SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

JUCA KFOURI ENCURRALA FABRÍCIO QUEIROZ



O assunto do dia é a entrevista do ex-motorista do deputado Flávio Bolsonaro no SBT. 

Fabrício Queiroz, que movimentou mais de R$ 1 milhão e 200 mil na conta bancária, explicou que adquiriu seu patrimônio fazendo negócios, comprando e vendendo carros novos e usados. “Eu sei fazer dinheiro”, disse o ex-assessor do senador eleito pelo Rio de Janeiro.

A versão de Queiroz não está convencendo muita gente. Até mesmo integrantes do futuro governo acham que ele não foi muito convincente.

No seu blog, hoje, o jornalista Juca Kfouri fez uma lista de 11 perguntas ao ex-assessor do deputado e senador eleito Flávio Bolsonaro.

 "Se a 'movimentação atípica' na conta de Fabricio Queiroz vem da venda de carros recuperados de companhias de seguros, por que ele demorou tanto tempo para dar explicação tão singela?", questionou Kfouri e completou: 

"Ele pode mostrar a documentação dos carros que comprou e revendeu?".

Confira as outras perguntas feitas pelo jornalista:

-  Se Jair Bolsonaro não tem tempo para ir ao banco, e daí Queiroz ter depositado na conta da futura primeira-dama, como explicar que o presidente eleito vira e mexe sai de casa exatamente para ir ao banco?

-  Se Queiroz está doente, porque não disse logo ao país sobre o mal que o acomete?

-  Se pôde falar ao SBT por que não o fez ao Ministério Público?

-  Se temeu por sua vida por que não pediu proteção às autoridades?

-  Se não fez nada de errado, por que deixou de falar com Flávio Bolsonaro?

-  Como dizer que não estava foragido se ninguém o encontrava?

-  Ele contou que o enteado suicidou-se com um revólver seu. Não é mesmo perigoso ter armas em casa?

-  Como um ex-policial experiente pôde ser tão descuidado?

-  Quem ele pensa que engana?

4 comentários:

  1. Tanto no caso do LARANJA QUEIROZ que movimentou R$ 600.000,00(seiscentos mil reais) quanto o presidente da assembleia legislativa do rio de Janeiro ANDRÉ CECILIANO (PT – pra variar), que movimentou R$ 49.000.000,00(quarenta e nove milhões de reais) é preciso o leitor ter plena consciência e ponderação para NÃO cair na histeria de qualquer um dos lados.

    Enquanto, ACERTADAMENTE, o jornalista esportivo Juca Kfouri indaga suas 11 perguntas, diga-se de passagem, todas elas apropriadas e muito bem fundamentadas, é de extrema necessidade também esclarecer alguns pontos básicos aos brasileiros de bem e ao Brasil decente o que escreveu o jornalista POLÍTICO Cláudio Dantas. SENÃO VEJAMOS:


    – A investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro, obviamente, NÃO deve ter qualquer prioridade, SENÃO a de esclarecer todas as movimentações suspeitas de assessores dos mais de vinte deputados estaduais citados no relatório do Coaf, posto que não se trata de órgão político nem de imprensa.

    – A prioridade jornalística do caso Queiroz, ao contrário do que prega uma parcela dos bolsonaristas virtuais, É JUSTIFICÁVEL, SIM, porque tem relevância nacional, à medida que envolve, mesmo que indiretamente, a família do presidente eleito.

    – A indiferença jornalística aos demais casos citados no mesmo relatório do Coaf É INJUSTIFICÁVEL, especialmente para a imprensa fluminense, em razão da gravidade das suspeitas que pairam sobre deputados e funcionários de uma Assembleia Legislativa de alta relevância como a do estado do Rio de Janeiro e com histórico de corrupção.

    – O PT não está mais no poder na esfera nacional, mas, na esfera estadual, está, sim, posto que ANDRÉ CECILIANO(PT) é o atual presidente em exercício da Alerj, já que Jorge Picciani foi preso e Wagner Montes vem renovando licença médica. Além disso, O VOLUME DE DINHEIRO MOVIMENTADO PELOS QUATRO ASSESSORES DE CECILIANO É O MAIOR DA LISTA DO COAF. Em razão desses dois fatores, seria natural que a segunda prioridade jornalística fosse o seu caso, ainda que não fosse ele de um partido com histórico de corrupção no poder federal.

    – Os casos de movimentações suspeitas, tanto de Queiroz quanto de assessores de outros deputados, foram citados no mesmo relatório do Coaf, incorporado a uma investigação do MP-RJ que corre sob sigilo. Então não se trata de minimizar o caso de Queiroz ao citar os outros, como a militância do PT costuma fazer diante das provas confirmadas pela Justiça contra petistas como Lula, citando Aécio Neves e Michel Temer, investigados em casos distintos. Trata-se de cobrar a apuração de suspeitas diversas – ainda não provadas – derivadas de uma mesma operação – a Furna da Onça –, bem como a punição de eventuais culpados nos termos da lei, sejam eles assessores, deputados, presidente eleito ou futura primeira-dama...


    P.S.: - ENQUANTO OS 600 MIL DA FAMÍLIA DO LARANJA ASSESSOR OCUPA TODA A PAUTA DA IMPRENSA, OS ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIAS DO TIPO ZANIN E KAKAY MOVIMENTAM SUSPEITÍSSIMOS BILHÕES IMPUNEMENTE...

    ResponderExcluir
  2. RERRATIFICAÇÃO: - As informações foram prestada pelo jornalista FELIPE MOURA BRASIL e não Cláudio Dantas.

    ResponderExcluir
  3. De propósito e por má-fé o comentarias abaixo, manipula dados e omite outros; todos relevantes. 2. Na conta de Fabrício Queiroz passou R$1.233.000,00 durante um ano; e não R$600.00,00, como afirma maldosamente o tal comentarista abaixo. 3. E por que citar só o partido de André Ceciliano e não citar os partidos de Jorge Picciani e Wagner Montes? - 4. O pedágio na Assembleia Legislativa do RJ é antigo... E o deputado BolsonASNO, patrão do Queiroz, recebia a grana arrecadada pelo laranja Fabrício Queiroz, a cada dia em que os servidores da ALERJ recebiam seu proventos... E é natural que o caso Queiroz tenha ganhado repercussão nacional e cobrança intensa... Haja vista que envolve o BolsonASNO mais velho, que se elegeu em cima de um discurso falso de moralidade. - É ISSO. /.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LEIA-SE: Comentarista acima... E "... recebiam SEUS proventos... " - ObrigadOOO !!!

      Excluir