que na sua opinião "está trabalhando para salvar seu patrimônio natural e cultural".

ACUSAÇÕES – O presidente do Brasil acusou Leonardo DiCaprio na quinta e na sexta-feira, ao se encontrar com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, em Brasília.

"Quando eu falei que há suspeitas de ONGs, o que a imprensa fez comigo? Agora, o Leonardo DiCaprio é um cara legal, não é? Dando dinheiro para tacar fogo na Amazônia", disse Bolsonaro

ONG - A organização WWF declarou em nota que os recursos enviados à brigada Alter do Chão não incluíram doações de Leonardo DiCaprio, que não comprou fotos da brigada Alter do Chão nem pôs fogo na Amazônia.

A ONG afirmou que mobilizou recursos para fortalecer organizações locais que se dedicam a proteger a floresta de desmatamento e queimadas. Também lamentou que o Presidente da República insista em divulgar inverdades.

REPERCUSSÃO - As declarações de Bolsonaro repercutiram fora do país.

Os jornais americanos "The Washington Post" e "The New York Times" destacaram que o presidente do Brasil criticou DiCaprio por incêndios na Amazônia e afirmaram que Bolsonaro não ofereceu nenhuma prova.

O britânico "The Guardian" disse que Bolsonaro acusou falsamente o ator de ter pago pelos incêndios.

Leonardo DiCaprio é conhecido mundialmente, tendo atuado em filmes como Titanic, Prenda-me Se For Capaz, O Regresso, Django Livre, Diário de Um Adolescente e O Aviador, dentre outros.

*Trechos da matéria foram reproduzidos de reportagem do Portal G1. 

Foto : UOL

Um comentário:

  1. Quando um Presidente da República não mede as palavras pronunciadas termina sendo vítimas delas mesmas. Acusar sem provas materiais do crime cometido termina feito o ex-juiz Moro e os 3 desembargadores que acusaram o Lula de ser dono do triplex do Guarujá e do sítio de Atibaia e lhe condenaram e prenderam e foi obrigado 6 juízes da SUPREMA CORTE DO BRASIL ter que rever suas posições e seus votos quando seguiram o voto maravilhoso da Dra Rosa Weber "!não fomos revestidos de autoridade para declarar inconstitucional a própria constituição" e seguido pelo presidente do STF Dr. Dias Toffoli que mesmo sendo ameaçado pelos canhões do General Villas Boas e Eduardo Bolsonaro deu o voto de minerva a favor das CLÁUSULAS PÉTREAS que são IRREVOGÁVEIS.

    ResponderExcluir