SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

segunda-feira, 19 de agosto de 2019

O (A) VICE IDEAL PARA HAROLDO VICENTE


Por Altamir Pinheiro

Vice, do latim, tem o significado  “em vez de”, “substituição”, não deixa de ter significado amedrontador na nossa  política tupiniquim, onde não há espaços vazios, onde o vácuo é imediatamente ocupado por outras pretensões, pelo mais forte ou mais oportunista, pois não é à toa que: o cargo é remunerado... Esse papo furado que pregam por aí que   VICE NÃO VERSA já está superado,  na verdade, o  vice deixou de ser visto como uma simples figura decorativa, mero desencargo de exigência eleitoral, sendo notória sua importância na composição de chapas e fortalecimento de alianças. Um vice bom determina uma eleição.

Quem milita na vida política sabe muito bem que na época que se aproxima o ano eleitoral é um pega pra capar  dos seiscentos diabos para a escolha do cabeça de chapa como também o seu respectivo vice. Porém, nesse ínterim, há três fases de definição eleitoral: a primeira é quando se define o candidato. A segunda, que às vezes a precede, é a composição das alianças. A última, decorrente desta, é a indicação do nome que irá compor a chapa como candidato a vice, o substituto eventual juridicamente assegurado. É bom frisar que, o significado da  participação de um bom vice não é somente numeral, mas qualitativo. Fosse popularidade sua principal contribuição, seria ele o candidato e não o outro. 

A escolha de um vice é como o alicerce de um prédio, pois é preciso ter o máximo de cuidado para depois àquele imóvel não vir a desabar logo após o término de sua construção. Em uma eleição,  mais do que votos, um vice oferece a ampliação simbólica do perfil de uma candidatura. Não há mais exemplar ilustração do que a presença do EMPRESÁRIO já falecido,  José de Alencar,  na chapa que levou a versão “paz & amor” do PT a superar sua marca histórica de rejeição, colocando o PROLETÁRIO Lula lá.  A primeira vista foi um escândalo a junção de um baita empresário com um simples pau-de-arara, mas as urnas mostraram  que os marqueteiros estavam corretos e a dupla adversa foi eleita com uma boa margem de votos.

Em  Garanhuns, os nomes dos prefeituráveis já estão na mesa, ou pelo menos pensamos assim, mas quem vai acompanhá-los nesta caminhada? Façam suas apostas. Entre tantas qualidades dos pretendentes a vice   há algumas  bastante destacáveis: Há uma delas que tem uma disposição incrível para pedir votos de  casa em casa e um poder de convencimento inimaginável, além do   carisma, claro!!!  Só há uma opção viável para Haroldo e a escolha deveria cair na atual SECRETÁRIA DE SAÚDE DO MUNICÍPIO. Isso é o que poderíamos chamar no campo do marketing eleitoral, do CASAL 20. Até porque, o candidato a prefeito pertence ao PSC e seu número é 20.   Uma boa companheira de chapa pode colaborar e muito na gestão pública, dialogando com a sociedade e somando forças com o titular. Portanto, é muito importante entender os principais fatores envolvidos na escolha de um vice e a secretária de saúde de Garanhuns formaria  um  perfeito CASAL 20, no ano de 2020...

Uma  vice do porte da atual Secretária de Saúde  poderia  ser também uma articuladora política, auxiliando o titular do cargo no que estiver a seu alcance. Ou seja, ela não precisa assumir o cargo definitivamente para ser uma pessoa ativa na gestão. Sua trajetória política é bem ampla, pois vem de família tradicional que milita há bastante tempo  na política no Sertão Central de Pernambuco, pois teve a mãe como vereadora, dois irmãos seus também exerceram este cargo(inclusive como presidente de câmara), outro é chefe de gabinete do deputado Romário Dias há mais de 30 anos e atualmente um dos seus irmãos é vice-prefeito e candidato a prefeito na cidade de Parnamirim-PE sendo franco favorito a obter êxito no pleito de 2020, por ser uma pessoa bastante carismática.  Sem sombra de dúvida, a secretária que faz um excelente trabalho na pasta da saúde no governo Izaías, certamente,  seria a VICE ideal do candidato Haroldo Vicente(PSC).
A cultura política de Garanhuns, no entanto, reserva aos candidatos a vice-prefeito certa relevância apenas no período eleitoral, na medida em que pode conquistar votos, apoios e, em algumas situações, definir o resultado da disputa, em razão de imagem positiva junto a determinados segmentos, por serviços prestados à comunidade, principalmente quem faz esse tipo de trabalho na área da saúde. Também não se pode menosprezar a importância da afinidade de ideias e ideais  entre o vice e o titular. Eles precisam estar sintonizados e ter prioridades semelhantes, caso contrário, podem surgir conflitos. Para quem conhece, os dois são amigos pessoais e formariam um belo par e a consagração nas urnas do CASAL 20 seria referendada pelo povo que passaria a acredita com afinco  nessa dupla que possui fortes laços de amizade e respeito mútuo e com isso vem fluindo muito bem o andamento dos serviços prestados à comunidade que o casal faz de bom grado para satisfação  da população de Garanhuns. Quem arriscaria jogar a pedra  20 de rombo?!?!?!  Façam suas apostas!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário