quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

PAULO CÂMARA ADMITE ENFRENTAMENTO A BOLSONARO


Governador Paulo Câmara (PSB) chegou a surpreender pela firmeza do seu discurso, quando da posse para o segundo mandato, neste 1º de janeiro. “O amor ao Brasil não é monopólio de nenhum brasileiro, seja civil ou militar", afirmou o socialista, numa clara referência ao presidente Jair Bolsonaro.

Câmara foi mais longe quando disse que “morrer no campo de batalha é uma forma de amar o Brasil, mas ocupar as ruas pela democracia também é”.

O governador admitiu convergência com o Governo Federal, mas disse que irá fazer oposição a Jair Bolsonaro em alguns temas. “A submissão, em qualquer tempo, é incompatível com o espírito libertário dos pernambucanos”, pregou Paulo Câmara,  em seu discurso.

Ele disse que apoiará projetos que beneficiam Pernambuco como as obras complementares da Ferrovia Transnordestina e a transposição do Rio São Francisco, porém se posicionará contra iniciativas que a seu ver prejudicam o estado e a região, como o projeto de privatização da Chesf.

Foi um discurso que fez justiça à história do PSB e as posições do ex-governador Miguel Arraes, que nunca teve medo do enfrentamento com o Poder Federal.

*Foto: G1 Pernambuco

Um comentário:

  1. Esperamos que Isaías faça uma ponte entre Garanhuns e Brasília sem passar por Paulo Câmara. Paulo Câmara é inimigo de Garanhuns. O único amigo que Garanhuns teve foi Dr, Arrais.

    ResponderExcluir