SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

ALEPE

ALEPE
ALEPE

quarta-feira, 29 de maio de 2019

CAPOEIRAS PRECISA DE NOVA POLÍTICA E UNIÃO


Henrique Souza e Josivaldo Siqueira

Tanto o ex-vice-prefeito Edgar Rodrigues quanto Henrique Souza, filho de Dudu, em conversa com o editor do blog admitiram que a oposição de Capoeiras só ganha a eleição se estiver unida. Dividida, com três ou quatro grupos, Neném e Neide Reino, que sabem fazer política como ninguém, terão tudo para vencer novamente a eleição no município, seja com Nego do Mercado ou outro candidato.

Todo mundo na oposição sabe que precisa se unir, que se estiverem separados podem ficar mais quatro anos fora do poder, mas as arestas, as vaidades, os projetos pessoais prevalecem e assim Batata, Edgar e o Sindicato; Jefferson, Josivaldo, Felipe, Henrique e outros oposicionistas caminham em direção ao nada, enquanto Neném fica rindo do amadorismo dos adversários.

O problema da oposição é que só tem um nome forte para ganhar a eleição: ele se chama Antônio Carlos Vieira, o Batata.

As outras lideranças oposicionistas, porém, não querem se unir com ele. 

Acham que ele não soma, não agrega.

Batata é temperamental, na política age feito um trator e esse estilo dele criou arestas com ex-aliados, ao longo do tempo, dificultando agora o diálogo que poderia levar a uma grande aliança por Capoeiras e uma possível vitória.

Henrique, jovem de valor, filho de um homem sério e que foi bom prefeito deu mais um passo em suas pretensões políticas e se juntou ao grupo autodenominado Nova Política, comandado pelo contador Josivaldo Siqueira.

Jefferson, advogado, filho do ex-vereador Geová Lopes, também já integra esse grupo.

Mas esses três jovens bem intencionados, respeitados, têm força política para derrotar Neide e Neném?

Não creio.

Possivelmente não têm nem a força dos irmãos Nilson, Carla e Edgar, do grupo do Sindicato. Esses aí certamente somam pelo menos 1.500 votos em Capoeiras, votação que deram ao candidato estadual em 2018.

Não é suficiente, contudo, para enfrentar a sabedoria política de Neném e Neide, que ficam, juntamente com seus seguidores, dando risada das notícias sobre as adesões à Nova Política.

A prefeita e seu marido só vão se preocupar, realmente, se toda oposição sentar na mesma mesa, tirar uma chapa competitiva e marchar unida para enfrentar o grupo da situação.

Em 2016, quando Neide se preparava para a reeleição, seu marido fez um comentário interessante conversando com amigos em Garanhuns. “Se Dudu for candidato vamos ter que suar a camisa e investir. Se for o outro (Batata), não precisamos nem sair de casa”.

Não foi bem isso que aconteceu. Dudu ficou fora da eleição, Batata foi candidato um tanto isolado, com poucos candidatos à Câmara e uma vice sem tradição política. E liso.

Mesmo assim deu um susto nos governistas. Fez uma campanha bonita, promoveu um arrastão na sexta-feira antes da eleição que levou oito mil pessoas às ruas.

Neném, Neide e seus seguidores tiveram de sair de casa, suar a camisa e gastar.

Venceram, mas o liso teve 5.500 votos.

Muitos acham que qualquer candidato da oposição nas mesmas condições teria a mesma votação. Eu tenho as minhas dúvidas.

Outro nome, é mais provável, teria perdido por mais de mil, talvez 1.500 votos.

Carlos Batata quando se elegeu prefeito de Capoeiras tinha 28 anos. Se for candidato novamente, no próximo ano, estará com 60.

Pode ainda ter alguns dos defeitos da juventude, mas a experiência as derrotas sofridas nas últimas eleições certamente lhe ensinaram alguma coisa.

No meu entender todos da oposição – a começar por Batata – deviam calçar as sandálias da humildade. Conversar entre si, pensar em Capoeiras e decidir se querem perder de novo ou virar governo.

E há espaço para todos. Tem vaga pra vice, tem a montagem do secretariado, presidência da Câmara, alguns são jovens e podem esperar pelas próximas eleições.

Gosto de todos os idealistas da oposição: Josivaldo, Jefferson, Batata, Henrique, Edgar, Carla, Nilson, Bruno, Felipe (que conheci ainda menino) e gostaria de vê-los dialogando, discutindo o futuro de Capoeiras, lutando pelo crescimento do município que hoje parece ter voltado à condição de vila, tal a estagnação em que se encontra.

E escrevo com toda franqueza para Josivaldo, Jefferson, Henrique e Luís Farias: Nova Política é apenas um rótulo.

Não existe nova nem velha, o que existe é Política.´

Você pode praticá-la com profissionalismo e seriedade ou pode ser um amador, um interesseiro, que queira usar um mandato para se dar bem na vida.

Se o que estão procurando é o bem de Capoeiras deem as mãos. Tracem um plano de trabalho juntos, façam um projeto coletivo, resolvam suas diferenças.

Caso não façam isso, o ex-prefeito Neném vai continuar rindo de vocês.

Capoeiras precisa de uma nova política. Mas se não houver união essa morrerá no nascedouro, na primeira eleição. 

*Foto reproduzida do blog de Luís Farias.

2 comentários:

  1. Vc falou tudo Roberto, até pra fazer um comentário fica difícil, pois acho q a humildade realmente precisa ser usada por ambas as partes, tenho certeza q uma junção teria já como certo Uma Vitória, caso contrário acho q vou ter q mim abster desse pleito eleitoral, uma vez q o q se defende não é em prol de um povo e acho q apenas uma questão de status .

    ResponderExcluir
  2. Vc falou tudo Roberto, até pra fazer um comentário fica difícil, pois acho q a humildade realmente precisa ser usada por ambas as partes, tenho certeza q uma junção teria já como certo Uma Vitória, caso contrário acho q vou ter q mim abster desse pleito eleitoral, uma vez q o q se defende não é em prol de um povo e acho q apenas uma questão de status .

    ResponderExcluir