Assembleia Legislativa

Assembleia Legislativa
Assembleia Legislativa

quarta-feira, 17 de abril de 2019

LUIZINHO ROLDÃO É ENTREVISTADO NA RÁDIO SETE COLINAS


Aliado da vice-governadora Luciana Santos (PC do B), Luizinho Roldão foi entrevistado hoje, das 12 e 40 às 13h10, no programa Porta Voz da Notícia, apresentado pelo radialista Tony Lucas, na FM Sete Colinas.  O apresentador apertou bastante o convidado, que, no entanto, respondeu todas as perguntas na “bucha”, com respostas convincentes.

Tony iniciou perguntando se a candidatura de Roldão era pra valer, como se duvidasse do seu projeto político.

O entrevistado disse que a eleição ainda é em 2020 e o cidadão só pode ser considerado candidato depois da passar por uma convenção. “Que só pode  se realizar no próximo ano, no prazo definido pela lei”, frisou Luizinho.

Ele, no entanto, complementou dizendo que se for vontade de Deus e do povo de Garanhuns está disposto a enfrentar o desafio, que considera uma verdadeira missão. “O município precisa do novo, de mudanças, de um governo que olhe todos de maneira justa e cuide melhor das pessoas, principalmente dos mais necessitados”, defendeu.

O entrevistador, então, quis saber por que motivo Luizinho Roldão deixou o governo de Izaías e hoje é um crítico da gestão.

Segundo o pré-candidato, o prefeito o tirou com a desculpa vaga que “as mulheres não te querem mais”. Ex-gestor revelou que até hoje não sabe quem são as senhoras as quais o Chefe do Poder Executivo se referiu. “Acho que foi uma coisa criada por ele por não ter coragem de assumir a demissão”, afirmou.

Tony Lucas procurou saber também do entrevistado quais são os principais problemas de Garanhuns.

Luizinho respondeu que são preocupantes as questões nas áreas da saúde e da assistência social. Falou das filas nos postos de saúde, da falta de medicamentos e do longo tempo de espera para se conseguir um exame.

Defendeu o funcionamento do posto tríplice da Cohab II durante 24 horas, argumentando que para isso é preciso contratar apenas mais uma equipe de profissionais de saúde. 

Na sua opinião essa atitude possibilitaria um melhor atendimento, já que o prefeito nunca terminou a UPA 24 horas que começou a construir no início do seu primeiro mandato.

Outra questão importante levantada na entrevista foi sobre o problema de drogas em Garanhuns. O radialista chegou a dizer que todas as pessoas que ficam nos sinais de trânsito, pedindo para lavar os vidros dos carros, em troca de dinheiro, são envolvidos com substâncias ilícitas.

Luizinho discordou, disse que quando trabalhou na Assistência Social participou do cadastramento das famílias e conhece pelo menos dois homens que vivem nos semáforos atrás de uns trocados para conseguir o pão. “São pais de família e não têm nenhum envolvimento com drogas”, disse com segurança,  fazendo com que o radialista revisse seu ponto de vista inicial.

Ainda com relação às drogas, Roldão lembrou que na gestão de Luiz Carlos de Oliveira funcionava um programa de grande alcance social, chamado “Prefeitura Presente”, criado pelo secretário Carlos Eugênio, que ofereceria oportunidade aos jovens de se manterem ocupados e praticar esportes.

“Na minha opinião foi um crime acabar com esse programa, pois sabemos que sem essa opção oferecida pela prefeitura dezenas de jovens da periferia entraram no mundo das drogas”, pontuou Luizinho.

Durante o programa na Sete Colinas, o pré-candidato demonstrou o tempo todo preocupação com o povo de Garanhuns, elogiou a atuação da vereadora Betânia da Ação Social na Câmara Municipal e destacou a importância do município ter conseguido eleger, em 2018, um deputado estadual e outro federal.

“Eles, apesar do pouco tempo, já estão prestando serviço à cidade. Seria muito bom se tivéssemos uns quatro Sivaldo Albino e mais quatro Fernando Rodolfo. Seria mais gente para defender os interesses do povo de Garanhuns.

Na entrevista, Luizinho Roldão também avaliou que a Prefeitura Municipal foi insensível ao tentar desalojar famílias do Loteamento Rosa Mística sem diálogo, sem oferecer opção aos moradores da área. Segundo ele, não existe um projeto de moradias populares em Garanhuns e precisa haver essa preocupação por parte do poder público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário