GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

Alepe

Alepe
Alepe

terça-feira, 16 de abril de 2019

A ORIGEM HUMILDE DE IZAÍAS E OS SEM TETO


“Presente de grego”, foi o que receberam os moradores do Loteamento Rosa Mística em Garanhuns, na manhã da segunda-feira.

Um oficial de Justiça e homens da Polícia Militar foram ao local, em que moradores vivem em situação irregular naquele local, após a Cohab II, cumprindo ordem de reintegração da área, para construção no espaço de um campo de futebol.

Boa parte da imprensa da cidade esteve presente, noticiou com texto, fotos e imagens em vídeo o que aconteceu no Rosa Mística.

Casas humildes sem energia elétrica, homens de idade, crianças, mulheres chorando desesperadas e a Justiça cumprindo a Lei (que nem sempre é justa), atendo solicitação da Prefeitura para que as famílias  fossem expulsas da área em que moram há alguns anos.

Dos 13 vereadores do município, apenas dois foram ver de perto o drama do povo: Tonho de Belo e Betânia Monteiro.

Dos 7 pré-candidatos à prefeitura apenas um foi à Cohab II: Luizinho Roldão.

Não são tantas famílias assim, representam talvez poucos votos, por que se preocupar?

Detalhe curioso descoberto pela reportagem do blog é que no domingo, véspera da tentativa de desalojamento dos moradores, um senhor identificado como Pedro, dono do campo do São Paulo, passou pelo loteamento e debochou dos pobres: “Amanhã vocês vão ter uma surpresa!”, avisou, com um sorriso no rosto.

Terá este senhor liderança política, votos, em toda a área do bairro Francisco Figueira? Será que tem ligação com algum vereador com força junto ao prefeito?

São perguntas que ficam no ar, uma vez que o referido cidadão no dia anterior já parecia saber da ordem judicial de despejo.

Tem mais: ainda no Loteamento Rosa Mística, mais na frente existem outras famílias morando em situação irregular, nas proximidades das “lagoas” construídas à época do prefeito Bartolomeu Quidute.

Esses, porém, não foram incomodados, tudo indica que vão continuar em suas casas sem que a prefeitura peça a reintegração da posse dos terrenos.

Apenas esse grupo menor, que está na área do “campo do São Paulo”, foi incomodado pela justiça e polícia, por solicitação do Poder Executivo.

Felizmente o promotor Domingo Sávio, um homem sério e com sensibilidade para os problemas sociais de Garanhuns, solicitou e o juiz, Dr.  Glacidelson Antônio, representante da Justiça que merece respeito,  acatou que fosse suspensa a ação contra as pobres famílias.

Hoje mesmo homens e mulheres, que ontem à tarde já tinham retirado seus pertences das casas, podem voltar as residências e o CRAS da Boa Vista, órgão da prefeitura, terá de cadastrar as famílias e avaliar a situação das pessoas, claramente em situação de vulnerabilidade.

Izaías Régis, quando fez sua campanha política vitoriosa à prefeitura, em 2012, enfatizava muito a sua origem humilde.

Lembrava que nasceu em Terezinha, veio para Garanhuns ainda menino, estudou no Colégio Diocesano com a ajuda do Padre Adelmar e começou a trabalhar nas ruas, comercializando num fiteiro de cigarro.

Morou na Rua do Correntes (São Miguel), em casa humilde e até chegar à condição de empresário bem-sucedido teve de ralar muito.

Com o êxito como empresário entrou na política e se tornou um vitorioso: foi três vezes deputado estadual e está no segundo mandato como prefeito de uma das cidades mais importantes de Pernambuco.

É hora, contudo, de lembrar-se do passado, do tempo das “vacas magras”.

Saber que pobre também é gente e tem direitos. Até porque o gestor do município não nasceu na riqueza que hoje ostenta.

Mais sensibilidade com os sem teto, portanto, eles são filhos de Deus e estamos na Semana Santa.

Todos merecem uma vida digna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário