Assembleia Legislativa

Assembleia Legislativa
Assembleia Legislativa

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

GRUPO POLÍTICO DE SALOÁ VAI APOIAR MARÍLIA ARRAES


Todo grupo político do ex-vereador Wellington Freitas, de Saloá, resolveu apoiar a candidatura de Marília Arraes (PT) para a Câmara Federal.

Fazem parte do grupo, além do próprio Wellington, um político respeitado em Saloá, Garanhuns e toda região do Agreste Meridional, os vereadores Zé Cabeleireiro e Valdir Lopes, que fazem oposição ao atual prefeito do município.

“Se nós queríamos Marília governadora, por que deixaríamos de apoiá-la para a Câmara Federal, ajudá-la a ter uma votação e dar uma resposta aos que traíram as bases do Partido dos Trabalhadores”, disse Zé Cabeleira ao comentar a decisão do grupo.

Wellington, juntamente com os irmãos Jânio e Paulo Moraes, de Brejão, e o vereador Alcindo Correia, de Garanhuns, foram pioneiros da luta pela candidatura da neta de Miguel Arraes ao governo de Pernambuco.

Eles conseguiram várias adesões em diversos municípios do Agreste e Sertão, participaram da maioria da manifestações pela candidatura da vereadora ao Palácio das Princesas e comemoraram a vitória da petista no Diretório Estadual, quando 92% dos delegados petistas votaram pela candidatura de Marília.

Como a vontade das bases não foi respeitada pelo Diretório Nacional, os apoiadores da neta de Arraes pediram que ela fosse candidata à Câmara Federal, no que foram atendidos.

Ela faz parte de uma chapa só do PT e não participa da coligação com o PSB. Quem votar em Marília poderá ajudar outros candidatos do partido, como Carlos Veras e Fernando Ferro, mas não corre o risco de ver seu voto servir para alavancar a candidatura de algum golpista.

Em Saloá, além do grupo citado, a vice-prefeita Socorro do Leite, que rompeu com Ricardo Alves, também irá votar e apoiar Marília Arraes.

Inauguração do comitê - Rifada pelo próprio PT como candidata a governadora, Marília Arraes poderá ser a deputada federal mais votada de Pernambuco nestas eleições.

Embora a vereadora não tenha muitos recursos financeiros para a campanha, ela se tornou conhecida em todas as regiões de Pernambuco por conta da sua movimentação para ser candidata à sucessão estadual.

Outro cotado para ser o mais votado é João Campos (PSB), filho do ex-governador Eduardo Campos, que era primo em primeiro grau de Marília.

O socialista conta com uma vantagem sobre a parente: o apoio de muitos prefeitos ligados ao governador Paulo Câmara e a própria estrutura da máquina estadual.

No próximo dia 26, no Recife, Marília vai inaugurar o seu comitê central de campanha, localizado na Rua Montevidéu, no bairro da Boa Vista.

Durante os próximos dias, a neta do ex-governador vai voltar a percorrer os municípios do interior e intensificar o trabalho político na região metropolitana. 

3 comentários:

  1. Aproveitando a deixa é por isso que eu vou votar para governador em Maurício Rands. Por muito menos, por uma questão de hombridade, ele desfiliou-se do PT e, serenamente, com a maior dignidade que um político deve(ou deveria ter) renunciou ao mandato de deputado federal. Isso mesmo que você está lendo: RENUNCIOU!!!

    P.S1.: - Alguém já disse que, um cínico(OU CÍNICA) é um homem(OU MULHER) que sabe o preço de tudo, mas o VALOR de nada...

    P.S2.: - O valor da hombridade, da altivez, da dignidade, por exemplo, como teve Maurício Rands...

    ResponderExcluir
  2. A posição do PSB seria parte de um acordo com o PT, que rifaria a candidatura da vereadora do Recife Marília Arraes em Pernambuco, onde a sigla pessebista apoiaria a reeleição do governador Paulo Câmara, candidato à reeleição, e, em troca, o PSB apoiaria a reeleição de Fernando Pimental em Minas. A estratégia do PT seria uma forma de isolar o presidenciável Ciro Gomes (PDT), que desfere críticas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, apesar de afirmar que o membro do PT é preso político.

    Em uma carta divulgada à imprensa, Lacerda afirma que a "velha política" retirou a candidatura dele. O ex-prefeito disse que "a impossibilidade do julgamento definitivo do assunto, desenhada nos últimos dias no âmbito da Justiça Eleitoral, conduz esta insegurança jurídica até a véspera do 1º turno, o que me leva a retirar minha candidatura".

    Segundo Lacerda, "Minas Gerais precisava de uma terceira via. E a nossa candidatura era, sim, muito viável. Todas as pesquisas divulgadas até o momento apontaram o meu nome com reais possibilidades de chegar ao segundo turno e obter uma vitória. Por isso os grandes interesses agiram dessa maneira covarde".

    "Infelizmente essa é a política que ainda impera no Brasil. Sou retirado da disputa esperando, sinceramente, que esse fato deplorável que ocorreu com a minha candidatura sirva de exemplo para ajudar a transformar de fato a nossa política. Não podemos mais deixar que acordos e conchavos de gabinete predominem sobre a vontade popular".

    ResponderExcluir
  3. COLIGAÇÕES: se o senado do PMDB tivesse aprovado a PEC do ex-senador Jarbas Vasconcelos acabando com todas as coligações em 2005,certamente,não haveria tantos conchavos na política.

    VOTO VINCULADO: se tivesse permanecido tal e qual aconteceu em 1982 entre Marcos Freire e Roberto Magalhães com certeza todo não haveria essa salada toda.

    VERTICALIZAÇÃO DAS ELEIÇÕES: se deputados federais e senadores não tivessem derrubado a resolução do TSE em 2001,certamente,os partidos eram obrigados a se coligarem natural e nacionalmente.0s partidos não teriam tanta dor de cabeça para se coligar nos Estados brasileiro.

    FIDELIDADE PARTIDÁRIA: se fosse pra valer o Temer não teria traído sua melhor amiga,A DILMA e o PT, provavelmente,hoje não veríamos o Brasil tão destruído sendo vendido aos pedaços e a troco de bananas.

    TRAIÇÕES E REBELDIAS: é o que mais existem entre os políticos.Que o digam FERNANDO COLLOR,SARNEY,FHC,LULA E DILMA.

    VOTO DISTRITAL PURO: se os deputados federais e senadores tivessem aprovado o voto distrital puro Garanhuns não estaria penando e sofrendo para eleger um deputado estadual e um federal filho da terra.

    Portanto,se conselho fosse bom não se dava, se vendia.Eu dei tanto conselho a um advogado em Lagoa do Ouro que no final ele me chamou de cego e impugnou minha candidatura em 2004 e ainda andou dizendo que teria derrubado o grande de Marquidoves quando eu nunca grande porra nenhuma.

    Eu parabenizo todos os postulantes que tentam ser deputados estaduais e federais nesses sistema eleitoral que somente favorece aos ricos e aos poderosos.

    ResponderExcluir