SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

segunda-feira, 21 de maio de 2018

CARTA ABERTA AO BISPO EPISCOPAL DOM FREDERICO, DA CATEDRAL PEDRA VIVA, EM VITÓRIA DE SANTO ANTÃO

Irmãos, estou reenviando a Carta, depois de ter feito algumas correções, peço perdão pelas informações equivocadas que redigi na primeira carta, pois, estou na Episcopal há três anos apenas, e não conhecia tão a fundo a história. 

Meus irmãos na fé, me procuraram para esclarecer alguns pontos, que agora transmito para vocês.

Quero deixar claro que a iniciativa de escrever esta carta foi única e exclusivamente minha, tive vontade antes de postar, enviar para Pastor George corrigir o que eu teria escrito de errado. Porém não o fiz, com medo do mesmo me proibir de postar, pois sua postura é de nos pedir o tempo todo para pregar o amor, a paz, esquecer o que passou, seguir em frente e ajudar os irmãos que ficaram e vierem a precisar. Infelizmente estou longe de ter um coração tão puro e santo como o do Pastor George e no momento ainda não consigo pensar e agir como ele.

A Igreja Episcopal Carismática começou em Garanhuns há 12 anos, pelo casal de missionários Fernando e Stela Cox, quando foi fundada a Paróquia Monte Sinai. Convidado pelo casal, o Pastor George Chritopher, assumiu a igreja e foi reitor da paróquia por quase 10 anos.  Devido a esta região pertencer a Catedral de Vitória de Santo Antão, esta paróquia foi confiada e subordinada aos cuidados do Reverendo Dom Fred.

A igreja começou numa sala emprestada pelo Hotel Tavares Correia, com pouquíssimos membros, mas com muita dedicação e sempre levando a palavra de Deus a todos que precisavam, do Pastor George. Quando assumiu, já havia acontecido um cursilho feminino, um masculino e um cursilho misto, onde vários funcionários do Hotel Tavares Correia, puderam participar, muitos funcionários daquele hotel tiveram o privilégio de participar e terem suas vidas transformadas.

O Pastor George trabalhava aqui com bastante esforço e dedicação e sem o apoio e a presença da Catedral.

O Pastor escolheu o terreno que tinha sido prometido que tinha sido prometido por D. Oneida a Dom Paulo Garcia, e começou lá com três tendas e algumas cadeiras doadas. Foi quando tive a honra de ser abençoada e escolhida por Deus para fazer o Cursilho, e a partir daí, comecei a frequentar a Igreja Episcopal Monte Sinai em Garanhuns, por vontade própria e gratidão a Deus, nunca por imposição de ninguém. Assistíamos cultos na chuva, na lama, amparados pelas tendas doadas, mas sempre saiamos de lá edificados pela palavra de Deus, ministrada pelo seu instrumento, o Pastor George. As doações foram chegando, de membros da igreja, simpatizantes, pessoas socorridas na hora da dor, e por todos que Deus tocou o coração. As paredes começaram a serem erguidas, a igreja física começou a ser construída, e foi toda levantada com doações de paroquianos. Dos que tinham menos e doavam menos e dos que tinham mais e doavam mais, porém o amor no coração era do mesmo tamanho.

O principal ministério da Paróquia sempre foi o Cursilho, com Dona Mídia a frente, com toda dedicação e amor. Foram mais de 700 pessoas em Garanhuns e região escolhidas por Deus para serem abençoadas, quando foram apresentadas ao mais puro e verdadeiro amor, o Amor de Cristo, através do Cursilho. Pessoas que mudaram completamente de vida, pessoas que tentaram suicídio, pessoas que tiveram envolvimentos com drogas, pessoas pecadoras, falhas e humanas como eu e você. Vidas foram transformadas e muitas vidas foram salvas através deste ministério. As pessoas não viraram santas, mas com certeza se tornaram muito melhores.

Houve um investimento de mais de R$ 630.000,00 para levantar a igreja, valor este levantado por nosso Pastor através de doações, eu doei muito, muito pouco mesmo, o Pastor, financeiramente, acredito que não doou nada, porque por muito meses faltava seu salário. Mas ele doou o principal: toda sua dedicação e seu amor. Dom Fred não teve a honra de presenciar momentos onde o Pastor, dia de domingo, chegava a igreja às 6h da manhã para varrer o templo, aguar as plantas e limpar as cadeiras para sentarmos quando chegávamos ao culto das 10h. O Pastor doou suas lágrimas, seu suor, seu desespero quando terminava a semana e não tinha dinheiro para pagar os pedreiros. Nos ligava, passava mensagem, pedindo apenas uma quantia de R$50,00 para honrar com mais esse compromisso, e não deixar essas famílias sem salário, como ele muitas vezes ficava.

Tenho certeza que muita, mas muita gente de Garanhuns tem histórias vividas com nosso Pastor para contar e histórias com finais felizes.

Há mais de 70 dias que o Pastor George vinha sendo massacrado, questionado, humilhado, pelo Reverendo Dom Fred e o conselho da Diocese. Reverendo este e conselho este que raramente puseram os pés em Garanhuns para saber como estávamos, as privações que passávamos e a luta que vivíamos em comunidade, todas elas vencidas graças a força que Pastor George nos passava.

O Pastor George errou? Errou, claro que sim, ele é humano e pecador como todos nós somos, porém, quando um filho erra, nós o pegamos, sentamos, conversamos e orientamos. Não punimos de uma maneira tão severa, cruel e impiedosa. Principalmente quando nunca fomos presentes na vida deste filho.
Sempre fomos uma comunidade carente da presença desse Bispo, seja de uma visita, orientação ou direcionamento da sua parte. Sua alegação? Falta de tempo ou falta de convite. Bom, se o tempo não dava, que diminuísse seus compromissos para poder cumprir com todos, falta de convite: nunca ouvi falar que o dono da casa precisasse ser convidado para entrar nela.

Eu tinha dito que  "o Bispo pode ser sido influenciado por pessoas desleais, infiéis e traiçoeiras que levaram conversas daqui pra lá e trouxeram de lá pra cá. Só que, o maior influenciador de um Bispo tem que ser Jesus Cristo e sua palavra.", porém, a verdade é que, ele usou pessoas da sua própria convivência para colocar em prática seu objetivo, já tentado inúmeras vezes, porém sem sucesso, que era tirar nosso Pastor tão querido da nossa comunidade. Ele influenciou algumas pessoas para impor a sua vontade.

Na última terça-feira, a Comunidade da Paróquia Monte Sinai em Garanhuns foi tomada por uma triste notícia, que nos deixou desnorteados, sem chão, sem palavras, em choque. Não me refiro a poucas pessoas não, foi com uma comunidade construída com muito suor e amor há mais de 10 anos, famílias membros desta igreja, pais, mães, avós, crianças, adolescentes, se depararam com a triste notícia que o Pastor George teria sido expulso da Paróquia Monte Sinai, as vésperas do Cursilho Feminino, uma bomba cai sobre nossas cabeças, sem dó, nem piedade, foi tirado o nosso chão. Ah! Mas nosso alvo é Cristo, temos que olhar para Cruz e seguir em frente. Sim, mas quem nos revelou esse amor tão incondicional, que nos constrange, de Cristo por nós, foi o Pastor George, através da sua palavra, do seu abraço, do seu afago, da sua mão amiga e protetora nos momentos certos quando mais precisávamos. Foi através do Cursilho implantado aqui por Dona Mídia que conhecemos este amor incondicional, e a partir dai elegemos nosso Pastor, como nosso líder espiritual, como o guia das suas ovelhas, como nosso conselheiro e em muitos momentos nosso pai.

Me pergunto em qual foi o momento que o Reverendo Bispo olhou para Cristo, viu a cruz como alvo, quando resolveu tomar essa decisão tão atroz e tão cruel na semana do Cursilho? Em que momento ele pensou em nós, nesta comunidade, nas famílias que ele abalaria? Em que momento tivemos alguma importância ou consideração pelo senhor, Dom Fred?

Soube que alguns membros (considerados importantes) por esta igreja já foram visitados, com um pedido para não sair dela, eu não fui, graças a Deus, também não tenho dinheiro, não tenho um cargo importante, nem um sobrenome de família rica.

Vivemos dias de muita angústia, tristeza e lágrimas, mas Deus tem um propósito pra tudo em nossas vidas, mais de 30 mulheres desistiram de trabalhar neste final de semana, por falta de condições emocionais, porém Deus abençoou aquele Cursilho de forma tremenda como Ele sempre faz, e levantou outras mulheres para estarem ali e passar por este momento, e resgatar vidas, e apresentar o verdadeiro amor de Cristo aquelas mulheres que tanto precisavam e foram escolhidas por Deus para estarem ali.  

Quanto ao Pastor George, Deus deixou estas mulheres de fora, juntamente com os homens que não iriam mesmo para o cursilho, por serem homens e o cursilho era o feminino, para começarmos de novo, do zero, do nada, reerguermos mais uma vez nossa igreja, e sabe o que aconteceu? Um lindo culto com mais de 200 pessoas, pessoas que há um certo tempo não frequentavam a igreja e hoje estavam lá, e receberam o Pastor de pé, com lágrimas nos olhos, aplausos e muito amor no coração. Famílias de bem, lotaram aquele auditório para mostrarem sua solidariedade e gratidão pelo Pastor George. A comunidade veio em peso conosco e tudo foi muito lindo e emocionante, e nossas forças se renovaram, e nossos corações se encheram de esperança, e aqui estamos, para construir de novo mais uma casa para honrar e glorificar o nome do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. E hoje foi o primeiro culto da Igreja Episcopal de Garanhuns.

Quanto a Paróquia Monte Sinai, é um ciclo que se fecha, é uma etapa concluída, é a certeza de dever cumprido, Deus usou este Pastor para levantar aquele templo, e hoje precisa dele numa nova obra, afinal, já é a quarta igreja que ele levanta, duas construídas e duas reformadas, e por que não a quinta?
Deus abençoe os membros que por lá ficar, que sejam gigantes e lutem para que esta Episcopal não seja mais uma igreja que regida por Dom Fred, que seja duramente abaladas e atingidas pela intransigência, arrogância e impáfia, assim como foram com as Paróquias de Serrita, Salgueiro, Arcoverde e Moreno. Os pastores destes lugares, seguiram seu trabalho e a comunidade os acompanhou, e as igrejas que hoje eles ministram nestas mesmas cidades, são lotadas. Que o Pastor que Deus está levantando para guiar esta igreja seja valente, bravo e dê a cara a bater como nosso Pastor George e Dona Mídia deram nestes 10 anos.

Hoje entendo que há males que vem para o bem, Pastor George sofreu muito, foi massacrado, sofremos com ele, mas agora sabemos que foi para sua libertação, hoje estamos livres da ira impiedosa, da inveja, da ganância, das amarras e punições do Reverendo Dom Fred, que não só machucou nosso Pastor e nossa comunidade, mas outros pastores e outras comunidades por ai também. Hoje estamos em festa, estamos felizes, porque estamos livres!
Que Deus abençoe a todos nós.

Marcella Fernanda
Ex-membro da Igreja Episcopal Carismática de Garanhuns – Paróquia Monte Sinai
Membro da Primeira Igreja Episcopal de Garanhuns.

Nenhum comentário:

Postar um comentário